segunda-feira, 1 de outubro de 2018

PT provoca estrago na economia do RN


Em 2013, quando o então Diretor do IBAMA-RN, Alvamar Costa de Queiroz, nome indicado por Fátima Bezerra (PT) desencadeou a Operação Ouro Branco, cerca de R$ 46 milhões foram aplicados em multas junto à indústria salineira do Rio Grande do Norte. Atualmente, esse valor acumulado é superior a R$ 80 milhões, que correm na esfera administrativa.

Como reflexo da Operação Ouro Branco, em 2017, foi entregue um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) pelo Ministério Público Federal (MPF) a representantes de 32 indústrias salineiras que atuam no Estado, apontadas em um relatório conjunto do Ibama e Idema, prevendo, entre outros pontos, a necessidade de recuo das áreas ocupadas pela atividade salineira.

Levantamentos preliminares apontam que o recuo reduzirá, em alguns casos, até 40% a produção das salinas, que serão obrigadas a reduzirem, consequentemente, a sua força humana de trabalho, demitindo trabalhadores que encontram nessa atividade a sua única fonte de renda para manter o sustento e a dignidade da família.

Caso essa medida, patrocinada pelo Ibama de Fátima Bezerra, se concretize, isso pode ser o fim da atividade salineira no Rio Grande do Norte, um setor que emprega atualmente 80 mil postos de trabalho (diretos e indiretos). Para se ter uma ideia, no primeiro semestre de 2017 o setor salineiro começou a aparecer em segundo colocado em volume de exportações, perdendo apenas para o melão. Só com exportações, caso o setor comece a perder força, o Estado deixará de arrecadar em torno de US$ 12 milhões, por semestre.

Em 2015, o então Diretor Alvamar Costa de Queiroz, indicado por Fátima Bezerra, foi exonerado do cargo, mas o estrago deixado pelo PT para o Rio Grande do Norte já foi grande o suficiente, com reclamações em vários outros segmentos dos setores produtivos do Estado.

Nenhum comentário: