quarta-feira, 16 de março de 2011

2012 vai se apresentar como algo já visto

Qualquer pesquisa de cunho eleitoral visando as eleições de 2012 terá pouca valia neste momento. È claro que anuncia um cenário, mas nada que seja concreto ou absoluto. Quem aparece em boa situação hoje pode estar com um índice totalmente diferente em junho do próximo ano. Mas não deixa de ser um quadro.

Assim sendo, não é bom os pretensos candidatos à Prefeitura de Mossoró se animarem com algum número agora. Apesar de ser alvisareiro, à primeira vista, qualquer percentual não indica nadica de nada. Apenas norteia um caminho. E somente só.

Ainda tem muita sondagem a ser feita. Muitos entendimentos a serem construídos e, lógico, construir um bom palanque. O próximo prefeito ou prefeita de Mossoró deve ter, acima de tudo, capacidade de diálogo para buscar apoio de outros partidos, formar um leque bom de apoiadores e, consequentemente, obter o aval das lideranças municipais e estaduais.

No caso de candidatos governistas, é essencial que busquem a simpatia, o afago e a palavra da prefeita Fafá Rosado, deputado estadual Leonardo Nogueira, deputado federal licenciado Betinho Rosado, governadora Rosalba Ciarlini, ex-deputado Carlos Augusto e do senador José Agripino, bem como do ministro Garibaldi Filho.

Da oposição, o caminho é o mesmo, mas só que outros nomes: ex-governadora Wilma de Faria, ex-governador Iberê Ferreira de Souza, e por aí vai.

Portanto, 2012 apenas vai se apresentar como um déjà vu (já visto): de um lado devem estar Fafá, Rosalba, Agripino. Do outro, Wilma, Iberê e outros. Cada grupo defendendo seu candidato.

Um comentário:

Anônimo disse...

Realmente quem espera o rompimento da Prefeita Fafá e a Governadora Rosalba,está falando ao vento.As duas devem-se manter unidas e indicar o sucessor,diga-se de passagem com grande chance de vitória.Edilson Damasceno,quem viver verá!Ana Antônia Alves Maia.(leitora assidua do blog)