quinta-feira, 30 de junho de 2022

Vereadores pedem moralidade e transparência

 Em nota, vereadores comentam o aditivo de quase R$ 500 mil, publicado no JOM, para obra já entregue pelo prefeito Allyson Bezerra. Confira abaixo:

Mossoró, 30 de junho de 2022.

Os vereadores da Câmara Municipal de Mossoró, que subscrevem, tornam pública a tentativa de obstrução ou, no mínimo, de retardamento dos esforços parlamentares para esclarecer o episódio que envolve a formalização de um aditivo no valor de R$ 433.724,01, no contrato para reforma do Memorial da Resistência. Este aditivo foi assinado 1 dia antes da inauguração da obra, com publicação no Jornal Oficial de Mossoró, 6 dias após. O assunto foi levado ao plenário da Câmara Municipal, com ampla repercussão pela impressa e nas redes sociais. 

Neste dia 30 de junho de 2022, os vereadores presentes ou representados, após uma visita à Secretaria Municipal de Administração, estiveram na Secretaria Municipal de Infraestrutura, pela terceira vez em 2 dias, para solicitar acesso ao processo licitatório da referida obra. Apesar da solicitação formalizada por escrito, os parlamentares não puderam, sequer, ter acesso visual ao processo licitatório, cujo paradeiro ninguém sabia informar. 

A gestão municipal deveria entender, aceitar e contribuir para o cumprimento do dever constitucional da Casa Legislativa, que inclui a fiscalização da aplicação dos recursos públicos. É dever da Câmara e, sobretudo, da própria gestão municipal zelar pela transparência.

Resta aos 10 parlamentares da oposição e independentes, que subscrevem, solicitar a apresentação de cópia do mencionado processo licitatório, com base na Lei de Acesso à Informação. Além disso, na próxima segunda-feira, dia 4 de julho, a Comissão de Uso e Ocupação do Solo estará reunida para discutir e deliberar sobre os possíveis encaminhamentos que o caso requer. 

        Em cumprimento dos seus deveres, 


Carmem Julia Montenegro                                        

Francisco Carlos                                                           

Isaac da Casa                                                                

Lamarque Oliveira                                                       

Larissa Rosado                                                             

Marleide Cunha

Omar Nogueira

Pablo Aires

Paulo Igo

Tony Fernandes


quinta-feira, 23 de junho de 2022

Provável servidor terceirizado grava vídeos em defesa de Allyson Bezerra


Tem um cidadão que tenta a notoriedade na mídia virtual e ataca de "protetor" do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) contra quem critica o que deve ser criticado. O rapaz, que chegou a ser crítico ferrenho de Allyson até poucos meses parece ter utilizado de um colírio bastante comum em quem passa a enxergar o mundo de outra maneira. 

Conforme se pode observar no vídeo acima, o cidadão em questão é conhecido como Waldenberg Soares de Mendonça. Em seu comentário ele diz algo realmente pertinente, depois de criticar o que orientou o Ministério Público - para que o prefeito evite o uso desnecessário do palanque de shows e a exposição desnecessária, pois isso se configuraria como uso da máquina pública para promoção pessoal - disse que tem outras coisas que poderiam ser investigadas.

E realmente tem, rapaz do vídeo, como por exemplo saber quem lhe paga, onde você trabalha, para quem tabalha e o que você faz nas horas em que não está gravando vídeo em defesa de um prefeito que faz, sim, coisas erradas e que precisam ser evitadas para que não voltemos ao século 19.

O blog faz essas colocações porque o próprio Waldenberg informa, em suas redes sociais, que faz parte do Departamento de Urbanismo (Demurb) da Secretaria de Infraestrura.


O Ministério Público deveria, sim, investigar se a verba pública chega aos bolsos desse rapaz, seja direta ou indiretamente, ou se ele atua na Prefeitura de Mossoró por meio de alguma empresa terceirizada. E se trabalha na Secretaria Municipal de Infraestrutura, conforme o blog foi informado, o trabalho dele seria só esse que está no vídeo: fazer defesa de quem faz o errado.


MP atende vereadores e orienta prefeito a evitar discurso


O Ministério Público agiu acertadamente ao orientar que o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) evite usar a estrutura do Mossoró Cidde Junina como palco político. É que ele estava dando o famoso "migué" e discursando em praticamente todos os shows da Estação das Artes Elizeu Ventania. A promotora Patrícia Nunes Martins atendeu provocação feita por alguns vereadores.

Os parlamentares enxergaram o óbvio: o prefeito estava transformando o evento em instrumento para tirar vantagem política e, com isso, desequilibrar o pleito que se aproxima. Allyson já disse, em claro e bom som, que vai provar a todos e a quem duvidar que elegerá o ex-vereador Soldado Jadson deputado estadual e o vereador Lawrence Amorim deputado federal.

O prefeito vinha, realmente, exagerando na dose. Ele sabia que tinha que realizar o Mossoró Cidade Junina. E a todo custo. Era uma questão de garantia de vida política. Afinal, 2022 é ano eleitoral e ele tem que, necessariamente, mostrar que tem força política. Daí ele não ter dado a atenção necessária à questão da Covid-19. Allyson Bezerra desativou o Centro de Testagem Covid-19, que estava localizado no Ginásio Pedro Ciarlino. Não levou em consideração o aumento dos casos de pessoas infectadas, tampouco o número de internação e de pessoas que estão entubadas. O foco dele era o Cidade Junina.

O prefeito pensa que Mossoró é uma cidadezinha localizada nos cafundós, onde não existe fiscalização e onde não vigora nenhuma lei, a não ser a de quem está na Prefeitura.

A segunda maior cidade do Rio Grande do Norte não pode ser administrada como quem toma de conta de um botequim qualquer. O cidadão merece respeito, atenção e consideração.

Usar o evento para promoção política é desnecessário. É atentar contra todos.

E ainda mais: pagar artistas para entoarem músicas que lembrem a campanha municipal passada é afrontar todos os princípios éticos. A cada show os artistas eram praticamente obrigados a darem alô para o prefeito. Algo que só se percebe em poucas cidades onde impera o "cabrechismo" - voto de cabresto.

Como muito dizia a saudosa ex-governadora Wilma de Faria: "Sostô"!


sábado, 18 de junho de 2022

Allyson Bezerra abandona periferia de Mossoró

A periferia sofre com a falta de atenção do poder municipal. Enquanto a mídia oficial se refestela em anunciar obras de pavimentação como sendo com recursos próprios, embora a verba venha de emenda federal, a Prefeitura Municipal nada faz em áreas periféricas, onde a carência de tudo se acentua. A começar pela falta de, como já foi dito, atenção.

No loteamento Alto das Brisas, localizado no Rincão, por exemplo, moradores que possuem veículos são obrigados a, diariamente, fazer malabarismo em duas ou quatro rodas. A principal rua de acesso ao loteamento, a Pinhão, está repleta de buraco. A pavimentação cheia de desnível, acarretando problemas em carros e motos.

O abandono se constitui em elevado índice. Tudo porque o prefeito esteve, ano passado, no local e anunciou alguns benefícios que nunca chegaram, como operação tapa buraco, plantio algumas plantas e limpeza em geral. Foi feito apenas a pintura no meio fio em duas ou três ruas. Nada mais. O buraco para as plantas foi cavado. Mas ficou nisso.

Diante da ausência e inoperância da Prefeitura de Mossoró, alguns cidadãos resolveram agir por conta própria. Para amenizar o problema, moradores chegaram a fechar alguns buracos com cimento. Como houve chuvas intensas, a buraqueira tomou conta.

Quem entra no loteamento e vai pela Rua do Pinhão vai perceber que um galho foi colocado em um buraco para alertar sobre o perigo.

E já se tem movimentação de moradores que pretendem entrar com ação coletiva contra a Prefeitura, no sentido de obrigar algum investimento no loteamento. A Prefeitura recebe verba do IPVA, seja de moto ou carro, e o imposto não se volta em benefícios para os moradores.

terça-feira, 14 de junho de 2022

Surto de Covid em Mossoró expõe erro de gasto recorde no São João


O blog não é contra festa junina. Não é contra a diversão de quem ficou mais de dois anos longe de eventos. Não é contra evento algum. Até porque quem realiza alguma festa nesse período é o poder público, seja municipal, estadual ou federal. E, para tal, deve ter algum embasamento científico, das autoridades sanitárias local, estadual e nacional. Contudo, pelo que se percebe em Mossoró, nada disso foi levado em consideração.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Belo Horizonte, amanheceu entubibada de pessoas à procura de testes Covid-19. O Governo do Estado, diante do aumento de novos casos no Estado, já avisou que vai abrir novos leitos para atender quem precisar. E por aqui não se escuta falar em nenhuma ação por parte da Prefeitura de Mossoró.

Infelizmente não se tem nadica de orientação do poder público municipal sobre procedimentos que devam ser levados e consideração por quem visita a Estação das Artes, quem vai assistir ao espetáculo Chuva de Bala ou a Cidadela.


segunda-feira, 13 de junho de 2022

Será que existe 'Gabinete do Ódio' em Mossoró?

O Ministério Público deveria prestar atenção em alguns grupos de WhatsApp e em algumas redes sociais onde surgem figuras (talvez) a mando do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) para denegrir jornalistas, jornais, blogs e portais que criticam a gestão municipal. Ninguém, em sã consciência, acredita na ideia de que um cidadão comum vai sair em defesa de alguma gestão. Só na mente de algum gabinete doentio. Daí a necessidade de investigar se o que está ocorrendo nas redes sociais está sendo financiado pela verba pública. Porque pagando, com certeza, alguém está.

É bom saber se existe em Mossoró, tal qual em Brasília, algum "Gabinete do Ódio" para desconstruir moralmente quem não coaduna com os erros da gestão mossoroense. Qual o cidadão que vai gostar de saber que, por exemplo, a Prefeitura de Mossoró pagará duas vezes (ou mais) por uma mesma obra? Foi assim com parte do piso (orçado em mais de R$ 3 milhões, pelo menos é o que consta da placa afixada em na lateral da Estação das Artes Elizeu Centania). E está sendo assim com uma ponte que desmoronou na Ilha de Santa Luzia, onde foi investido mais de R$ 2 milhões.

Com isso, o blog volta a dizer: está na hora do Ministério Público investigar o que acontece no Palácio da Resistência e cobrar explicações a quem de direito for sobre esses casos. Estapafúrdios, verdade seja dita.

Ainda mais agora quando os prédios públicos assumem o azul da campanha do então candidato Allyson Bezerra. Todo e qualquer estudante de Direito sabe que existe a famosa Hermenêutica, ligada à interpretação. E uma cor, se usada politicamente, como acontece em Mossoró, vai ligar diretamente a quem a usa. No caso, o prefeito está usando verba pública para pintar prédios públicos com a cor que lhe identifica. Pode ser besteira para alguns, mas para quem entende do riscado, com certeza, sabe que existe algo de muito errado na história.


sexta-feira, 10 de junho de 2022

Como previsto, piso intertravado desmonta na estação; custo foi de R$ 3,1 milhões

Até agora o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) não realizou uma ação que não precisasse ser refeita, alterada, transformada ou que não fosse objeto de críticas.

A tão propagada obra na Estação das Artes Elizeu Ventania e que custou exatos R$  3.161.821,51 (do Finisa) e a bolada vez. Sim, a mesma obra que inaugurada recentemente. O blog fala, claro, do piso intertravado.

O piso não resistiu a primeira ao primeiro evento e precisou ser refeito parcialmente.Logo nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira se observou trabalhadores atuando para evitar chacota maior.

Uma equipe da construtora foi, claro, convocada para remontar as peças para a festa do desta sexta-feira.



 

quinta-feira, 9 de junho de 2022

Melhor nota no vestibular da Anhanguera Mossoró terá 100% de desconto

A Faculdade Anhanguera Pitágoras de Mossoró está com uma oportunidade única para quem tem o sonho do curso superior, visando mudar totalmente de vida ou se preparar para o futuro, que está cada vez mais perto: de 9 a 12 deste mês será realizado vestibular que garante 100% de desconto para o candidato ou candidata que obtiver maior pontuação.

Para se inscrever basta clicar aqui. Caso o candidato ou candidata queira saber mais sobre o vestibular, basta visitar a unidade, que fica localizada na Avenida Diocesana, bem próximo ao Big Bom Preço e na lateral da Casa do Estudante.

A Faculdade Anhanguera pertence ao grupo Kroton, que tem atuação marcante na educação superior no Brasil há mais de 50 anos. A Unidade de Mossoró oferta cursos semipresenciais e 100% Ead.

São mais de 200 cursos. Não deixe essa oportunidade passar. Escolha o que se adequa à sua personalidade e mude de vida.

Quarta onda da Covid-19 já gera entubação na UPA do BH

A Sala Vermelha da Unidade de Pronto Atendimento localizada no bairro Belo Horizonte já anuncia sinal de alerta e com as primeiras entubações. É que novas vítimas da Covid-19 estão surgindo na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, dando vazão ao que se chama de "auarta onda" da doença transmitida pelo novo Coronavírus. A Secretaria Municipal de Saúde já reconheceu que existem 30,75% de casos confirmados, envolvendo, claro, pessoas que procuram a UPA para realizar o teste. Isso somente neste mês de junho.

É um índdicador alarmante. Ainda mais quando as notícias que surgem da UPA do Belo Horizonte não são nada boas. A equipe técnica e médica que atua na unidade está em alerta. E, claro, temem o óbvio: como houve aglomeração considerável na Avenida Rio Branco durante o Pingo da Mei Dia, evento realizado pela Prefeitura de Mossoró para dar início ao Mossoró Cidade Junina, a tendência é que Mossoró tenha, claramente, surto da Covid-19 em escala considerável.

Ainda mais quando não se tem nenhuma sinalização da Prefeitura de Mossoró em rever a programação alusiva ao evento junino. Nem diante do Governo do Estado publicando decreto em orientação ao uso da máscara em locais fechados e ou onde houver aglomeração houve indicativo da Prefeitura de Mossoró em seguir o mesmo caminho. 

Infelizmente o quadro é nacional e as autoridades sanitárias alertam para os cuidados básicos.

Em Mossoró, é preciso que haja mudança de posição administrativa em relação ao Cidade Junina. O risco da quarta onda nunca foi descartada e agora chegou. A administração municipal parece que não levou em consideração ao que vinha sendo alertado pelas autoridades sanitárias e aumentou, desnecessariamente, o investimento no evento.

O Cidade Junina vai passar e a fatura relacionada à Covid-19 será cobrada, claro, do prefeito Allyson Bezerra. Ele, mesmo sabendo dos riscos, preferiu esnobar a ameaça sanitária e vai ter que assumir, também, o ônus.


segunda-feira, 6 de junho de 2022

Mossoró teve o Pingo mais descaracterizado da história


Reconheça-se que o Pingo da Mei Dia não precisa de nenhum papagaio de pirata. O evento, por si, brilha. Assim como o Mossoró Cidade Junina. O prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) tem bradado nas redes sociais que este foi o maior Pingo que Mossoró já teve. Em termos de público, sim. E em termos de descarcterização também.

Foi o Pingo mais descaracterizado da história. A Avenida Rio Branco, em nenhum momento, lembrou que ali estava acontecendo um evento que antecede aos festejos juninos. Sim, foi uma multidão à avenida. Assim como em anos anteriores. As pessoas ficaram pouco mais de dois anos esperando algo do tipo. E quando veio, foi logo com Bel Marques. E fica o questioamento: foi Bel ou o prefeito que atraiu as pessoas?

O blog não tem nada contra as atrações contratadas pela Prefeitura de Mossoró para animar o Pingo do Mei Dia. Mas em nada lembrava o evento em si.

Talvez a falta de decoração tenha sido proposital. O titular deste espaço ouviu algum político de Governador Dix-sept Rosado comentar que o prefeito mossoroense não aceita que ninguém tire dele a palavra final. De maneira, então, que se credite ao prefeito, e não ao secretário de Cultura, a falta de caracterização do evento.

Allyson Bezerra, conhecido como "a palavra de rei", quer sempre dar a última palavra. E, com isso, tem misturado alho com bugalho. Pois ele não entende de tudo. O mico do vídeo feito em sala de cirurgia feminina que o diga.

Dizer que mais de 200 mil pessoas estavam na Avenida Rio Branco é um exagero do prefeito. Diga-se de passagem, ele está sendo conhecido, regional e estadualmente, como o prefeito megalomaníaco. Ele não reconhece que o Pingo da Mei Dia, assim como o Mossoró Cidade Junina, é uma construção cultural que começou lá atrás. Não é de agora.

Frise-se que a Avenida Rio Branco não comporta 200 mil pessoas. Não tem espaço para acomodar tanta gente. Allyson tem tanta mania de grandeza que quer que o evento supere o público que prestigia a procissão de Santa Luzia. Pinóqui perde. E feio!


domingo, 5 de junho de 2022

O vaqueiro e seu 'papagaio de pirata', um projeto que não decola


Entra ano e sai ano, as mudanças ocorrem, mas tem uma coisa que não muda: a cada eleição surgem personagens que marcam o pleito de maneira geral. Embora o calendário eleitoral não tenha sido aberto e não se possa fazer campanha propriamente dita, todos os que estão de olho no pleito seguem o plano 2022. 

Em Mossoró uma dupla começa a se destacar: o vaqueiro e seu papagaio de pirata. O primeiro e uma personagem criada pelo prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) ainda na campanha eleitoral. Trata-se de uma tentativa dele de aludir que, ao fato de ter nascido no Nordeste brasileiro, estaria inserido no contexto de produtor rural, de trabalhador rural, de homem que tem o costume de lidar com a roça  de maneira geral.

Contudo, todos sabem que, apesar de ter origem no campo, ele já faz parte do contexto urbano. Com isso, a personagem acaba descambando para o "descontexto", pois vaqueiro que se preza não quer passar a ideia de que seria uma mera personagem. 

Nessa onda de personagem da eleição, surge o papagaio de pirada do vaqueiro. O ex-vereador Soldado Jadson quer, a todo custo, pegar carona em uma suposta popularidade que Allyson teria. Acontece ele ainda não decolou. Para piorar o cenário, o ex-vereador tenta copiar o que o prefeito tenta ser: uma personagem chegar bem próximo do caricaturismo.

Jadson foi vereador. Não teve projeção nem destaque. Um parlamentar inexpressivo, na verdade. Agora, talvez aconselhado pelo suposto vaqueiro, pensa que pode ser deputado estadual. E não e trata aqui de nenhum desdem sobre essa possibilidade. Sim, qualquer pessoa pode ser candidatar, mas em se tratando de uma campanha, o real e o imaginário não pode se confundir.

E talvez o vaqueiro seja obrigado a mudar a tática de uma hora para outra. Como todo mundo sabe, os planos dele era colocar a primeira-dama como candidata a deputada estadual. Houve pressão e a desistência veio. Agora, talvez, com o inexpressivo projeto de Jadson, o vaqueiro mude de ideia. Ou então segue no plano de ver o fiasco tomar conta desse projeto.

 

quinta-feira, 2 de junho de 2022

Folha de S. Paulo destaca Pedido do MP para contratar professores auxiliares para crianças autistas em Mossoró

O valor do cachê anunciado pela Prefeitura de Mossoró a Wesley Safadão e Xand Avião põe em xeque o decreto de calamidade financeira na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, sendo R$ 600 mil para Wesley e R$ 400 para Xand. Por aí já se tira, um pouco o crédito dos decretos que têm sido mantidos pelo prefeito Allysn Bezerra (Solidariedade). Caso a crise fosse procedente, a Prefeitura não iria ter essa despesa.

Aliado a isso e para piorar a situação, a Prefeitura de Mossoró vem se omitindo diante de um problema grave na educação: a falta de profissionais específicos para atuar em sala de aula. É que em dois anos de pandemia, a educação básica ficou fragilizada e o distanciamento social apenas acelerou situação que seria, posteriormente, analisada e enfrentada: crianças e jovens estão cada vez mais inseridos na introspecção, deixando claro a suposta existência de problemas psicológicos, educacionais e sociais.

Por conta disso, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) entrou com ação pública para cancelar os shows de Wesley Safadão e Xand Avião. O MPRN entende que o dinheiro que a Prefeitura de Mossoró pagaria os dois artistas seria suficiente para resolver o problema da falta de professores.

A Prefeitura rebateu a decisão do MPRN e disse que a ação não se sustenta, juridicamente falando. Ocorre que a não-sustentação de alguma ação judicial não pode ser afirmada por uma simples nota enviada pela Secretaria Municipal de Comunicação Social.

É preciso que a Prefeitura de Mossoró esclareça os motivos. A tese de que tem contratado estagiários para sanar a falta de professores não indica que o problema está resolvido. Professor é uma coisa e estagiário é outra coisa. Até porque estagiário precisa que a sala de aula seja comandada por um professor.

Além do mais, a Prefeitura falar que tem feito seleção para contrato temporário também não resolve o problema. O profissional que faz uma seleção não tem a obrigação de ficar até o final do contrato caso seja aprovado em algum concurso público.

O que a Prefeitura de Mossoró está fazendo é protelar a solução de um problema. O que resolveria, em definitivo, seria um concurso público. O prefeito Allyson Bezerra passou 2021 sem fazer nada pela educação.

O assunto relacionado à ação do MPRN repercutiu nacionalmente. A Folha de São Paulo, por exemplo, noticiou a situação. E expôs para quem quisesse ler a situação de Mossoró, onde um prefeito prioriza shows artísticos em detrimento da educação.

E alguém até pode dizer: sim, mas o Cidade Junina movimenta o turismo. E o blog responde: sim, mas investir na educação de crianças e jovens é fazer com que o desenvolvimento, no futuro, seja bem maior do que algo momentâneo.

quarta-feira, 1 de junho de 2022

Josué Moreira assume comando do PL em Mossoró


O Professor Josué de Oliveira Moreira passou a comandar o diretório do Partido Liberal (PL) em Mossoró. Ele assume com a responsabilidade de liderar a campanha do partido no município, que conta com dois pré-candidatos para deputado Estadual e um pré-candidato para deputado federal.

A escolha do nome de Josué foi publicada no Tribunal Superior Eleitoral nesta quarta-feira (1). "Espero que eu possa fazer um bom trabalho e representar bem o partido na cidade de Mossoró e região, expandindo para as cidades circunvizinhas", destacou, agradecendo ao deputado federal João Maia pela escolha por seu nome.

"Agradeço a João Maia pela confiança no sentido de nos dar essa oportunidade de estar conduzindo o destino do PL em Mossoró, para que os candidatos sejam muito bem votados, e consigam representar nossa cidade", disse.