quarta-feira, 6 de julho de 2022

Aditivo suspeito: Allysson afirma que recursos de reformas foram conseguidos pela gestão anterior e que obras inauguradas por ele estão inacabadas

O prefeito Allyson, em entrevista à rádio TCM, anunciou que vai colocar aditivos em todas as reformas do corredor cultural, a exemplo do aditivo do Memorial da Resistência. O aditivo chamou a atenção pois a Prefeitura fazia propaganda de que a obra estava concluída e após inauguração se deduzia isto pelo próprio discurso institucional e ausência de serviços e operários na instalação que estava aberta ao público.

A Comissão de Obras e Ocupação do Solo na Câmara Municipal aprovou a convocação do secretário municipal da pasta para realizar depoimento sobre o caso do aditivo suspeito.

Ficou constatado que a empresa que ganhou a licitação em janeiro de 2021, ou seja, já na gestão de Allysson Leandro Bezerra é pertencente ao sogro e cunhados do seu pré-candidato a Deputado Federal Lawrence Amorim que também é o presidente da Câmara Municipal.

A convocação de Rodrigo Lima, Secretário de Obras teve várias reviravoltas na terça-feira. Primeiro Lawrence Amorim tentou pedir mais tempo para a gestão  dar explicações, depois quis exigir que a convocação fosse votada no plenário, onde a bancada governista tem maioria (13 da situação a 10 da oposição) e aí a oposição afirmou que se a convocação da Comissão não fosse respeitada e barrada em plenário, a oposição faria uma CEI (equivalente a uma CPI ), uma Comissão Especial de Investigação.

Somente com essa ameaça foi aí que Lawrence respondeu, então, que estaria aceito então a convocação do Secretário Rodrigo Lima que buscará dar uma nova versão e explicação sobre a contratação e aditivo da empresa dos cunhados do Presidente da Câmara Municipal.

segunda-feira, 4 de julho de 2022

A 'farra' foi em João Pessoa, mas a ressada será no Memorial da Resistência


A excussão em shows de Caruaru parece não estar sendo agradável para a equipe liderada pelo prefeito Allyson Bezerra em Caruaru e Campina Grande, para onde ele foi conhecer como se faz uma festa junina. Isso depois de realizar o Mossoró Cidade Junina.

As fotos que circulam nas redes sociais, contudo, não são nada boas. Isso porque as imagens foram tiradas durante o dia e a claridade denunciou que havia, no semblante deles, ressaca de cansaço ou de sono. Destaca-se, claro, o prefeito.

O blog deseja forças e que a alegria que ele faz questão de transparecer seja restabelecida e que o punho fechado volte a ser sua característica.

Mas ao chegar em Mossoró o prefeito terá algo indigesto: vai ter que explicar o aditivo  quase meio milhão de reais depois da conclusão de obras do Corredor Cultural. A obra foi feita pelo sogro e cunhado de Lawrence Amorim, conforme licitação feita no começo do governo de Allyson.

De forma surpreendente, diante desse estranho fato, o prefeito começa a dizer que as obras no Corredor Cultural são de Rosalba Ciarlini, sua antecessora, devido ao Finisa. O blog parabeniza o prefeito pela sinceridade.

Mas o que não diz respeito a de Rosalva seria o aditivo de 43% da obra, algo que se voltaria para o estilo da atual administração.

Tibau prepara 1º Festival Gastronômico que acontecerá de 29 a 31 de julho

A Prefeitura de Tibau, por meio da Secretaria de Turismo e Cultural, realizará de 29 a 31 de julho o 1º Festival Gastronômico de Tibau.

De acordo com a secretária de de Turismo e Cultura, Madilene Felix, o evento será realizado em uma única arena cenográfica, que será montada na entrada da cidade.

“O espaço concentrará todos os restaurantes, bares, lanchonetes, workshops, artesanatos, apresentações culturais, palestras e shows musicais. Será a primeira vez que a gastronomia de Tibau será destaque como produto turístico forte da região”, destacou a secretária. 

Já a prefeita Lidiane e Marques ressaltou que o festival gastronômico também tem por objetivo estimular o comércio local, reunindo estabelecimentos para promover os sabores da culinária praieira e da alta gastronomia.

Ex-reitor Josué Moreira vai tentar vaga na Câmara Federal pelo PL

O presidente do Partido Liberal em Mossoró, Josué Moreira está oficializado como pré-candidato a Deputado Federal do Rio Grande do Norte.

Josué Moreira é servidor federal, pertencente ao quadro de professores do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).

Foi nomeado pelo Governo Bolsonaro como Reitor Pro tempore diante da vacância do cargo máximo da Instituição em 2020 no período da pandemia, e sua gestão foi aprovada.

Além disso, ele já foi candidato a Prefeito de Mossoró em três oportunidades: 2012, na eleição suplementar de 2014, e na eleição de 2016.

"Fui responsável por conduzir a retomada das aulas de forma remota no IFRN em 2020, mitigando os prejuízos decorrentes do afastamento social das salas de aula no formato presencial. Apesar das inúmeras dificuldades enfrentadas desenvolvi um trabalho com minha equipe a frente da Instituição resultando assim, no Relatório de Gestão 2020, onde mostra aumento no Índice de Eficiência do IFRN”, destacou.

O convite para ser presidente do PL em Mossoró, e para ser candidato a deputado federal partiu de João Maia, presidente estadual do PL.

Josué Moreira é graduado em Medicina-Veterinária pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) em 1998, possui especialização em Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal (UFCG) em 2000, mestrado em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em 2006 e doutorado em Ciência Animal pela Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) em 2018.

"É preciso conhecimento técnico, experiência profissional e de vida para ocupar espaços públicos importantes como deputado federal. A qualidade das políticas públicas eficientes exige conhecimentos técnico e político para equilibrar os interesses que envolvem o ambiente disputado no Congresso Nacional", disse.

Através do conhecimento técnico e político o professor Josué está preparado e qualificado para trabalhar pela população do RN, em especial na região do Oeste potiguar que foi sempre seu desejo de contribuir para um Rio Grande do Norte com mais oportunidades.

sexta-feira, 1 de julho de 2022

Com postura contra à cobrança de taxa de inspeção veicular indevida, Carlos Augusto é inocentado no caso Inspar pela Justiça Federal


Por 5 votos a 0, desembargadores do Tribunal Regional Federal (TRF-5) da 5ª região absolveram sumariamente o marido de Rosalba Ciarlini no caso Inspar. A acusação era pra lá de estranha, uma vez que foi exatamente Rosalba e Carlos Augusto que se posicionaram,  suspenderam e cancelaram um contrato que vinha do então Governo Iberê e pouparam o cidadão potiguar de pagar cerca de R$ 150,00 por carro anualmente para “verificar se o escape do carro estava poluindo o meio ambiente”.

A Inspar já havia celebrado o contrato e estava na iminência de ser executado quando na 1ª semana do governo Rosalba acabou com os planos da então empresa formada em solo potiguar para tal finalidade. Nos autos havia até falas dos então empresários da Inspar xingando e ameaçando Carlos Augusto e Rosalba por terem acabado com o esquema.

No decorrer da investigação ficou teria se constatado  que o grupo empresarial teria  se aproximado  de outros políticos do partido para que este(s) influíssem em caso de vitória de Rosalba ao governo estadual em 2010.

Se houve ou não houve lobby de outros políticos para o governo manter o contrato, não se sabe, porém o que a Justiça Federal afirmou quando por unanimidade absolveu Carlos do caso e quando uma Turma do Supremo Tribunal Federal sequer aceitou receber denúncia contra Rosalba também por unanimidade em 2019 foi que nitidamente o casal nem recebeu doação eleitoral não contabilizada, como também agiram no sentido de não aceitar um contrato que queria apenas arrecadar recursos pra o então consórcio empresarial Inspar e que nada tinha de benefício para a população do estado.

O estranho disso tudo foi a inclusão de Carlos Augusto no processo e uma decisão monocrática contrária lá atrás. Detalhe é que a denúncia chegou a ser anunciada em blogs da capital como uma reviravolta antes mesmo de ocorrer de fato.

quinta-feira, 30 de junho de 2022

Vereadores pedem moralidade e transparência

 Em nota, vereadores comentam o aditivo de quase R$ 500 mil, publicado no JOM, para obra já entregue pelo prefeito Allyson Bezerra. Confira abaixo:

Mossoró, 30 de junho de 2022.

Os vereadores da Câmara Municipal de Mossoró, que subscrevem, tornam pública a tentativa de obstrução ou, no mínimo, de retardamento dos esforços parlamentares para esclarecer o episódio que envolve a formalização de um aditivo no valor de R$ 433.724,01, no contrato para reforma do Memorial da Resistência. Este aditivo foi assinado 1 dia antes da inauguração da obra, com publicação no Jornal Oficial de Mossoró, 6 dias após. O assunto foi levado ao plenário da Câmara Municipal, com ampla repercussão pela impressa e nas redes sociais. 

Neste dia 30 de junho de 2022, os vereadores presentes ou representados, após uma visita à Secretaria Municipal de Administração, estiveram na Secretaria Municipal de Infraestrutura, pela terceira vez em 2 dias, para solicitar acesso ao processo licitatório da referida obra. Apesar da solicitação formalizada por escrito, os parlamentares não puderam, sequer, ter acesso visual ao processo licitatório, cujo paradeiro ninguém sabia informar. 

A gestão municipal deveria entender, aceitar e contribuir para o cumprimento do dever constitucional da Casa Legislativa, que inclui a fiscalização da aplicação dos recursos públicos. É dever da Câmara e, sobretudo, da própria gestão municipal zelar pela transparência.

Resta aos 10 parlamentares da oposição e independentes, que subscrevem, solicitar a apresentação de cópia do mencionado processo licitatório, com base na Lei de Acesso à Informação. Além disso, na próxima segunda-feira, dia 4 de julho, a Comissão de Uso e Ocupação do Solo estará reunida para discutir e deliberar sobre os possíveis encaminhamentos que o caso requer. 

        Em cumprimento dos seus deveres, 


Carmem Julia Montenegro                                        

Francisco Carlos                                                           

Isaac da Casa                                                                

Lamarque Oliveira                                                       

Larissa Rosado                                                             

Marleide Cunha

Omar Nogueira

Pablo Aires

Paulo Igo

Tony Fernandes


quinta-feira, 23 de junho de 2022

Provável servidor terceirizado grava vídeos em defesa de Allyson Bezerra


Tem um cidadão que tenta a notoriedade na mídia virtual e ataca de "protetor" do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) contra quem critica o que deve ser criticado. O rapaz, que chegou a ser crítico ferrenho de Allyson até poucos meses parece ter utilizado de um colírio bastante comum em quem passa a enxergar o mundo de outra maneira. 

Conforme se pode observar no vídeo acima, o cidadão em questão é conhecido como Waldenberg Soares de Mendonça. Em seu comentário ele diz algo realmente pertinente, depois de criticar o que orientou o Ministério Público - para que o prefeito evite o uso desnecessário do palanque de shows e a exposição desnecessária, pois isso se configuraria como uso da máquina pública para promoção pessoal - disse que tem outras coisas que poderiam ser investigadas.

E realmente tem, rapaz do vídeo, como por exemplo saber quem lhe paga, onde você trabalha, para quem tabalha e o que você faz nas horas em que não está gravando vídeo em defesa de um prefeito que faz, sim, coisas erradas e que precisam ser evitadas para que não voltemos ao século 19.

O blog faz essas colocações porque o próprio Waldenberg informa, em suas redes sociais, que faz parte do Departamento de Urbanismo (Demurb) da Secretaria de Infraestrura.


O Ministério Público deveria, sim, investigar se a verba pública chega aos bolsos desse rapaz, seja direta ou indiretamente, ou se ele atua na Prefeitura de Mossoró por meio de alguma empresa terceirizada. E se trabalha na Secretaria Municipal de Infraestrutura, conforme o blog foi informado, o trabalho dele seria só esse que está no vídeo: fazer defesa de quem faz o errado.


MP atende vereadores e orienta prefeito a evitar discurso


O Ministério Público agiu acertadamente ao orientar que o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) evite usar a estrutura do Mossoró Cidde Junina como palco político. É que ele estava dando o famoso "migué" e discursando em praticamente todos os shows da Estação das Artes Elizeu Ventania. A promotora Patrícia Nunes Martins atendeu provocação feita por alguns vereadores.

Os parlamentares enxergaram o óbvio: o prefeito estava transformando o evento em instrumento para tirar vantagem política e, com isso, desequilibrar o pleito que se aproxima. Allyson já disse, em claro e bom som, que vai provar a todos e a quem duvidar que elegerá o ex-vereador Soldado Jadson deputado estadual e o vereador Lawrence Amorim deputado federal.

O prefeito vinha, realmente, exagerando na dose. Ele sabia que tinha que realizar o Mossoró Cidade Junina. E a todo custo. Era uma questão de garantia de vida política. Afinal, 2022 é ano eleitoral e ele tem que, necessariamente, mostrar que tem força política. Daí ele não ter dado a atenção necessária à questão da Covid-19. Allyson Bezerra desativou o Centro de Testagem Covid-19, que estava localizado no Ginásio Pedro Ciarlino. Não levou em consideração o aumento dos casos de pessoas infectadas, tampouco o número de internação e de pessoas que estão entubadas. O foco dele era o Cidade Junina.

O prefeito pensa que Mossoró é uma cidadezinha localizada nos cafundós, onde não existe fiscalização e onde não vigora nenhuma lei, a não ser a de quem está na Prefeitura.

A segunda maior cidade do Rio Grande do Norte não pode ser administrada como quem toma de conta de um botequim qualquer. O cidadão merece respeito, atenção e consideração.

Usar o evento para promoção política é desnecessário. É atentar contra todos.

E ainda mais: pagar artistas para entoarem músicas que lembrem a campanha municipal passada é afrontar todos os princípios éticos. A cada show os artistas eram praticamente obrigados a darem alô para o prefeito. Algo que só se percebe em poucas cidades onde impera o "cabrechismo" - voto de cabresto.

Como muito dizia a saudosa ex-governadora Wilma de Faria: "Sostô"!


sábado, 18 de junho de 2022

Allyson Bezerra abandona periferia de Mossoró

A periferia sofre com a falta de atenção do poder municipal. Enquanto a mídia oficial se refestela em anunciar obras de pavimentação como sendo com recursos próprios, embora a verba venha de emenda federal, a Prefeitura Municipal nada faz em áreas periféricas, onde a carência de tudo se acentua. A começar pela falta de, como já foi dito, atenção.

No loteamento Alto das Brisas, localizado no Rincão, por exemplo, moradores que possuem veículos são obrigados a, diariamente, fazer malabarismo em duas ou quatro rodas. A principal rua de acesso ao loteamento, a Pinhão, está repleta de buraco. A pavimentação cheia de desnível, acarretando problemas em carros e motos.

O abandono se constitui em elevado índice. Tudo porque o prefeito esteve, ano passado, no local e anunciou alguns benefícios que nunca chegaram, como operação tapa buraco, plantio algumas plantas e limpeza em geral. Foi feito apenas a pintura no meio fio em duas ou três ruas. Nada mais. O buraco para as plantas foi cavado. Mas ficou nisso.

Diante da ausência e inoperância da Prefeitura de Mossoró, alguns cidadãos resolveram agir por conta própria. Para amenizar o problema, moradores chegaram a fechar alguns buracos com cimento. Como houve chuvas intensas, a buraqueira tomou conta.

Quem entra no loteamento e vai pela Rua do Pinhão vai perceber que um galho foi colocado em um buraco para alertar sobre o perigo.

E já se tem movimentação de moradores que pretendem entrar com ação coletiva contra a Prefeitura, no sentido de obrigar algum investimento no loteamento. A Prefeitura recebe verba do IPVA, seja de moto ou carro, e o imposto não se volta em benefícios para os moradores.

terça-feira, 14 de junho de 2022

Surto de Covid em Mossoró expõe erro de gasto recorde no São João


O blog não é contra festa junina. Não é contra a diversão de quem ficou mais de dois anos longe de eventos. Não é contra evento algum. Até porque quem realiza alguma festa nesse período é o poder público, seja municipal, estadual ou federal. E, para tal, deve ter algum embasamento científico, das autoridades sanitárias local, estadual e nacional. Contudo, pelo que se percebe em Mossoró, nada disso foi levado em consideração.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Belo Horizonte, amanheceu entubibada de pessoas à procura de testes Covid-19. O Governo do Estado, diante do aumento de novos casos no Estado, já avisou que vai abrir novos leitos para atender quem precisar. E por aqui não se escuta falar em nenhuma ação por parte da Prefeitura de Mossoró.

Infelizmente não se tem nadica de orientação do poder público municipal sobre procedimentos que devam ser levados e consideração por quem visita a Estação das Artes, quem vai assistir ao espetáculo Chuva de Bala ou a Cidadela.


segunda-feira, 13 de junho de 2022

Será que existe 'Gabinete do Ódio' em Mossoró?

O Ministério Público deveria prestar atenção em alguns grupos de WhatsApp e em algumas redes sociais onde surgem figuras (talvez) a mando do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) para denegrir jornalistas, jornais, blogs e portais que criticam a gestão municipal. Ninguém, em sã consciência, acredita na ideia de que um cidadão comum vai sair em defesa de alguma gestão. Só na mente de algum gabinete doentio. Daí a necessidade de investigar se o que está ocorrendo nas redes sociais está sendo financiado pela verba pública. Porque pagando, com certeza, alguém está.

É bom saber se existe em Mossoró, tal qual em Brasília, algum "Gabinete do Ódio" para desconstruir moralmente quem não coaduna com os erros da gestão mossoroense. Qual o cidadão que vai gostar de saber que, por exemplo, a Prefeitura de Mossoró pagará duas vezes (ou mais) por uma mesma obra? Foi assim com parte do piso (orçado em mais de R$ 3 milhões, pelo menos é o que consta da placa afixada em na lateral da Estação das Artes Elizeu Centania). E está sendo assim com uma ponte que desmoronou na Ilha de Santa Luzia, onde foi investido mais de R$ 2 milhões.

Com isso, o blog volta a dizer: está na hora do Ministério Público investigar o que acontece no Palácio da Resistência e cobrar explicações a quem de direito for sobre esses casos. Estapafúrdios, verdade seja dita.

Ainda mais agora quando os prédios públicos assumem o azul da campanha do então candidato Allyson Bezerra. Todo e qualquer estudante de Direito sabe que existe a famosa Hermenêutica, ligada à interpretação. E uma cor, se usada politicamente, como acontece em Mossoró, vai ligar diretamente a quem a usa. No caso, o prefeito está usando verba pública para pintar prédios públicos com a cor que lhe identifica. Pode ser besteira para alguns, mas para quem entende do riscado, com certeza, sabe que existe algo de muito errado na história.


sexta-feira, 10 de junho de 2022

Como previsto, piso intertravado desmonta na estação; custo foi de R$ 3,1 milhões

Até agora o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) não realizou uma ação que não precisasse ser refeita, alterada, transformada ou que não fosse objeto de críticas.

A tão propagada obra na Estação das Artes Elizeu Ventania e que custou exatos R$  3.161.821,51 (do Finisa) e a bolada vez. Sim, a mesma obra que inaugurada recentemente. O blog fala, claro, do piso intertravado.

O piso não resistiu a primeira ao primeiro evento e precisou ser refeito parcialmente.Logo nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira se observou trabalhadores atuando para evitar chacota maior.

Uma equipe da construtora foi, claro, convocada para remontar as peças para a festa do desta sexta-feira.



 

quinta-feira, 9 de junho de 2022

Melhor nota no vestibular da Anhanguera Mossoró terá 100% de desconto

A Faculdade Anhanguera Pitágoras de Mossoró está com uma oportunidade única para quem tem o sonho do curso superior, visando mudar totalmente de vida ou se preparar para o futuro, que está cada vez mais perto: de 9 a 12 deste mês será realizado vestibular que garante 100% de desconto para o candidato ou candidata que obtiver maior pontuação.

Para se inscrever basta clicar aqui. Caso o candidato ou candidata queira saber mais sobre o vestibular, basta visitar a unidade, que fica localizada na Avenida Diocesana, bem próximo ao Big Bom Preço e na lateral da Casa do Estudante.

A Faculdade Anhanguera pertence ao grupo Kroton, que tem atuação marcante na educação superior no Brasil há mais de 50 anos. A Unidade de Mossoró oferta cursos semipresenciais e 100% Ead.

São mais de 200 cursos. Não deixe essa oportunidade passar. Escolha o que se adequa à sua personalidade e mude de vida.

Quarta onda da Covid-19 já gera entubação na UPA do BH

A Sala Vermelha da Unidade de Pronto Atendimento localizada no bairro Belo Horizonte já anuncia sinal de alerta e com as primeiras entubações. É que novas vítimas da Covid-19 estão surgindo na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, dando vazão ao que se chama de "auarta onda" da doença transmitida pelo novo Coronavírus. A Secretaria Municipal de Saúde já reconheceu que existem 30,75% de casos confirmados, envolvendo, claro, pessoas que procuram a UPA para realizar o teste. Isso somente neste mês de junho.

É um índdicador alarmante. Ainda mais quando as notícias que surgem da UPA do Belo Horizonte não são nada boas. A equipe técnica e médica que atua na unidade está em alerta. E, claro, temem o óbvio: como houve aglomeração considerável na Avenida Rio Branco durante o Pingo da Mei Dia, evento realizado pela Prefeitura de Mossoró para dar início ao Mossoró Cidade Junina, a tendência é que Mossoró tenha, claramente, surto da Covid-19 em escala considerável.

Ainda mais quando não se tem nenhuma sinalização da Prefeitura de Mossoró em rever a programação alusiva ao evento junino. Nem diante do Governo do Estado publicando decreto em orientação ao uso da máscara em locais fechados e ou onde houver aglomeração houve indicativo da Prefeitura de Mossoró em seguir o mesmo caminho. 

Infelizmente o quadro é nacional e as autoridades sanitárias alertam para os cuidados básicos.

Em Mossoró, é preciso que haja mudança de posição administrativa em relação ao Cidade Junina. O risco da quarta onda nunca foi descartada e agora chegou. A administração municipal parece que não levou em consideração ao que vinha sendo alertado pelas autoridades sanitárias e aumentou, desnecessariamente, o investimento no evento.

O Cidade Junina vai passar e a fatura relacionada à Covid-19 será cobrada, claro, do prefeito Allyson Bezerra. Ele, mesmo sabendo dos riscos, preferiu esnobar a ameaça sanitária e vai ter que assumir, também, o ônus.


segunda-feira, 6 de junho de 2022

Mossoró teve o Pingo mais descaracterizado da história


Reconheça-se que o Pingo da Mei Dia não precisa de nenhum papagaio de pirata. O evento, por si, brilha. Assim como o Mossoró Cidade Junina. O prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) tem bradado nas redes sociais que este foi o maior Pingo que Mossoró já teve. Em termos de público, sim. E em termos de descarcterização também.

Foi o Pingo mais descaracterizado da história. A Avenida Rio Branco, em nenhum momento, lembrou que ali estava acontecendo um evento que antecede aos festejos juninos. Sim, foi uma multidão à avenida. Assim como em anos anteriores. As pessoas ficaram pouco mais de dois anos esperando algo do tipo. E quando veio, foi logo com Bel Marques. E fica o questioamento: foi Bel ou o prefeito que atraiu as pessoas?

O blog não tem nada contra as atrações contratadas pela Prefeitura de Mossoró para animar o Pingo do Mei Dia. Mas em nada lembrava o evento em si.

Talvez a falta de decoração tenha sido proposital. O titular deste espaço ouviu algum político de Governador Dix-sept Rosado comentar que o prefeito mossoroense não aceita que ninguém tire dele a palavra final. De maneira, então, que se credite ao prefeito, e não ao secretário de Cultura, a falta de caracterização do evento.

Allyson Bezerra, conhecido como "a palavra de rei", quer sempre dar a última palavra. E, com isso, tem misturado alho com bugalho. Pois ele não entende de tudo. O mico do vídeo feito em sala de cirurgia feminina que o diga.

Dizer que mais de 200 mil pessoas estavam na Avenida Rio Branco é um exagero do prefeito. Diga-se de passagem, ele está sendo conhecido, regional e estadualmente, como o prefeito megalomaníaco. Ele não reconhece que o Pingo da Mei Dia, assim como o Mossoró Cidade Junina, é uma construção cultural que começou lá atrás. Não é de agora.

Frise-se que a Avenida Rio Branco não comporta 200 mil pessoas. Não tem espaço para acomodar tanta gente. Allyson tem tanta mania de grandeza que quer que o evento supere o público que prestigia a procissão de Santa Luzia. Pinóqui perde. E feio!


domingo, 5 de junho de 2022

O vaqueiro e seu 'papagaio de pirata', um projeto que não decola


Entra ano e sai ano, as mudanças ocorrem, mas tem uma coisa que não muda: a cada eleição surgem personagens que marcam o pleito de maneira geral. Embora o calendário eleitoral não tenha sido aberto e não se possa fazer campanha propriamente dita, todos os que estão de olho no pleito seguem o plano 2022. 

Em Mossoró uma dupla começa a se destacar: o vaqueiro e seu papagaio de pirata. O primeiro e uma personagem criada pelo prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) ainda na campanha eleitoral. Trata-se de uma tentativa dele de aludir que, ao fato de ter nascido no Nordeste brasileiro, estaria inserido no contexto de produtor rural, de trabalhador rural, de homem que tem o costume de lidar com a roça  de maneira geral.

Contudo, todos sabem que, apesar de ter origem no campo, ele já faz parte do contexto urbano. Com isso, a personagem acaba descambando para o "descontexto", pois vaqueiro que se preza não quer passar a ideia de que seria uma mera personagem. 

Nessa onda de personagem da eleição, surge o papagaio de pirada do vaqueiro. O ex-vereador Soldado Jadson quer, a todo custo, pegar carona em uma suposta popularidade que Allyson teria. Acontece ele ainda não decolou. Para piorar o cenário, o ex-vereador tenta copiar o que o prefeito tenta ser: uma personagem chegar bem próximo do caricaturismo.

Jadson foi vereador. Não teve projeção nem destaque. Um parlamentar inexpressivo, na verdade. Agora, talvez aconselhado pelo suposto vaqueiro, pensa que pode ser deputado estadual. E não e trata aqui de nenhum desdem sobre essa possibilidade. Sim, qualquer pessoa pode ser candidatar, mas em se tratando de uma campanha, o real e o imaginário não pode se confundir.

E talvez o vaqueiro seja obrigado a mudar a tática de uma hora para outra. Como todo mundo sabe, os planos dele era colocar a primeira-dama como candidata a deputada estadual. Houve pressão e a desistência veio. Agora, talvez, com o inexpressivo projeto de Jadson, o vaqueiro mude de ideia. Ou então segue no plano de ver o fiasco tomar conta desse projeto.

 

quinta-feira, 2 de junho de 2022

Folha de S. Paulo destaca Pedido do MP para contratar professores auxiliares para crianças autistas em Mossoró

O valor do cachê anunciado pela Prefeitura de Mossoró a Wesley Safadão e Xand Avião põe em xeque o decreto de calamidade financeira na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, sendo R$ 600 mil para Wesley e R$ 400 para Xand. Por aí já se tira, um pouco o crédito dos decretos que têm sido mantidos pelo prefeito Allysn Bezerra (Solidariedade). Caso a crise fosse procedente, a Prefeitura não iria ter essa despesa.

Aliado a isso e para piorar a situação, a Prefeitura de Mossoró vem se omitindo diante de um problema grave na educação: a falta de profissionais específicos para atuar em sala de aula. É que em dois anos de pandemia, a educação básica ficou fragilizada e o distanciamento social apenas acelerou situação que seria, posteriormente, analisada e enfrentada: crianças e jovens estão cada vez mais inseridos na introspecção, deixando claro a suposta existência de problemas psicológicos, educacionais e sociais.

Por conta disso, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) entrou com ação pública para cancelar os shows de Wesley Safadão e Xand Avião. O MPRN entende que o dinheiro que a Prefeitura de Mossoró pagaria os dois artistas seria suficiente para resolver o problema da falta de professores.

A Prefeitura rebateu a decisão do MPRN e disse que a ação não se sustenta, juridicamente falando. Ocorre que a não-sustentação de alguma ação judicial não pode ser afirmada por uma simples nota enviada pela Secretaria Municipal de Comunicação Social.

É preciso que a Prefeitura de Mossoró esclareça os motivos. A tese de que tem contratado estagiários para sanar a falta de professores não indica que o problema está resolvido. Professor é uma coisa e estagiário é outra coisa. Até porque estagiário precisa que a sala de aula seja comandada por um professor.

Além do mais, a Prefeitura falar que tem feito seleção para contrato temporário também não resolve o problema. O profissional que faz uma seleção não tem a obrigação de ficar até o final do contrato caso seja aprovado em algum concurso público.

O que a Prefeitura de Mossoró está fazendo é protelar a solução de um problema. O que resolveria, em definitivo, seria um concurso público. O prefeito Allyson Bezerra passou 2021 sem fazer nada pela educação.

O assunto relacionado à ação do MPRN repercutiu nacionalmente. A Folha de São Paulo, por exemplo, noticiou a situação. E expôs para quem quisesse ler a situação de Mossoró, onde um prefeito prioriza shows artísticos em detrimento da educação.

E alguém até pode dizer: sim, mas o Cidade Junina movimenta o turismo. E o blog responde: sim, mas investir na educação de crianças e jovens é fazer com que o desenvolvimento, no futuro, seja bem maior do que algo momentâneo.

quarta-feira, 1 de junho de 2022

Josué Moreira assume comando do PL em Mossoró


O Professor Josué de Oliveira Moreira passou a comandar o diretório do Partido Liberal (PL) em Mossoró. Ele assume com a responsabilidade de liderar a campanha do partido no município, que conta com dois pré-candidatos para deputado Estadual e um pré-candidato para deputado federal.

A escolha do nome de Josué foi publicada no Tribunal Superior Eleitoral nesta quarta-feira (1). "Espero que eu possa fazer um bom trabalho e representar bem o partido na cidade de Mossoró e região, expandindo para as cidades circunvizinhas", destacou, agradecendo ao deputado federal João Maia pela escolha por seu nome.

"Agradeço a João Maia pela confiança no sentido de nos dar essa oportunidade de estar conduzindo o destino do PL em Mossoró, para que os candidatos sejam muito bem votados, e consigam representar nossa cidade", disse.

terça-feira, 31 de maio de 2022

Inauguração de obra inacabada é apenas para tirar tapume da Rio Branco

A inauguração da parte externa do Teatro Municipal Dix-huit Rosado,  de melhorias feitas no Memorial da Resistência e a pintura da Praça da Convivência seerá feita em um mesmo dia, ainda esta semana. Foi desculpa externada pelo prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) ao suspender a inauguração prevista para a noite da segunda-feira (da pintura da Praça da Convivência). Um planejamento que suspendeu outro e que resultou, claro, na falta de um. Sim, porque se já estava tudo certo não teria motivo para cancelar o evento.

A desculpa não colou. E a verdade é que a Prefeitura de Mossoró não planejou o evento Pingo da Mei Dia como deveria. Vamos raciocinar: a Avenida Rio Branco está cheia de tapumes. O cidadão que quisesse apenas observar o evento não teria espaço algum e seria obrigado a entrar na chamada "pipoca", que vai atrás do trio elétrico.

O prefeito Allyson Bezerra percebeu a meleca que iria ser e resolveu cancelar a inauguração da segunda-feira. Mas a ideia é uma só: deixar a avenida Rio Branco bonita para o visitante e passar a imagem de que ele é um bom gestor, que cuida da cidade, isso e aquilo. Pode até funcionar. Mas quem é de Mossoró sabe que, por exemplo, a inauguração da Praça da Covivência e do Teatro Municipal Dix-huit Rosado será apenas de fachada. Sim, porque os dois equipamentos não terão nenhuma condição de funcionamento (leia matéria sobre a Praça da Convivência).

Então, o blog imagina que foi apenas uma maneira que o prefeito encontrou para amenizar a falta de planejamento relacionado ao evento em si. Com a avenida Rio Branco cheia de tapume não rolava. E olhe lá se der tempo para concluir os serviços da parte externa que ele quer inaugurar. O prefeito passou o ano de 2021 praticamente com essas obras em banho maria e agora veio a famosa lei do retorno.


Lawrence Amorim atrasa repasse ao Previ-Mossoró

O presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Lawrence Amorim (Solidariedade), não faz o repasse previdenciário, o patronal, ao Previ Mossoró há três meses e está com um débito de R$ 130 mil. Ele tentou parcelar a dívida, mas o presidente da entidade (previ Mossoró), Paulo Linhares, não aceitou.

O assunto veio à tona em publicação no Jornal Oficial do Município e foi tema de reunião da Previ-Mossoró em 17 de maio que passou.

O atraso no repasse ao instituto Previ-Mossoró pode ser um calo para Lawrence Amorim.

Ainda mais em ano eleitoral, quando os mínimos detalhes são apresentados e questionados. Lawrence é pré-candidato à Câmara Federal.

No mínimo o presidente da Câmara Municipal de Mossoró tem o dever de explicar sobre o atraso e dizer porque houve tal situação.

Falar em aumento de despesas não cola. Falar em aumento no número de vereadores também não.

O destino do que é repassado ao Previ e que não chegou ao seu destino deve  muito bem explicado pela Câmara Municipal.

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Prefeito suspende inauguração e expõe falta de planejamento

A inauguração da Praça de Convivência, prevista para esta segunda-feira (30/05), foi cancelada pelo prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade). Alegou-se que o ato ocorreria ainda esta semana e que uniria mais dois equipamentos públicos: o Teatro Municipal Dix-huit Rosado e o Memorial da Resistência.

Cá com os seus botões, o blog pensa que o critério para o cancelamento da inauguração não seria mesmo o alegado pela Prefeitura. Até porque uma Prefeitura do porte de Mossoró precisa, de, no mínimo, planejamento para seus atos inaugurais. E se houve o cancelamento, indica dizer que houve pressa do prefeito em apresentar ao cidadão alguma resposta.

E mais: as inaugurações que o prefeito pensa em concretizar ainda essa semana, conforme informação divulgada pela Prefeitura de Mossoró, serão, como se diz no popular, “meia boca”. Ou seja: o prefeito vai entregar obras incompletas, como a própria praça (leia aqui).

A administração Allyson Bezerra cai em descrédito com essa situação. Passa a imagem de amadorismo total e coloca em xeque serviços que fazem a diferença na vida do mossoroense de maneira geral.

O blog torce, sinceramente, que o prefeito encontre o tino da sua gestão e deixe os desatinos para os amadores. Afinal, ele vive se autopromovendo o tempo todo. Torcemos que a administração atual não se transforme no maior fiasco da história política a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

‘A coragem é a chave para vencer qualquer medo’


Arton Bezerra Peixoto, 27, tinha o sonho de ser dono do próprio negócio. Quase no final do ano passado ele foi dispensado da empresa onde trabalhava e, tão logo isso aconteceu, resolveu dar vazão ao projeto que estava na sua mente desde cedo. E, em dezembro, abriu uma clínica odontológica, tendo como sócio um profissional da área. Hoje, passado alguns meses, ele analisa que foi a decisão mais certa que tomou. Nesta entrevista, ele conta um pouco da sua experiência e enfatiza que existem obstáculos para quem quer empreender. Mas diz que a pessoa não pode desistir. Graduado em Administração de Empresas e com especialização em Gestão Comercial e em cursos na área da Saúde, Airton enfatiza que existem poucos jovens empreendedores na área que atua e que, apesar das dificuldades iniciais, diz que não se vê atuando em outra área. Leia a entrevista abaixo:

 

O jovem tem encontrado dificuldade em espaço no mercado de trabalho formal. O caminho seria o empreendimento?

Existe, sim, uma dificuldade muito grande do jovem de buscar trabalho no mercado hoje em dia. O mercado de trabalho exige muito. E muitas vezes a exigência é tanta que muitos jovens não conseguem um trabalho básico por diversos motivos: falta de estudo, família desestruturada, falta de apoio dos equipamentos públicos e diversos outros. O que muitas vezes levam muitos jovens a buscarem trabalhar por conta própria, e tem também aqueles que nascem com o espírito empreendedor, como é meu caso, sempre desde pequeno, sempre tive um sonho de ter o meu próprio negócio e de liderar uma equipe. Já fui líder de grupos em igreja, de sala. Lembro bem que quando eu entrava numa disputa, os outros candidatos desistiam, pois sempre eu ganhava a eleição por maioria absoluta, sempre tive o poder de influenciar e gosto do que faço. Mas, como eu estava dizendo, o que muitas vezes levam o jovem a empreender é justamente a falta de oportunidade no mercado de trabalho.

 

A palavra empreender está em evidência e fala-se que os jovens deveriam se voltar para o empreendimento. Existe, realmente, espaço, para o empreendedorismo?

Existe, sim. Empreender não quer dizer que você já vá montar uma grande empresa, contratar muitos funcionários e ganhar muito dinheiro. Empreender é muito mais amplo que isso. Um dos requisitos é ter visão. Você pode empreender sendo funcionário de uma empresa, vendendo pipoca na rua, vendendo sanduíche, vendendo açaí, mas você precisa ser criativo para se diferenciar dos outros e conquistar o diferente. Existem muitas pessoas que, com o básico, conseguem se destacar e ser empreendoras de acordo com sua realidade.

 

Você é graduado em Administração e está atuando em uma clínica odontológica. O que te fez migrar empreender em uma área totalmente diferente da tua?

Eu não costumo dizer que estou atuando em uma área diferente da minha. Quem se forma em administração por amor e gosta da área sai preparado para administrar qualquer instituição, seja ela de saúde ou não. O curso de Administração é amplo. Vemos de tudo. E o que conta também são meus anos de experiência na área.

 

Existem outros casos de jovem empreendedor na Odontologia sem ser graduado na área?

São raros. Geralmente quem empreende na área odontológica são odontólogos, ou pessoas mais maduras, que se envolvem no segmento e com alguns anos veem que é viável e decidem investir. Em outros Estados é mais comum recepcionistas, gerentes formarem sociedade e investirem em clinicas. No meu caso, fui mais ousado. Não peguei uma estrutura pronta. Comecei do zero, onde eu mesmo era quem atendia e fazia a limpeza da clínica, além de ajudar aos dentistas no que tivesse dentro das minhas possibilidades. Com o tempo, fui ampliando e montamos nossa equipe.

 

Quais os obstáculos para quem quer empreender?

Alguns dos obstáculos é o medo da incerteza, que nos faz fazer as perguntas: será que vai dar certo?  Eu devo largar o certo para ir em busca do incerto? A coragem é a chave para vencer qualquer medo e ir em busca dos nossos objetivos. Chegou um determinado ponto que eu tomei a decisão de enfrentar os medos e lutar. E graças a Deus, tomei a decisão certa.

 

Qual o passo a passo para quem quer empreender e ser dono do próprio negócio?

Para todo e qualquer empreendimento dar certo é bom, primeiro e antes de tudo, fazer o planejamento. Ao se preparar, é bom a gente anotar todas as ideias, economizar e não gastar com coisas desnecessárias. Claro que é preciso buscar entender o ramo, calcular os riscos, ser persistente e, se possível, ter uma reserva que cubra suas despesas para seis. Isso para poder fazer com que o negócio avance sem muitas despesas no início.

 

Obviamente que quando se fala em ser “dono do próprio negócio” alguns critérios devem ser levados em consideração. Quais você destacaria?

Empatia é a palavra que mais uso no meu vocabulário. Quando nos colocamos no lugar das pessoas, temos a oportunidade de ver as coisas de um outro ângulo. Essa empatia, de sempre buscar o melhor, dá satisfação e nos possibilita entender que, apesar das pessoas as vezes serem difíceis, elas estão ali para nos mostrar que sempre podemos ser melhores. E isso atribui a líderes, a funcionários, a clientes. Atribuo às pessoas, de uma forma geral. Quando se tem empatia, o ambiente se torna mais humanizado e os clientes se tornam seus amigos. Cria-se um vínculo que faz bem ambas a partes.

 

Quais erros mais comuns se percebe no empreendedorismo?

Achar que você pode fazer tudo sozinho, que você não precisa de ninguém, que chegou aonde chegou por mérito próprio. E nós sabemos que ninguém chega a lugar nenhum sozinho. Sempre devemos ter a convicção que por trás de nós, sempre vai existir um alguém, ou um grupo que foi ou é responsável pelo nosso sucesso.

 

Ser empreender é sinônimo de mudança de comportamento e no trato com as pessoas?

Para mim não muda nada em relação ao meu relacionamento com as pessoas. O que mudou foi o peso da responsabilidade de saber que muitas pessoas dependem das minhas decisões, errando ou acertando e que a cada dia é um desafio novo, que precisamos ter jogo de cintura para os desafios, e sempre acreditar que tudo vai dá certo.

 

Agora, depois de alguns meses com o próprio negócio, o que você diria para quem quer empreender?

Que tenha humildade, pé no chão, coragem e não ter medo de nada nem de ninguém. Se você tem um sonho, lute e vá em busca dele. Com certeza, você consegue. Não tenha medo das portas que se fecham, muitas outras abrem e tudo quando não se vem para agregar, vem para ensinar.

Prefeito inaugura obra que pode não ter serventia alguma

A Praça da Convivência será reinaugurada nesta segunda-feira, 30/05, pelo prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade). A parte a ser reinaugurada, conforme o blog tem acompanhado pelo projeto que previu a obra no local, é só a parte externa, como pintura e calçada. A interna, nada muda. Tudo continua como antes. Até porque a licitação que se voltava aos serviços foi feita em dezembro, deixada ainda pela gestão Rosalba Ciarlini (PP).

O ato inaugural desta noite será idêntico ao de um teatro que não se pode utilizar o palco. Ou seja: não terá serventia alguma. Como não se viu nenhuma publicação relacionada a um pregão, voltado para escolha de uma empresa para administrar a Praça de Convivência, entende-se que tudo ficará como sempre esteve nestes últimos meses: sem cliente, sem comida e sem movimento.

Pelo projeto elaborado para uso dos recursos do Finisa, haveria a licitação e posteriormente, um pregão para que uma empresa fosse selecionada para administrar o local e, assim, definir como seria a parte interna. É que cada estabelecimento tem sua particularidade: uma pizzaria não pode ter a mesma particularidade envolvendo uma sorveteria, por exemplo.

Além disso, a parte da segurança, banheiros e limpeza não foi resolvido, com relação à manutenção. Então, a pergunta que fica é: por quais motivos o prefeito insiste em ato inaugural sem a devida completude da obra? Foi assim com o piso da Estação das Artes. Sim, isso mesmo: houve a inauguração de um piso.

O blog lembra que foi feito um contato com o Sebrae, na gestão Rosalba, visando se detectar as peculiaridades comerciais de cada empreendimento que viesse a ocupar a Praça da Alimentação. Funcionaria como um shopping a céu aberto.

O blog foi informado que a licitação feita para a obra na Praça da Convivência foi a mesma deixada pela gestão Rosalba Ciarlini, assim como a do Memorial da Resistência e o asfalto da avenida Dom Elder.

O prefeito simplesmente está inaugurando obra que não pode funcionar. Ao menos que tenha havido pregão, que ninguém viu nem leu, para escolha de empresa para administrar o empreendimento.

 


Allyson ‘surfa’ no trabalho de Rosalba com obras do Finisa

O prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) tem até dezembro deste ano para tirar proveito dos recursos do Finisa. A verba assegurada pela ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP) tem prazo para ser utilizada em dois anos. Como ela não pôde iniciar os serviços em 2020, por ser ano eleitoral, e o prefeito passou 2021 sem assentar uma pedra de paralelepípedo, o “sonho de boa gestão” termina este ano para o prefeito.

A partir de janeiro de 2023, sem verba do Finisa e com o orçamento praticamente comprometido com aspectos da administração (folha de pagamento e outras obrigações legais), é que Allyson Bezerra terá seu momento de mostrar, definitivamente, que é o “melhor prefeito que Mossoró já teve.” Sim, porque a mania de grandeza faz parte do seu vocabulário.

Mesmo que ele esteja economizando nos projetos do Finisa, como é o caso da obra feita na Estação das Artes Elizeu Ventania, que ficou sem palco e camarote fixos, o prefeito não vai poder utilizar a verba economizada em 2023. No caso da Estação, o que fica é a inauguração do piso. E nada mais. O projeto original previa, como já foi dito, palco e camarote fixos, piso lateral de tijolos entrelaçados e asfalto no meio.

Resta saber como ficará o Teatro Municipal Dix-huit Rosado. Ali o maior problema está na parte interna. Quando for reinaugurado pelo prefeito é que a classe artística poderá conferir se houve melhora ou se foi feito apenas uma gambiarra, como aconteceu com o Hospital Psiquiátrico de Mossoró Dr. Milton Marques de Medeiros.

Carlos Eduardo deve usar 'colírio milagroso' ao falar para o eleitor


O ex-prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT) vai ter que expor bons argumentos para que o eleitor possa assimilar a ideia de que ele está na mesma chapa da governadora Fátima Bezerra (PT). No mínimo o pedetista vai dizer que fez uso de um milagroso colírio que o fez enxergar a competência administrativa de Fátima, algo que ele condenou nas eleições de 2018, quando disputou o Governo do Estado contra a petista.

A leitura que se faz é que Carlos Eduardo foi aceito pelo PT pelo fato de que o partido não quer apostar e precisa do apoio dele junto ao eleitorado da capital, onde Fátima Bezerra deixa a desejar, politicamente falando. Tirando esse aspecto, não existiria nada de benéfico para ele.

E é bom que se diga que a governadora Fátima Bezerra foi extremamente habilidosa ao aceitar a presença de um segundo Alves na chapa majoritária (o primeiro é o deputado federal Walter Alves, que será o candidato a vice-governador dela).

Ele era o único que ameaçava diretamente a reeleição dela. Tem quem diga, até, que Carlos Eduardo deixou o cavalo passar selado. Isso pelo fato do Governo Fátima não ter ido tão em quanto se esperava.

Agora, com o nome praticamente aceito pelo PT, Carlos Eduardo terá que se desdobrar para explicar mudança repentina de opinião em menos de quatro anos. O que será que ele vai dizer para passar para o eleitor que Fátima Bezerra é o melhor nome agora? Além disso, como explicar que na eleição de 2018 ele estava apoiando o então candidato Jair Bolsonaro, que vai tentar a reeleição este ano e tem como principal adversário o ex-presidente Lula, do PT?

sexta-feira, 27 de maio de 2022

Estação das Artes fica sem palco e camarote fixos


Um valor superior a R$ 3 milhões, verba do Finisa, está sendo investido na Estação das Artes Eliseu Ventania pela Prefeitura de Mossoró. A placa que sinaliza a obra, contudo, não informa quais serviços estão sendo executados e alude que os trabalhos têm prazo de oito meses. E só. Não fala a fonte dos recursos. São poucas as informações publicizadas, deixando a transparência a desejar e abre margens para especulações diversas. Sendo uma delas a seguir: quanto, verdadeiramente, vai ser investido na Estação das Artes?

A pergunta é pertinente porque quando se olha o quadro de valores informado pela Prefeitura de Mossoró à Caixa Econômica Federal, ainda na gestão da então prefeita Rosalba Ciarlini, existe um montante considerável para investimento em prédios públicos, bem como construção de equipamentos voltados para a cultura e ao lazer dos mossoroenses.

Para serviços de Construção e Manutenção das Áreas de Esporte e Lazer, por exemplo, o Finisa dispõe de R$ 11.222.255,99. Se a verba de pouco mais de R$ 3 milhões estiver dentro desse valor, implica dizer que a Prefeitura vai enfrentar dificuldade para concretizar outros benefícios na Avenida Rio Brancos, como a construção de uma arena de quadrilha junina.



O blog teve acesso ao projeto do Finisa e lá consta, por exemplo, que a Estação das Artes Elizeu Ventania será contemplada com a construção de um palco fixo, além de restauração na parte superior e construção de banheiros. Pelo que se divulga pela Prefeitura de Mossoró, apenas o piso e restauração parcial do prédio está em execução.

A princípio, o piso da avenida principal seria de asfalto e as laterais ficariam com blocos, como está agora. Tudo indica que o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) alterou o projeto: retirou o palco fixo, um camarote fixo e uma bateria de banheiros (feminino e masculino, com acessibilidade). O camarote fixo ficaria na parte lateral, próximo ao muro. O prédio é histórico e não pode sofrer alterações.

Rosalba descarta candidatura ao Executivo estadual

Não há nenhuma possibilidade da ex-governadora e ex-senadora Rosalba Ciarlini (PP) sair candidata ao Governo do Estado. Essa especulação vem ganhando corpo nos últimos dias, mas é rechaçada pela própria Rosalba. Ao blog, ela afirmou que essa cogitação não existe e vai manifestar interna e publicamente essa decisão ao partido. “Está fora dos meus planos”, comentou.

Rosalba acrescentou que, por dever e responsabilidade de quem recebeu a missão do eleitor de Mossoró e do Rio Grande do Norte a representá-lo por seis vezes, todas em eleições majoritárias, está acompanhando o momento pré-eleitoral, mas isso não quer dizer, necessariamente, que será candidata.

O blog questionou sobre a possibilidade de uma pré-candidatura às outras funções, comopor exemplo ao senado, a deputada federal ou estadual. O tom de convicção da negativa a esses cargos já não é tão enfático quanto à negativa de pré-candidatura ao executivo estadual

“Haverá discussão externa e interna (partidária). Mas não há possibilidade de eu ser candidata ao Governo do Estado por não haver essa pretensão da nossa parte”, afirmou Rosalba Ciarlini.


Foto: Jornal de Fato

quarta-feira, 25 de maio de 2022

'Mundo de Allyson' não vê problemas em Mossoró

O "mundo de Allyson" começa a desmoronar. Entre tantas idas e vindas, em pouco tempo de gestão, parece que a realidade criada pelo prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) começa a ser desfeita. Quem assiste ao anime Naruto, por exemplo, pode-se dizer que o jutso do prefeito encontrou um adversário à altura: a realidade. No ano passado, por exemplo,ele bradou aos quatro cantos da cidade que o problema do alagamento estaria resolvido. E seus assessores, pagos direta e indiretamente, listaram ruas e avenidas que teriam ficado livre dos transtornos provocados pela chuva.

Mas basta que chuvas intensas caiam em Mossoró para derrubar o "mundo de Allyson". Quem tentou trafegar pelas avenidas Dix-neuf Rosado e Diocesana, por exemplo, percebeu claramente que a famosa "mídia Smurf" - tão propagada no passado por quem, hoje, dela participa - mentiu descaradamente. Na Avenida Diocesana, a água chegou a invadir faculdade e escola. Na Dix-neuf Rosado, a conhecida Leste-Oeste, trafegar ficou impossível.

Mas o "mundo de Allyson" segue sua sanha. Tudo está ficando azul. De escolas à suposta realidade, que permanece cantada e decantada virtualmente. Mas o mundo real está mostrando que nem tudo é como se apresenta, via palavras falada e escrita.

Mossoró segue acompanhando esse mundinho à parte criado pelo prefeito e que só serve única e exclusivamente para tentar enfatizar um suposto domínio administrativo. Qualquer palavra dita vai surgir como ensaiada à exaustão. Tal qual o gesto que o prefeito faz nas suas fotos: externa um falso poder. O punho fechado e o chapéu de vaqueiro não colam mais. Só entusiasmam quem está sendo pago para aplaudir.

E, enquanto os aplausos seguem pela claque virtual, principalmente, Mossoró parede pela falta de gestão. O que será do "mundo de Allyson" quando a verba do Finisa acabar? O que o "mundo de Allyson" vai fazer quando não tiver mais recursos para pavimentação, fruto de emenda parlamentar?  Será que alguma lagarta azul (tal qual surge em Alice no País das Maravilhas) vai surgir para dizer ao prefeito que ele precisa mudar? E se surgir, não será uma mudança tendenciosa, já que o prefeito gosta do azul?

Enquanto a saga do "mundo de Allyson" carece de respostas, assim como os problemas que afetam Mossoró, o cidadão vai ficando à margem da realidade e vivenciando todo tipo de vexame.


Sem veracidade



Para piorar essa realidade do "mundo de Allyson", os auxiliares direto do prefeito não têm a menor preocupação em checar alguma notícia e o próprio prefeito passa uma informação mentirosa para a população. O blogueiro Ismael Sousa,por exemplo, chegou a comentar, ironicamente, que Mossoró seria alvo de ciclones tropicais. 



Foi o bastante para o prefeito twitar nas suas redes sociais, cuja postagem foi apagada posteriormente. Essa constatação passa a imagem de uma gestão despreparada para tudo. Até para checar a veracidade de alguma notícia. O que o prefeito Allyson Bezerra for dizer, de agora em diante, será verdade?