segunda-feira, 16 de maio de 2022

Matéria da prefeitura confirmou soprepreço de estrutura temporária do MCJ

Bizarro, absurdo, esquisito e com odor cada vez pior estão os anúncios públicos do prefeito Alysson Bezerra sobre os preços dessa estrutura. Como foi primeiro anunciado através do JOM que custaria R$ 23 milhões, surgiram notícias em blogs e analistas que não fazem parte do grupo de blogs e meios que estão ‘matriculados’, o prefeito através do JOM esmiuçou e divulgou uma planilha de R$ 12 milhões (quase R$ 10 milhões a mais que em 2019) para fins licitatórios.

Depois a imprensa independente anunciou que a mesma empresa com a estrutura foi contratada por R$ 2,6 milhão e aí, bizarra e pitorescamente, no mesmo dia o prefeito anunciou que não custaria R$ 12 e sim R$ 6 milhões. Novamente um grupo de pessoas livres, dessa vez, militantes da esquerda (enfim fazendo oposição) mostrou um gráfico, enfatizando o quanto que estão superfaturando os itens do Cidade Junina e o salto de valores.

Novamente o prefeito através de release oficial, na mesma hora, afirma que baixou para R$ 4,1 milhão. Pode se falar uma verdade? Se há uma planilha divulgada pela própria Prefeitura afirmando que os itens custariam R$ 12 milhões e a cada ligeira crítica de algum veículo ou jornalista que não é pago pelo Município mostrando o salto, o sobrepreço e o superfaturamento, que seria a princípio de quase R$ 10 milhões, na mesma hora o prefeito solta nota em veículo oficial dizendo que vai baixar e se autoelogiando, dizendo que o sobrepreço de alguns milhões a mais que permanece seria zelo e ética da parte dele.

Cá entre nós – fica explícito que os valores não definidos pelas estruturas, suas quantidades, a mão-de-obra, cálculos e etc. fica explícito que é uma decisão pessoal o valor, baseada em repercussões na imprensa. A estratégia é: se falarem muito, a gente baixa um pouquinho o valor da mamata e divulga notícia dizendo que Alysson está economizando.

 

Outra prova

Outra evidência nítida, explícita e rebolada aos quatro cantos pelos próprios veículos foi que para conter a descoberta de que o valor é absurdamente mais alto do que o praticado no mercado e do valor contratado em 2019, foi o release divulgando que ele baixaria para R$ 6 milhões.

No próprio texto afirma que “ a depender da montagem poderá ser anunciada uma nova redução de valor”... e aí vieram as notícias comparando os valores, antes mesmo do início real da montagem das grandes estruturas e aí mesmo praticamente sem ter começado a montagem, o prefeito anuncia que os valores iriam pular para R$ 4,1 milhão. R$ 2 mi a menos do anúncio de 5 dias atrás.

Ou seja, fica nítido que não foi a montagem que fez haver uma economia e sim uma margem de superfaturamento que existe (e ainda está existindo). Sobrepreço às vésperas de uma eleição.

 

Em tempo

Detalhe: o salto do sobrepreço ainda é grande. As mesmas estruturas contratadas em 2019 à mesma empresa custaram R$ 2,6 milhões ao contribuinte (povo). O sobrepreço está ainda no patamar de R$ 1,5 milhão. Talvez com esta análise a prefeitura divulgue novo valor, confirmando que está trabalhando com uma margem de sobra ou não.

 

Sumiço da matéria

O curioso é que a matéria anunciando nova redução mesmo sem ter começado a montagem para valer, além de não trazer nenhum detalhamento, foi retirada das matérias do site da prefeitura.

Outra confissão pública de que a matéria seria somente para tentar conter sentimento de contestação, críticas e silenciar a cidade para que não haja fiscalização por parte de outros poderes e de órgãos como o ministério público.

Últimas do dia dos bastidores da Política

O blog fez uma Blitz de captação de informações sobre os bastidores da sucessão estadual e aqui vão as últimas novidades relativas aos grupos e partidos do Rio Grande do Norte e de Mossoró.

Repercussões do artigo de Ugmar Nogueira sobre oposição em Mossoró e o Rosalbismo

O Jornalista Ugmar Nogueira fez artigo chamado “O Rosalbismo só sabe jogar com a bola no pé?” Criativo o título, que versava sobre a estranheza deste jornalista,  mais alinhado à esquerda, sobre a eventual pouca oposição e pouco ativismo de Carlos Augusto Rosado e Rosalba Ciarlini, meio que afirmando que sem administração eles não saberiam trabalhar politicamente.

Sobre o artigo em si, concordo no aspecto que diz que Alysson não tem nenhuma oposição, ou se tem é muito amena, seria a oposição dos sonhos de qualquer político, mas discordo frontalmente em querer atribuir a Carlos Augusto e Rosalba tal ausência.

Na verdade, eles são os que menos tem responsabilidade nessa sonolência da oposição em Mossoró, na verdade o próprio PT tem faltado qualquer iniciativa de oposição, como também outros grupos de Mossoró. E muitas vezes pareceram mais preocupados em tentar centrar fogo e minar Rosalba que, embora não tenha ganho as ultimas eleições, foi quem polarizou uma disputa à prefeitura que eclipsou a própria Isolda e a ex-prefeita Claudia Regina, fadando ambas a ter votações modestas.

Acredito que Carlos Augusto, que já se aproxima dos 80 anos de idade e Rosalba, daqui a pouco também mudando a casa decimal da idade, tentaram na verdade ligar um “stand-by” político para não criar uma pressão em torno dela de uma candidatura que aparentemente não faz parte dos objetivos e sonhos do casal e do seu grupo. Aparentemente Rosalba não descartava publicamente, mas todos os demais sinais como praticamente desativar suas redes sociais, militavam na direção de que não quer ser candidata nestas eleições de 2022.


Chuva de convites.

Convites não faltaram e até hoje existem para que Rosalba participe do pleito como candidata. Cerca de sete partidos a chamaram para se filiar para concorrer à deputada estadual, houve convite também para que ela concorresse a deputada federal e ainda está em curso um grupo de pessoas próximas a um candidato ao Governo Haroldo Azevedo, mostrando e confidenciando a ela um resultado bastante expressivo e surpreendente para quem subestima a política Rosalba. Isso com o nome dela ao Senado, que estaria tecnicamente empatada na segunda colocação com candidato que está há mais de dois anos está lançado e ambos não muito distante do 1° colocado na sondagem.


Sobre o projeto de Haroldo

A candidatura de Haroldo Azevedo, diga-se de passagem, não pode ser subestimada. Com vários oposicionistas que não se empolgam com Fábio Dantas, a começar pelo Prefeito de Natal Álvaro Dias, se Haroldo conseguisse um apoio como o do Progressistas, ganharia um fôlego E se também viesse a receber o apoio de Álvaro, triplicaria esse fôlego.

Em tempo: Haroldo tem esse fôlego e a tendência é transformar isso em intenção de votos, não só o entusiasmo da turma “bolsonarista de primeira hora, mas uma imagem positiva e limpa no substrato da sociedade que o conhece. Com entrevistas, debates, programas de radio, TV e com a Internet, certamente ampliará essa imagem positiva.

Se poderá ser uma ameaça a Fabio Dantas ou a Styvenson para ser o contendor de Fátima no segundo turno, isso só o tempo dirá. Subestimar uma candidatura de fora do meio político, eu não subestimaria. O atual governador do Distrito Federal, por exemplo, era um “mero” advogado quando se candidatou em 2018. Suplantou todos os políticos de lá e ganhou as eleições.

sábado, 7 de maio de 2022

Valor para estrutura temporária de camarotes e palcos do Cidade Junina será de mais de R$ 11 mi

Alguns acreditam que a atual administração de Mossoró não tem marcas e a única coisa que transparece, mesmo que tardia e lentamente, são as obras do Finisa, cuja verba foi conseguida e trazida pela gestão anterior após uma recuperação das finanças e reestruturação que permitiu a prefeitura contratar tal operação de crédito. No entanto, já se pode dizer que a gestão Allysson Bezerra possui um padrão que ocorre desde uma contratação na saúde até a de estruturas temporárias, sendo que estas serão removidas passadas o período da festa junina.

A contratação de serviços por cinco ou seis vezes o valor pago por outros prefeitos de outras cidades e também de outros prefeitos anteriores. Exemplos não faltam para mostrar esta marca: contratação de empresa para recolhimento hospitalar. Antes custava menos de R$ 100 mil, hoje está custando meio milhão de reais. Banheiros do Cidade junina, antes era contratado por R$ 80 mil,  nesta edição custará R$ 500 mil.

Também impressiona a coincidência de valores cravados e fechados na atual administração. Há calculo técnico por trás balisando? Parece que não. Fica difícil acreditar. Esmiuçaremos abaixo essas contratações ‘polêmicas’, mas antes é preciso dizer o óbvio ululante.

Ao propor na semana passada tomada de preço de R$ 24 milhões (valor também cravado, dividido em duas tomadas, uma de R$ 11,5 milhões e outra de R$ 12,5 milhões) para estruturas de festas e shows. Saliente-se que até o último Cidade Junina tudo custava no máximo R$ 4 milhões. Allyson chamou a atenção de muitos e mais ainda: mostrou que a história de que a Prefeitura estava quebrada e não tinha dinheiro para nada, não tinha nenhuma realidade e que com o decreto da calamidade financeira conseguiu abrir a porteira para diversas contratações sem licitação.

Mesmo planejando torrar mais de 30 milhões com a farra junina (o termo ficou bastante apropriado dessa vez) e constatadas contratações de bandas com valores acima do praticado em outras prefeituras, a exemplo do cachê de Wesley Safadão, com sobrepreço de 20% ao de outras cidades, o prefeito foi mais além e, na prática, debochou da população quando, em alto e bom tom, declarou no twitter e redes sociais que o valor de quase 12 milhoes para esta contratação tinha sido fruto do zelo com o dinheiro público e que esta contratação representava uma economia de 50% aos cofres públicos.

Como assim jovem prefeito? A estrutura de 2019, por exemplo, a mesma utilizada em eventos como o Carnatal, o maior fora de época do país, não custou mais que R$ 4 milhões e ‘uns quebrados’, como diz o matuto. Todo o evento custou R$ 7,9 milhões com o mesmo número de atrações renomadas. Só para se ter ideia, o Pingo fora comandado por ninguém menos que Raí Saia Rodada em 2019. O evento, com todos os artistas nacionais e todas as  despesas  de todas as naturezas pagas de 2019, custou 33% a menos do que será o gasto da estrutura física temporária que será instalada.

Nesse Cidade Junina o gasto superará os R$ 20 milhoes facilmente. Um valor 300% mais caro do que todo o gasto de 2019, que foi o São João mais consagrado de todas as edições.

Se Alysson conseguisse manter o plano manifesto e exposto na tomada de preço de R$ 24 milhões apenas para a estrutura temporária, o cidade Junina vai passar dos R$ 30 milhões facilmente, já que de cachê de artistas ainda será mais R$ 3,6 milhões. Fora o gasto com outros polos, como Chuva de Balas e o das quadrilhas que se apresentarão.

Se o mossoroense fosse informado devidamente desses valores em uma rede social como o whatsapp, ao ver o prefeito e a comunicação oficial afirmando que está economizando 50% de um valor mega superfaturado, o mossoroense responderia no mesmo whatsapp com uma figura (emoji) desconfortante. Afirmar que está reduzindo o valor quando está aumentando em 400% (de R$ 4 para R$ 12 mihões) o preço das estruturas temporárias (banais) quando se pretendia dar estouro de 800% (pretendia-se passar dos R$ 24 milhões) é sim fazer o cidadão de palhaço. Há quem garanta e vaticine que a redução foi feita com muita irritação interna no palácio da resistência. Resta-se saber os motivos.

 

PS: As reformas da estação das artes, teatro não estão dentro desses gastos. São obras do Finisa e como tiveram valores fixados por outra gestão e não têm o mesmo padrão que essas contratações exóticas atuais. A Estação das Artes, por exemplo, tem valor de reforma de algo que ficará para a cidade de R$ 3,1 milhões. E detalhe: não ficará pronta para o São João. Mas, pelo menos após o evento, qualquer reforma ali ficará de forma permanente.

 


quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Socel Sal lança linha exclusiva de sais gourmet

Há quase 60 anos levando a qualidade e tradição do sal marinho potiguar para todo o país, a Socel Indústria Salineira está lançando nesta terça-feira (25) sua linha exclusiva de sais gourmet, com produtos pensados cuidadosamente para você valorizar os sabores dos bons momentos da vida. A linha exclusiva da Socel Sal realça a essência do sabor do alimento ao qual ele está sendo utilizado e é ideal para todas as ocasiões.  

São 10 tipos exclusivos de sais que atendem a todos os tipos de gostos e perfis de consumidores. A linha está disponível à venda em Mossoró, Natal e Fortaleza, nos seguintes endereços: Rede FriGoiás (Natal), Socel Sal e Terra Sal (Mossoró) e Beer, Meat & Fire (Fortaleza). Os produtos também podem ser solicitados por meio do site www.socel.com.br.

 

CONHEÇA A LINHA GOURMET DA SOCEL SAL

-> SAL DE PARRILLA

Original: Realça a essência do sabor do alimento ao qual ele está sendo utilizado. Por sua granulometria menor, é ideal em cortes mais grossos, para o uso antes e depois da grelha, pois evita que a carne perca mais líquidos. O Sal Parrilla Socel dará um potencial de salga mais eficiente, fazendo com que sua aplicação tenha uma uniformidade ideal.

3 Pimentas: Traz consigo uma mescla de sabores mais fortes, levando os aromas das pimentas Caiena e Calabresa, unidas ao sabor acentuado da Páprica Picante.

Alho e Pimenta do Reino: Mix tradicional de temperos, ideal para utilização nos mais diversos tipos de carnes a serem assadas ou grelhadas.

Ervas Finas: Blend de manjericão, orégano, manjerona, tomilho e alecrim, que traz leveza e frescor para diversos tipos de carnes, peixes e saladas.

-> FLOR DE SAL

Original: Rica em magnésio, a Flor De Sal é um dos ingredientes mais versáteis da gastronomia. A Flor de Sal Socel é colhida artesanalmente, mantendo assim todas as suas propriedades. O produto é uma excelente opção para uso em finalização de pratos salgados, bem como na composição dos mais diversos doces.

Ervas Finas: Blend de manjericão, orégano, manjerona, tomilho e alecrim, que traz leveza e frescor para diversos tipos de carnes, peixes e saladas.

 

 -> SAL DE HAMBÚRGUER

Original: Realça a essência do sabor dos mais diversos tipos de hambúrgueres. Por sua granulometria menor, ele é ideal para preparos mais grossos, para o uso antes e depois da grelha, pois evita que a carne perca mais líquidos. Ainda devido ao tipo e tamanho dos seus grãos, o Sal de Hambúrguer Socel também dará um potencial de salga mais eficiente, fazendo com que sua aplicação tenha uma uniformidade ideal.

3 Pimentas: Traz consigo uma mescla de sabores mais fortes, levando os aromas das pimentas Caiena e Calabresa, unidas ao sabor acentuado da Páprica Picante.

-> SAL DE CHURRASCO

Original: Realça a essência do sabor do alimento ao qual ele está sendo utilizado. Por sua granulometria menor, é ideal em cortes mais grossos, para o uso antes e depois da grelha, pois evita que a carne perca mais líquidos. O Sal de Churrasco Socel dará um potencial de salga mais eficiente, fazendo com que sua aplicação tenha uma uniformidade ideal.

Alho e Pimenta do Reino: Mix tradicional de temperos, ideal para utilização nos mais diversos tipos de carnes a serem assadas ou grelhadas.

 

SOBRE A SOCEL SAL

Fundada em 1963, em Mossoró-RN, a Socel construiu um legado de tradição e qualidade, se tornando hoje uma das 3 maiores empresas de sal do Brasil, estando presente nas mais diversas indústrias e nos lares de milhões de brasileiros. A Socel conta com maquinário de primeira geração, equipe qualificada e uma linha de produtos fortes e diferenciados, distribuídos para diversos consumidores e indústrias dos quatro cantos do país.