sábado, 25 de junho de 2011

Garibaldi defende PMDB na majoritária

Embora tenha dito, ao ser entrevistado por jornalistas quando estava deixando o Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS), que não tinha como avalizar o projeto político do secretário de Serviços Públicos, Alex Moacir (PMDB) às eleições de 2012, o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho (PMDB), mudou o tom no encontro que manteve com a prefeita Fafá Rosado (DEM). Ele não só afirmou que gostaria de que o PMDB estivesse na chapa majoritária, como endossou o nome de Alex Moacir como provável candidato a vice nas eleições do próximo ano. Ele defendeu presença maior do seu partido em 2012 e afirmou que tem todo o interesse em participar do próximo pleito. “Temos todo o interesse que esse momento do nosso partido se estenda ao Rio Grande do Norte e evidentemente a Mossoró também”, disse.

O encontro ocorrido no gabinete da prefeita Fafá Rosado contou com a presença do deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM), da presidente da comissão provisória do PMDB, ex-vereadora Izabel Montenegro, e do secretário Alex Moacir. Pelas palavras do ministro Garibaldi Filho, o PMDB está disposto a fazer uma aliança ampla com o Democratas de Mossoró, indicando o candidato a vice-prefeito na chapa governista. O nome de Alex Moacir, inclusive, foi exaltado pelo próprio Garibaldi Filho. “O PMDB buscará se fortalecer e o Rio Grande do Norte está inserido nesse processo. Não vamos impor nomes, mas temos de reconhecer que Alex é um dos bons quadros do nosso partido para disputar a eleição do próximo ano, mas temos nossos parceiros”, disse Garibaldi.

Garibaldi Filho se mostrou interessado em participar do processo, juntamente com o senador José Agripino Maia, presidente nacional do Democratas, com a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e o ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, presidente municipal do DEM.

Ao falar que não iria impor nomes e ter exaltado o nome de Alex Moacir na chapa majoritária, o ministro Garibaldi Filho deixou entender que conhece a realidade municipal, bem como que o DEM apresentará um candidato à sucessão da prefeita Fafá Rosado. Tal projeto já foi externado por Rosalba, Carlos Augusto e pela própria prefeita Fafá Rosado.

Diante desse fator, o DEM conta com três nomes em evidência: a vice-prefeita Ruth Ciarlini e os vereadores Cláudia Regina e Chico da Prefeitura. Para que Ruth possa ser alçada à condição de candidata, esse projeto dependeria de um entendimento político maior, pois envolveria uma renúncia da prefeita Fafá Rosado, que já descartou, em recente entrevista ao JORNAL DE FATO, essa possibilidade.

Caso a renúncia de Fafá Rosado não se concretize, sobrariam Cláudia Regina e Chico da Prefeitura. Cláudia tem a seu favor o fato de ter sido vice-prefeita no primeiro mandato de Fafá. Chico tem apostado no fato de estar no sexto mandato consecutivo na Câmara Municipal.

A questão que surge com as declarações de Garibaldi Filho, com o PMDB em busca de um lugar na chapa majoritária, bem como o destino da atual vice-prefeita Ruth Ciarlini, embola o cenário político governista e põe mais especulações em torno da sucessão da prefeita Fafá Rosado.


Izabel Montenegro diz que PMDB terá cinco vereadores

Na primeira quinzena de julho os destinos do PMDB serão anunciados. É que nesse período, segundo a presidente da comissão provisória da legenda em Mossoró, ex-vereadora Izabel Montenegro, haverá a convenção local do partido. Ela afirmou que os dias que antecedem à convenção serão primordiais para o projeto 2012. “Vamos realizar uma campanha de filiação e temos a projeção de contar com até cinco vereadores na Câmara Municipal de Mossoró”, afirmou Izabel.

As afirmações dela corroboram as especulações de que três parlamentares estariam interessados no PMDB: Claudionor dos Santos (PDT), Flávio Tácito (PSL) e Manoel Bezerra de Maria (DEM). Coincidentemente, ontem, quando o ministro da Previdência Social, senador licenciado Garibaldi Alves Filho (PMDB), cumpriu agenda administrativa em Mossoró, Claudionor e Manoel Bezerra de Maria compareceram na agência do Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS).

Izabel Montenegro, contudo, tratou de amenizar a situação e comentou que a projeção é para as eleições de 2012. “Queremos eleger cinco vereadores. Já temos dois na Câmara Municipal”, disse, acrescentando: “vamos formar uma chapa proporcional forte.” A presidente da comissão provisória disse ainda que o PMDB vive um bom momento no cenário político nacional e que o partido tem tudo para ampliar as conquistas em 2012.

A presidente da comissão provisória destacou que existe um impedimento relacionado à filiação de três vereadores no PMDB: a infidelidade partidária. “Nesse momento, é o principal empecilho, mas existe o interesse (dos vereadores)”, comentou. Ela acrescentou que o que vai garantir o diferencial ao PMDB em 2012 é o tempo de TV e rádio para o programa eleitoral gratuito. Nesse sentido, disse que uma alternativa para garantir ampliação da base no Legislativo seria uma aliança.


‘Nosso verde é mais claro’
Ao falar em uma chapa proporcional forte, Izabel Montenegro comentou que, caso as coligações sejam liberadas, o PMDB pode fazer aliança com o PV. “Já que somos primos e temos a mesma cor”, disse.

O presidente local do Partido Verde e secretário municipal da Cidadania, professor Francisco Carlos, argumentou que o grupo ao qual faz parte no PV não pensa em se coligar e trabalha com a possibilidade de sair com a chapa proporcional completa, com 32 candidatos à Câmara Municipal. Apesar disso, ele falou que tudo pode acontecer, mas frisou que até agora não se projeta uma aliança.

“O nosso verde é mais claro”, disse Francisco Carlos, comentando que o grupo vem trabalhando com o propósito de não se coligar, mas frisou que tudo dependerá do agrupamento político. “O processo está aberto, mas existe um grupo que está conversando e que acredita no potencial do PV”, afirmou.

Fonte: Jornal de Fato

Nenhum comentário: