segunda-feira, 8 de março de 2021

Todos estão de olho em qualquer canetada suspeita

Muitos pensam que 2022 demora. Em tempos normais, sim. Para uns, sim. Mas para quem tem interesse em espaços políticos, nada mais propício de que o momento atual, de prestar atenção no que prefeitos e prefeitas estão fazendo para,mais na frente, jogar a famosa bomba de efeito moral para minar terrenos políticos e, consequentemente, atrair a atenção do eleitor. Muitos municípios do Oeste potiguar já estão com "olheiros" de plantão. Qualquer canetada considerada suspeita e que seja publicada nos Diários Oficiais, com certeza, será "printada". Terá muita serventia mais adiante.

E é natural que as coisas andem dessa maneira. Nenhum prefeito ou prefeita pode achar que, somente pelo fato de ter vencido uma eleição vai ficar, digamos assim, surfando em mares tranquilos o tempo todo. Não se espera mais 100 dias para se meter o sarrafo. Esta ideia é do passado e hoje qualquer deslize é motivo para desconstrução moral e política.

Um exemplo mais claro disso e que se vê na maioria das cidades brasileiras, é o político ou política afirmar que vai fazer tudo diferente do que seu adversário faz, mas, quando ganha, apresenta a mesma coisa. É como existisse uma espécie de manual a ser seguido. Para ser mais claro: critica-se, por exemplo, o nepotismo. Mas, entra gestão e sai gestão, a parentada logo ganha destaque. Seja em cargos de comissão ou em outros mecanismos que se possa imaginar. A licitação tem sido uma boa alternativa para alguns.

Tudo isso está sendo anotado. Nada do que se apresenta agora passará em branco na eleição do ano que vem. Sim, porque é preciso planejar ações futuras. E não seria diferente em uma campanha eleitoral. Sabe aquela frase "eu tentei avisar"? Pois é... Tudo indica que vai ser muito usada de agora em diante. E o que é pior é que gestores e gestoras agem como se não precisassem de nenhuma orientação. O fato de possuírem o diploma de prefeito ou prefeita os colocaria em local de destaque. E não é bem assim.

Na administração pública atual, o que mais se preza é a transparência. A comunicação acaba, de alguma maneira, tendo papel importante para evitar problemas para uns já em 2022. O gestor ou gestora que fizer "ouvido de mercador" corre sérios riscos de perder a credibilidade que pensa ter. E mais: perderá, também, os votos que pensa controlar. Afinal, já se diz que a política muda conforme as nuvens.

A fumaça que já se percebe em alguma cidade é sinal claro de que o fogo foi aceso. E se não houver a preocupação em apagá-lo, a tendência e que ele se alastre e comprometa tudo.

Nenhum comentário: