quarta-feira, 10 de novembro de 2021

Porcelannatti volta a produzir no país e em Mossoró já gera 70 empregos, mas Allysson luta para demitir os 70 novos empregos e expulsar indústria


Indignado e revoltado com a geração de 70 empregos e mais do que isso: enfurecido com as imagens de felicidade e orgulho dos novos contratados em frente a indústria com suas carteiras de trabalho na mão, o prefeito Allysson –  guiado ainda pelo antigo discurso fantasioso de que a indústria seria “de mentira” enquanto todo o país sabe e já foi comprovado que foi apenas uma indústria como inúmeras outras que depois do seu funcionamento – passou por dificuldades e agora está se reerguendo e se recuperando, inclusive com o aval Judiciário Brasileiro.

Ocorre que guiado ainda pelo discurso e mentalidade propalada pela gestão do ex-prefeito Silveira, via veículo de comunicação que Silveira foi o sócio fundador – o Mossoró Hoje – antes de entregá-lo à um sócio dessa empreitada, que esquizofrenicamente defende que a Porcelannati é uma empresa que nunca existiu no país e veio a Mossoró só “enganar” para conseguir financiamento bancário e terreno.

Tal fantasia mitômana agradava a este campo político de Mossoró que antes dava sustentação a Silveira e hoje é ocupado por Alysson Bezerra. Eis que o inacreditável aconteceu: o Prefeito Allyson Bezerra acreditou na tese esquizofrênica de que a Porcelanatti /Itagres nunca foi uma empresa de verdade, embora fora de Mossoró todo o país sabia que não era só uma indústria, mas uma das maiores indústrias cerâmicas do Brasil.

Então ocorre que esse momento de reerguimento da empresa que agora se denomina ‘TB Nordeste’ atrapalha o discurso esquizofrênico e ainda essa geração de 70 empregos diretos e centenas de indiretos, acaba com o discurso delirante de que a indústria trazida pela ex-prefeita Rosalba Ciarlini poderia gerar empregos mesmo, inclusive o plano de retomada da Itagrês foi amplamente divulgado, mas a postura e discurso, repito, esquizofrênicos assegurava que era uma mentira aquilo.

Em meio a dificuldades e ainda atrasos, internamente criticados pela gestão anterior também, ocorre que finalmente a Itagrês foi reativada com o aval da secretaria de desenvolvimento econômico do estado e todo o aparato jurídico da recuperação que a empresa passa com o devido aval da justiça.

Mas aí surgiu um problema para o Prefeito Bezerra: vai ficar parecendo que a versão fantasiosa e esquisita de que a indústria nunca existiu, caiu por terra? Então o que fazer? Comemorar novos empregos e torcer para que a indústria gere lucros contratando mais mossoroenses e até pagando dívidas do tempo em que funcionava normalmente em Mossoró (antes da crise que passou) ou lutar para demitir 70 pais  de família, mentir e fingir que essa retomada nunca existiu e tentar expulsar a grande indústria com medo do povo mais uma vez dar crédito a Rosalba Ciarlini? Opção 2, claro.

Ah, um detalhe: o prefeito Bezerra além de expulsar indústria da cidade que voltou a contratar e injetar dinheiro na cidade NO PRESENTE (para destacar o agora) alega que vai tomar os galpões por conta de que a empresa teve dificuldades no passado e entregar a empresas que já existem em Mossoró como a Usibras, comandada assim como a Sama, por um parente do ex-prefeito mentor do atual Bezerrismo. Dito tantos absurdos, fica difícil não dizer que Sucupira é aqui.

 

Ps: Outro projeto de Allysson Bezerra depois da tentativa de expulsar indústria vem com tudo (antes de ler, queria informar que não é brincadeira, é real) é o projeto de remover estátua de Dix-Sept Rosado pois o mesmo é pai do marido de Rosalba.

Esse projeto foi sugestão de alguns asseclas (também conhecidos como babões) que também defendem e está sendo considerado pelo Prefeito e poderá ser anunciado junto com a remoção da estátua para uma praça “menos importante”, a mudança do nome do Ginásio Pedro Ciarlini, a mudança de nome do bairro Vingt Rosado e ainda a remoção do nome do Portal do Saber Vingt Neto.

A gestão Bezerrinha vem com tudo e pelo desnorteio das ações tem escapado por ainda haver pouca e oposição, e também por Rosalba ter recuperado as finanças e por conta disso ter conseguido o Finisa.

Se não houvesse Finisa, devido à falta concreta de gestão de Alysson, nem haveria obras e tampouco salários na Mossoró de hoje, porém o Finisa não é eterno, um dia Mossoró vai ainda enxergar nitidamente o nível de despreparo de Bezerrinha e assessores-elogiadores que dão “apoio moral” e ideias a ele como estas.

Nenhum comentário: