quarta-feira, 14 de abril de 2021

Megalomania de Allyson o faz mudar cor de brasão


A mudança na cor do brasão de Mossoró, símbolo utilizado pela Prefeitura para designar o executivo, ganha ares de algo problemático. É que nenhuma administração pode mais personificar ou personalizar suas ações. Como uma forma de chamar a atenção e fazer ligação do ente público com a cor da sua campanha política, o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) faz uso de algo que passa alheio aos olhos do cidadão comum: a semiótica.

Sim, para quem estuda as formas de comunicação, a semiótica é um prato cheio para quem quer chamar a atenção para a particularização no serviço público. Mesmo que seja por meio de uma cor. O azul que ganha contorno no brasão de Mossoró esteve presente na campanha eleitoral de Allyson Bezerra no passado.

Não se trata, portanto, de aprimorar o brasão. Porque se fosse, deveria passar pelo crivo do Legislativo. O prefeito não pode tudo. Tem sua ação limitada. E o que se percebe é uma clara tentativa de unir a Prefeitura de Mossoró, por meio do brasão, à figura política de Allyson Bezerra. Algo que não é permitido há algum tempo. Ele só encontrou uma maneira de driblar a proibição legal. Mas não quer dizer que vá ludibriar a Justiça. Isso é outra história

Além disso, a mudança na cor do brasão se constitui em gasto. O prefeito tem tanta coisa para investir, mas prefere personalizar  o brasão do município. Externando assim uma megalomania danosa ao erário. Sim, porque requer custos. A Prefeitura de Mossoró não disse quanto vai gastar para atualizar a cor. Porque será preciso mudar tudo.

Nenhum comentário: