quinta-feira, 7 de maio de 2020

Vamos falar de política?


Vamos falar de eleição. Embora a pandemia ainda esteja presente nas nossas vidas e nos obrigue a ficar em casa, é preciso enxergar que a vida continua a acontecer. Embora em menor escala, as coisas continuam fluindo. E não poderia ser diferente com a política.

As eleições municipais deste ano seguem sendo traçadas sem alteração. De acordo com o calendário eleitoral, o prazo para realização das convenções partidárias começará em junho. Não se sabe, contudo, se será mantido.

O Tribunal Superior Eleitoral já avisou que as mudanças no calendário, caso ocorram, serão anunciadas no final do mês que vem. Daí a necessidade de partidos políticos e lideranças sequenciarem as conversas em torno do pleito eleitoral.

Apesar do distanciamento social, reuniões já ocorrem. Todos precavidos, com máscaras e sentados longe uns dos outros. E, assim, as definições estão sendo traçadas. Já se tem, em Mossoró, um caminho a ser seguido, isso em relação ao grupo governista.

Já foi especulado que existe a possibilidade da prefeita Rosalba Ciarlini se aliar com o empresário Jorge do Rosário. Seria a formação da chapa. Contudo, não há nenhuma confirmação.

Vamos pensar um pouco: a prefeita Rosalba Ciarlini precisa de um suporte a mais nesta eleição. Não que ela esteja ruim ou não. A questão é que uma eleição sempre puxa outra. Rosalba já disse uma vez que queria encerrar sua vida política no Senado. Em 2022 será a possibilidade dela tentar retornar àquela Casa.

Para tanto, a prefeita precisa reunir todas as condições favoráveis às eleições de 2020. E tudo começa pelo pleito deste ano.

Diante dessa especulação, já se disse que a atual vice-prefeita Nayara Gadelha pode ir para a disputa proporcional: tentar uma vaga na Câmara Municipal. Foi assim que ocorreu, por exemplo, quando Cláudia Regina era vice-prefeita de Fafá Rosado e precisou ceder o lugar na chapa para Ruth Ciarlini. A mesma alternativa poderá se repetir este ano.

Com relação à oposição, não se tem nenhum indicativo. A deputada estadual Isolda Dantas e o deputado estadual Alysson Bezerra estão distantes. Ou melhor: podem até existir camaradagem política entre eles e com vistas às eleições deste ano. Mas não se tem nenhum indicativo de aliança. Algo diferente que ocorre, por exemplo, com o Democratas, da ex-prefeita Cláudia Regina.

Tudo pode acontecer. Como já se disse aqui, as coisas ainda seguem no campo da especulação e as lideranças políticas aproveitam o momento de pandemia provocada pelo novo corona vírus para conversarem entre si e tomarem decisões. Isso longe de holofotes que possam contrariar algum projeto político.

Por hoje é só. Até a próxima.




Nenhum comentário: