segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Allyson caminha para obter o download e ser 2.0

Quando a ex-prefeita Cláudia Regina (Democratas) disse, na campanha eleitoral que passou, que tudo no então candidato Allyson Bezerra (Solidariedade) era fruto de marketing, ensaiado, ela tinha suas razões. Agora, depois de eleito prefeito, Allyson tem que evitar que o que complemento do comentário feito por Cláudia não se concretize: ser o Silveirinha 2.0, com um plus, um download de atualização. Ele, o prefeito, se elegeu apregoando o fim de uma política, para ele, ultrapassada, e que tinha transformado a Prefeitura de Mossoró em um mero cabide de emprego.

Agora percebe-se que o que o então candidato Allyson Bezerra disse na campanha foram apenas palavras. E olhem que estamos somente com 18 dias da administração dele. Se a caneta do prefeito seguir com a mesma tônica, mais dia menos dia, faltará espaço para acomodar todos os que ele pretende nomear para cargos em comissão. E olhe lá se ele não criar mais funções.

Allyson tem feito uma lambança administrativa. Instituiu decreto de calamidade administrativa e financeira. Em outras palavras, na sua visão, Mossoró está em crise. Instituiu que nenhum servidor receba nenhum benefício a mais que o salário. E, por outro lado, comprometendo e contradizendo o próprio decreto, está dado expediente aos sábados. E vamos se perguntar: existe, realmente, necessidade de explorar o servidor público? Sim, porque o que ele está fazendo não tem outra palavra que não seja essa: exploração.

O prefeito, rancorosamente, exonerou a diretora do Colégio Evangélico que é administrado pela Prefeitura de Mossoró, embora pertença à Assembleia de Deus. Motivo: não teve o apoio de alguns líderes religiosos. E cabe mais uma pergunta: como é que se concebe a ideia de quem vive se jactando de ser cristão, isso e aquilo, se o que se diz não casa com o que se faz? A política de perseguição não combina com quem disse que iria colocar Mossoró em outro patamar. Com o que se vê, qual seria esse patamar?

Saliente-se que o prefeito já deu muito "pano para as mangas" para os seus adversários políticos. E isso em apenas 18 dias. Ainda faltam três anos e 347 dias de governo...


Nenhum comentário: