quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Está 'tudo numa boa'

O blog não entende tanta celeuma, de negação e afirmação diretas e indiretas, acerca do apoio do PDT à administração do prefeito em exercício Francisco José Silveira Júnior (PSD). Duas correntes de ideias. Duas versões. Um só propósito: o apoio. Ora, é inegável que quando algum partido passa a apoiar determinada gestão, esse "olhar diferenciado" não é em vão. Não se trata do fazer certo ou errado. Existe interesse dos dois lados. É assim no Governo Federal e Governo do Estado. Não poderia ser diferente na Prefeitura de Mossoró. Passou a ser regra. É "lei".

Assim sendo, nada mais justo que o PDT tenha seu espaço no governo interino Silveira Júnior. Até porque segue o caminho do PT, que foi o primeiro a oficializar apoio. Inicialmente foi especulado que o Partido dos Trabalhadores iria ocupar a Secretaria Municipal de Educação. O que não aconteceu. O PT negou que estivesse apoiando Silveira para ocupar cargos. Mas acabou "aceitando" a realidade que é imposta anos a fio e hoje o petista Crispiniano Neto é assessor especial de Silveira. Ocupa a função, digamos assim, de Chefe de Gabinete - que não existe mais no organograma do Palácio da Resistência.

O Jornal de Fato publicou hoje notícia que evidencia bem o caminho da negação e da afirmação. A secretária municipal de Comunicação Social, jornalista Mirella Ciarlini, enfatizou: "o prefeito não faz este tipo de negociação. Os partidos estão vindo apoiá-lo porque acreditam em seu trabalho e querem contribuir." Mais na frente, no material veiculado hoje no De Fato, tem a palavra do presidente local do PDT, Rútilo Coelho: "Claro que quando se negocia apoio nesse sentido se espera espaço, mas isso não foi conversado".

Destrinchando o emaranhado das palavras contrárias de lado a lado, é natural, mais que natural, que o PDT ocupe espaço na gestão interina da Prefeitura de Mossoró. Até porque seguiria tendência natural das coisas. E até porque o vereador Tomaz Neto (PDT) passa, a partir do momento da oficialização do apoio, a integrar a base de sustentação do governo provisório. E ele era a única voz discordante (com direito a esperneio) e que agora terá que seguir o caminho vertente do seu partido. Tudo numa boa, como diz Rasputia (do filme Norbirt).


Nenhum comentário: