quinta-feira, 12 de novembro de 2020

você votaria?

Sendo bem direto: não vote em Allyson Bezerra (Solidariedade). Não se trata de um conselho. Mas de um aviso. Um candidato que não apresenta nenhuma palavra sobre o que cometeu seu candidato a vice-prefeito, que teria se beneficiado - direta ou indiretamente - do auxílio emergencial, ao ver do blog, não tem nenhuma capacidade moral para administrar um município. Seja ele qual for. Caso vença as eleições, Allyson já está deixando claro que não vai prestar contas de nada, não vai explicar nada e que seria superior a tudo e a todos.

E não se trata aqui de nenhuma perseguição. É com base em fatos. Por quais motivos um candidato que possui uma Trailblazer iria andar de carroça na zona rural, com um chapéu de boiadeiro sobre a cabeça? Obviamente que se trata de algo forjado, criado, pensado, maquinado e formulado com o claro objetivo de fazer o eleitor ter pena, piedade e, assim, votar nele.

Seja sincero: você votaria em um candidato que forja um choro para passar a ideia de que estaria sendo perseguido? Você votaria em alguém que expõe a própria família para passar a imagem de que é sofredor? Você iria expor um irmão que é mais que especial apenas para fazer com que as pessoas sintam pena e votem nele? Foi justamente isso o que o candidato do Solidariedade fez. Ninguém, absolutamente ninguém, sabia que Allyson tinha um irmão que precisasse de cuidados e atenção redobrados.

Você votaria em um candidato que fantasiou ter estudado em uma escola de taipa para apenas passar a ideia de que é um coitado e que teve uma infância/adolescência repleta de miserabilidade? Você perderia seu tempo com alguém que diz uma coisa e pratica outra totalmente diferente?

Não se faz aqui nenhuma crítica ao cidadão Allyson Bezerra. E sim ao político. E, como político, ele é passível de críticas. Afinal, passa a ser um espelho a ser seguido. Você quer viver em uma sociedade onde a prática comum é a mentira? 

Política é coisa séria. Trata-se da vida de mais de 300 mil pessoas que estão em jogo, em risco. Em nome de alguns trocados ou com a possibilidade de lucrar milhões mais adiante, algumas pessoas vendem até a alma. Vejam as pesquisas que se lançam no mercado. Sabe-se que toda empresa privada almeja lucro. Não faz sentido algum pensar de outra maneira. E com uma emissora de rádio, TV, ou seja lá o que for, não seria diferente.

Allyson perdeu uma excelente oportunidade de se apresentar como opção. Mas deixou-se levar por caminhos obscuros da política. Deixou-se ser conduzido por quem está preso algum passado e que pensa ainda ter domínio sobre muitos. Como ocorreu décadas passadas.

O candidato de 2018, que se projetou nas redes sociais como nome à Assembleia Legislativa, até tinha futuro. Mas as palavras ditas naquele tempo se perderam. Assim como as que são ditas nesta campanha: o vento levou. O que fica é uma imagem depauperada de alguém que está disposto a tudo para concretizar um projeto pessoal, particular, em detrimento da coletividade. e só. 

Nenhum comentário: