quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Quem vai assumir o comando do DEM?

José Agripino Maia, que preteriu Rosalba Ciarlini, que não pôde sair candidata à reeleição ao Governo do Estado e ajudou a derrotar o peemedebista Henrique Eduardo Alves, que perdeu para Robinson Faria e este não tem nada a ver com a decisão de Agripino. Nessa onda de conexão e desconexão baseada no poema “A quadrilha” de Carlos Drummond de Andrade, um elemento surge como alvo conectivo que se faz acerca do escanteamento da governadora Rosalba às eleições deste ano.

E, nesse preâmbulo de conexão, o chefe do Gabinete Civil do Governo do Estado, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado, entregou a presidência do DEM mossoroense e o vice-presidente, o deputado estadual Leonardo Nogueira, avisou que vai sair do partido. Com isso, teria-se a possibilidade do partido presidido pelo senador José Agripino Maia ser comandado pela ex-prefeita Cláudia Regina. Ela, contudo, afirmou que é uma simples filiada e que o diretório deverá ficar com quem tem mandato.

Cláudia, contudo, comentou que não poderia responder agora, até porque não lhe foi feito convite para assumir a função para tentar reerguer a legenda na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte. “Não tenho como dizer nada. Não posso falar pelo DEM, se tenho interesse ou não. O comando é delegado e não me delegaram nada. Sou uma simples filiada”, afirmou Cláudia Regina.

Sequenciando a conexão no Democratas de Mossoró e com a deixa apresentada por Cláudia Regina, acerca da legenda ser comandada por quem tem mandato, caberia aos vereadores Manoel Bezerra de Maria e Flávio Tácito definir o destino do diretório municipal. Manoel Bezerra, contudo, afirmou ao repórter que não tem interesse. E foi mais além: “pretendo mudar de partido. Vamos dar um tempo para analisar e é algo que pode até ser revisto. Não é irreversível, mas não pretendo continuar (no DEM)”, afirmou.

Ele acrescentou que, caso continue no partido, não tem interesse em assumir a presidência. O repórter tentou conversar com o também vereador Flávio Tácito, mas ele não atendeu as ligações feitas ao seu celular.

O DEM de Mossoró já perdeu parte considerável de seus filiados em decorrência da decisão externada por José Agripino às eleições deste ano. Saíram Carlos Augusto Rosado, Pedro Moura (secretário) e Manoel Mário (Tesoureiro). Frise-se que os membros do diretório saíram quase em sua totalidade. Antes o partido já havia perdido a ex-prefeita Fafá Rosado, que se filiou ao PMDB. E agora perderá o deputado estadual Leonardo Nogueira e o vereador Manoel Bezerra.

Com a negativa das lideranças em assumir o comando do diretório local do DEM, o senador José Agripino terá que, pela primeira vez, fazer uso dos recursos do Fundo Partidário para tentar reerguer o seu partido em Mossoró. É que a legenda está sem comando, sem prédio e sem futuro.

Fonte: Jornal de Fato

Nenhum comentário: