quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Pegadinha numérica em Grossos quer mostrar cenário que não existe

Já diz uma afirmação do passado, cujo autor o blog não lembra, de que os números não mentem. E realmente não mentem. Eles fazem parte de uma ciência chamada de Matemática, que é exata. Contudo, apesar de não mentirem, eles levam à falsa verdade. É o que pode estar acontecendo em Grossos, onde o portal Mossoró Hoje nutriu interesse repentino e contratou a empresa Item Pesquisa Técnica, ao valor inferior a R$ 3 mil. O resultado, divulgado nesta quarta-feira, surpreendeu a todos. Talvez até a quem contratou.

É que a pesquisa contratada pelo portal Mossoró Hoje mostrou uma realidade que não existe ao destacar a candidata Clorisa de Johnson (PP) com 31% das intenções de votos na sondagem estimulada e 20% na espontânea. Mostrou ainda a pré-candidata Cíntia Sonale (PSDB) com 28% e o pré-candidato Erasmo Carlos (PC do B) com 22%. Indecisos somam 19%. Em números fechados. Nada de décimos.

O estranho é que não aparece a margem de erro na pesquisa. Um evidente, e não quer dizer que seja, sinal de manipulação. 

Eleição é coisa séria. E a pesquisa contratada e divulgada pelo portal Mossoró Hoje está brincando com o povo de Grossos. Quem conhece a realidade grossense sabe que a vereadora Clorisa de Johnson não está na liderança coisíssima nenhuma. E não precisa de pesquisa para afirmar isso: bastou ver como foi sua convenção. Não houve recepção popular em torno dela. Se Clorisa de Johnson estivesse com essa bola toda, a Avenida  Raimundo Gonçalves de Oliveira teria ficado pequena na convenção realizada sábado, 5, na Câmara Municipal de Grossos.

Pela primeira vez na história uma candidata que está em primeiro lugar em pesquisa de intenção de voto não tem multidão gritando, euforicamente, seu nome. Como acreditar que Clorisa de Johnson está em primeiro lugar se os fatos mostram justamente o contrário?

Outro aspecto que deve ser questionado diz respeito à margem de erro. A pesquisa contratada e divulgada pelo portal Mossoró Hoje não mostra qual seria essa margem. Além disso, outro fator se destaca: o elevado percentual de eleitores que disse que pode mudar de opinião: 53%. Em uma cidade como Grossos, eleitor mudar de opinião, do jeito que a pesquisa deixa claro, é, sinceramente, afirmar que nem os que moram na cidade grossense conhecem a realidade política de lá.

Pegou mal. Muito mal. Tanto para o portal Mossoró Hoje quanto para a empresa Item Pesquisa Técnica.

Pesquisa desse tipo fazem parte do histórico político do Rio Grande do Norte. Números apontaram vitórias e as urnas mostraram outra realidade. Quem não lembra da disputa envolvendo a ex-governadora Wilma de Faria com Fernando Freire, que estava governador e foi para a reeleição? Pesquisas apontavam que Freire vencia. Foi derrotado. Outra pesquisa mostrava, para o Senado, vitória de Fernando Bezerra. As urnas mostraram vitória de Rosalba Ciarlini. E, desse modo, essa pesquisa da empresa Item apenas entra no rol das famosas pegadinhas numéricas que aparecem a cada dois anos. Especificamente em ano de eleição.

Nenhum comentário: