quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Cláudia Regina chama Allyson de 'Silveirinha 2.0'

Silveira.tech, Silveira turbo ou simplesmente Silveirinha 2.0. Foi dessa maneira, obviamente que com o terceiro adjetivo que a candidata Cláudia Regina (Democratas) se referiu ao candidato Allyson Bezerra (Solidariedade) ao formular a pergunta se ele não seria fruto de marketing. Já que seu sorriso, suas falas e abraços remeteriam a algo preparado, estudado, ensaiado. Foi o primeiro embate no primeiro bloco do debate promovido pela TCM.

Antes da pergunta de Cláudia, Allyson achava que iria ser questionado pela prefeita Rosalba Ciarlini. Mas a democrata quem lhe instigou. E o motivo foi simples: Allyson estaria espalhando a ideia de que a candidata Cláudia Regina iria desistir da candidatura para lhe apoiar, pois só ele teria condições de "bater de frente', numericamente falando, com a prefeita Rosalba Ciarlini.

Allyson apoiou diretamente a candidatura de Silveira Júnior nas eleições suplementares de 2014. E não gosta de ter seu nome e imagem ligados ao ex-prefeito, cuja administração deixou Mossoró em situação complicada.

Em sua resposta, Allyson disse que Silveira foi fruto da própria Cláudia. Que ela o apoiou para presidente da Câmara Municipal. Falou das 13 ações judiciais eleitorais que culminaram com a cassação do mandato dela, mas se esquivou de comentar que realmente teria participado da campanha eleitoral que culminou com a vitória de Silveira naquele ano.

A candidata Isolda Dantas (PT) também não gostou quando foi ligada ao ex-prefeito Silveira Júnior. Ao perguntar sobre investimentos e empregos à candidata Rosalba Ciarlini, ela ouviu como resposta que sabia da realidade em que se encontrava Mossoró em 2017, quando Rosalba assumiu a Prefeitura de Mossoró, pois ela (Isolda) tinha sido secretária de Silveira. Secretária de Cultura, para ser mais exato.


Segundo bloco

Após o intervalo, no segundo bloco, os candidatos responderam perguntas formuladas por populares. O modelo de debate idealizado pela TCM possibilitou que todos os candidatos respondessem perguntas específicas. E, novamente, a candidata Cláudia Regina falou algo que liga ao que disse em áudio encaminhado, via WhatsApp, para uma militante: Mossoró não pode ser entregue a um desqualificado, despreparado. Alusão claríssima ao candidato Allyson Bezerra.


Terceiro bloco

O terceiro bloco foi marcado por perguntas de tema livre entre os candidatos. A primeira sorteada foi a candidata Rosalba Cialini e indagou Isolda Dantas sobre a educação, tomado como base o resultado do IDEB 2020. Isolda disse que é defensora da democracia e que sua primeira ação vai estabelecer eleições diretas para diretores de escola.

Rosalba, na réplica, disse que os vereadores de oposição, orientados por Isolda, foram contrários ao financiamento que vai possibilitar o reaparelhamento da rede da educação municipal, com creches em tempo integral. E Isolda falou sobre o que tem dito: é preciso cuidar das pessoas. 

Na pergunta, Isolda escolheu Rosalba e perguntou sobre a saúde. E questionou sobre o que a candidata do Progressistas iria fazer na área. Rosalba disse que Isolda sabia da calamidade em que estava a Prefeitura quando assumiu. E não seria possível fazer mágica, já que foi preciso reorganizar as finanças. Disse que não faltou atendimento em Mossoró, e não falta, agora no período da pandemia e nem no pico do avanço do vírus.

Na réplica, Isolda disse que não existia nenhuma obra. Rosalba, por sua vez disse: "interessante, deputada. Estou indo às ruas e estou muito bem recebida. Mossoró está se transformando. Estou fazendo a reconstrução. Mossoró não tinha crédito. E cresceu, nos últimos dos meses, graças á geração de emprego na área da construção civil (de obras feitas pela Prefeitura Municipal).

A candidata Irmã Ceição (PTB), fez seu questionamento ao candidato Professor Ronaldo(PSOL). E seguiu na educação. Perguntou sobre o que ele faria para a juventude. Ele lembrou que tem 26 aos de atuação no ensino superior e disse que a UERN tem cursos que trabalham com a formação de professores. Falou ainda em capacitação dos professores, via parceria com o IFRN e UFERSA. Disse que é necessário pensar.

Na réplica, Irmã Ceição falou da sua preocupação com o setor. E disse que: "tem pessoas aqui que falam em mandatos e que não cumprem", em alusão direta aos candidatos Isolda Dantas e Allyson Bezerra, que são deputados estaduais e já pensam em novo mandato sem terem concluído, primeiramente, aqueles para os quais foram eleitos em 2018.

O candidato Professor Ronaldo escolheu a candidata Cláudia Regina para indagar. Perguntou como ela resolveria a questão das empresas terceirizadas. "Quero dizer que todo processo passou por licitação na nossa gestão. Quando se fala do trato e do cuidado ao servidor, é algo importante. Compreendemos que é importante o gestor ser preparado e não usar métodos ultrapassados." E disse que Mossoró teme o efeito Silveira em Mossoró mais uma vez. Aludindo ao candidato Allyson Bezerra.

A candidata Cláudia Regina, na tréplica, disse que valoriza o servidor e defende o concurso público. Disse acreditar que é a forma mais correta de acesso ao serviço público. Falou das ações que foram desenvolvidas durante a gestão dela, de 11 meses, no ano de 2013.

Na sua pergunta, Cláudia questionou Allyson Bezerra: "entra prefeito e sai prefeito, velhos problemas continuam" e perguntou como ele avaliava a atual gestão. A resposta de Allyson não poderia ser outra. Ele criticou a prefeita Rosalba Ciarlini, como sempre tem feito. Cláudia, na réplica, voltou a falar que Mossoró não suporta gestor ultrapassado e despreparado. Na tréplica Allyson diz que a candidata Cláudia Regina tem o preconceito de achar que o jovem é despreparado.

Na vez de Allyson perguntar, sobrou para a candidata Irmã Ceição. A indagou sobre o que ela tinha a oferecer para a economia. Ela disse que o plano de governo dela prevê a "escritura pública", em parceria com o Tribunal de Justiça, para legalizar. Ela só não disse como nem o que precisava, Falou em IPTU baixo, sem explicitar. 


Quarto bloco

No quarto bloco, os candidatos responderam perguntas feitas pelos profissionais do grupo TCM. O primeiro questionamento foi sobre o Plano Diretor e dos problemas que afetam Mossoró. A candidata Rosalba Ciarlini foi a sorteada. Para ela, Mossoró não pode ser entregue a alguém sem experiência. Disse que já está tratado da atualização do Pano Diretor, com dados do georreferenciamento, além de proporcionar modificações para que o crescimento da segunda maior cidade seja ordenado. Disse que é preciso sintonia de ações na cidade e também na zona rural.

A segunda pergunta foi para saúde: hospital psiquiátrico, insulinas e parceria com a Liga de Combate ao Câncer. A candidata Cláudia Regina foi a escolhida. Para ela, é preciso atualizar a infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde. Falou que, se eleita, fará mutirão de saúde nos 100 primeiros dias e instituir plantão 24 horas para atendimento psicológico. "As pessoas estão com síndrome do pânico"

A terceira pergunta foi direcionada para a área da segurança. Coube ao candidato professor Ronaldo responder. Ele disse que todos os candidatos falam em plano e que seria interessante que o documento fosse vigiado. Disse que para a área da segurança, pretende realizar concurso público e ir aos bairros para resolver conflitos sociais.

O quarto questionamento se voltou para a educação. A candidata Isolda Dantas foi a sorteada. Segundo ela, a educação tem que ser prioritária. Disse que é preciso garantir o acesso e a permanência dos alunos na rede municipal de ensino. Ela quer erradicar o analfabetismo. Falou que existem um contingente de 8 mil pessoas que necessitam de alfabetização. E destacou a valorização dos servidores.

A quinta pergunta foi centrada na economia, que sofreu as consequências da pandemia da Covid-19. Coube à candidata Irmã Ceição discorrer sobre o que faria, de imediato, para resolver o problema. Para ela, é preciso coibir perseguição aos ambulantes e falou que construirá, em área onde se encontra o antigo clube ACEU, uma espécie de camelóromo. A área pertence à Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

 A sexta e última pergunta se voltou para o problema da vulnerabilidade social. O candidato Allyson Bezerra disse que conhece a realidade. Falou da sua vivência na infância e adolescência. 


Quinto bloco

Neste bloco os candidatos voltaram a fazer perguntas entre si. A candidata Rosalba Ciarlii fi a primeira sorteada e escolheu Irmã Ceição. A Progressista disse que Mossoró precisa avançar na geração de emprego e renda, na economia, depois a pandemia da Covid-19. Falou que é preciso ter experiência e perguntou sobre como ela, Irmã Ceição, gostaria que a ação fosse feita. A candidata do PTB disse que seu plano contempla e falou em hospital filantrópico. Disse que gosta da verdade e não precisa temer processo.

Na réplica, Rosalba disse que a AeC vai ampliar em 500 empregos, oportunizando mais emprego e renda. Disse que vai continuar trabalhando para a reabertura de comércios em Mossoró. Na tréplica, a candidata Irmã Ceição disse não tem medo de ser intimada. Ela se perdeu um pouco nas suas palavras.

O segundo nome sorteado foi o candidato professor Ronaldo. Ele escolheu o candidato Allyson Bezerra e o questionou sobre o aproveitamento que ele fez de sindicato para alcançar projeção política, centrando na democracia em escolas. O candidato Allyson disse que Ronaldo conhece a atuação dele na Ufersa. Na réplica, Ronaldo Garcia disse que vê união política sem compatibilidade. E disse que o seu partido, o PSOL, está sozinho. Sem aliança e sem coligação.

Na sequência, coube à candidata Isolda Dantas, sorteada, perguntar ao candidato Allyson sobre a vida no campo. "O senhor diz que é do campo, mas quero saber qual projeto que o senhor aprovou para fortalecer a agricultura familiar." O candidato Allyson disse que nasceu no Sítio Chafariz e disse que o seu plano de governo está em consonância com a realidade rural. Mas não respondeu ao questionamento feito pela candidata do PT. Na réplica, Isolda disse: "sostô, deputado, o senhor com dois anos de mandato, colocar a agricultura como prioridade, o senhor não conseguiu aprovar nenhum projeto para a agricultura familiar."

Na tréplica, Allyson disse que Isolda vota em projetos e não sabe nem em que está votando na assembleia Legislativa. Mas, mais uma vez, não discorreu sobre o questionamento que Isolda fez sobre atuação dele, como deputado, na zona rural.

No próximo sorteio, o nome que saiu da urna foi Irmã Ceição. Ela escolheu Cláudia Regina e questionou sobre os problemas a serem sanados na saúde. Cláudia voltou a falar em mutirão nos cem primeiros dias de governo e no plantão de saúde. Na réplica, a candidata do PTB que seu nome é o ideal. Na tréplica, a democrata falou em obras que precisam ser resgatadas e estender o pacote de saúde ainda da sua gestão, de 2013. A candidata Ceição disse que falar é fácil. Que é ficha limpa.

A candidata Cláudia Regina foi a próxima sorteada e perguntou para a candidata Rosalba Ciarlini. Disse que depois de vários projetos, e perguntou se tinha projeto novo para terminar de arrumar a casa. na sua resposta, Rosalba disse que Cláudia sabia das ações que foram desenvolvidas. Disse que encontrou uma cidade arrasada. "O mandato da senhora e o de Silveira deixaram a cidade arrasada. Os recursos da saúde foram recuperados. A senhora mudou muito. Aquela Cláudia que adorava o que Rosalba fazia e agora está só me agredindo. Vou provar a você que esta será a melhor administração. Será que é ultrapassado dar casa a quem precisa, construir creche, acabar com a fila de cirurgia?"

Allyson Bezerra escolheu a candidata Rosalba Ciarlini. "Gostaria que o senhor fizesse um grande benefício a Mossoró: o Hospital da Mulher está parado. O senhor é deputado. A Caern está um caos. Vá no aeroporto. E está fazendo o que? Quando o povo o colocou como representante na Assembleia Legislativa. O senhor não sabe porque não tem experiência. Vamos dar tempo ao tempo." Allyson Bezerra a questionou sobre processos e declarações de bens. E Rosalba disse que tudo foi devidamente declarado à Justiça Eleitoral e comentou que se houver constatação de que tem milhões, doará para Allyson, 'já que o senhor é pobrezinho." Allyson tem salário mensal, como deputado, de quase R$ 30 mil.

 

Sexto e último bloco

No sexto e último bloco, o tempo foi para as considerações dos candidatos e candidatas. Por ordem de sorteio inicial, o primeiro a falar foi Allyson Bezerra. Ele disse que não tem recursos, poder e facilidades. Disse ter orgulho do pai e da mãe. Falou que está bem recebido. A vez, depois, foi de Cláudia Regina. Ela disse que existem três caminhos: incerteza, tiro no escuro e o da falta de projeto. "Ficou para você uma análise de quem sabe fazer, de quem acredita na força das parcerias, da participação direta do cidadão", disse, lembrando que já fez isso na sua gestão. 

Na sequência, Isolda Dantas comentou que começou o dia feliz, recebendo ligação do presidente Lula. 'Termino o dia feliz por conversar com você (telespectador) e apresentar propostas." Depois veio o candidato professor Ronaldo Garcia. "Vocês nunca vão me ver misturados de qualquer modo. Gostaria que vocês aí de casa, congelassem esse momento. Nós, do PSOL, somos livres."

A candidata Rosalba Ciarlini foi a próxima. Ela agradeceu ao debate e disse que fez a recuperação e vai seguir em frente. "é o melhor caminho para avançarmos e fazer Mossoró maior, melhor e com oportunidades. Rosalba e Jorge, em parceria com todas as instituições. Passada a eleição estaremos convocando a todos para nos ajudar. Mossoró sabe o quanto se pode fazer quando se tem amor, dedicação, coragem e, principalmente, experiência". 

A candidata Irmã Ceição concluiu sua participação com ditado religioso. Disse saber a dor do povo de Mossoró. 



Nenhum comentário: