quinta-feira, 26 de julho de 2012

A animosidade do homem

A animosidade humana sempre choca. Ainda mais quando esta é contra crianças. O caso da menina Chíntia Lívia, 12, de Tibau, nos remete a períodos complicados para o homem. De maneira geral. Mostra que estamos indefesos, pais e mães, diante da crueldade que teima em se perpetuar no mundo.

O corpo encontrado em um poço d'água de uma casa de veraneio na vizinha cidade praiana já foi reconhecido como o da menina Chíntia. O seu algoz, preso, confessou à polícia que matou a criança.

Mas o que levaria um homem de 36 anos a buscar em uma criança a vazão de seus instintos? A ciência afirma que é doença. Os homens veem diferente: pura maldade.

Para quem tem filhos crianças e adolescentes, a triste realidade vivida pela mãe da garotinha Chíntia mostra que o mundo está mudando. Os homens, não. Não é bom generalizar, e nesse caso específico, o que matou a menina.

Como ele, muitos rondam crianças e adolescentes mundo afora. 

E é aí que mora uma questão: como fazer para livrar nossos filhos desses monstros? Uma simples saidinha para comprar chicletes em uma mercearia próxima à sua casa foi o bastante para levar Chíntia à morte.

À família, as sinceras palavras de que a pequena garota certamente está sob o manto de Nossa Senhora. Á Justiça, que faça valer suas prerrogativas previstas na Constituição Brasileira.

Aos pais e mães, a incerteza relacionada ao futuro. Resta-nos acompanhar de perto nossos filhos. Vigiá-los. Mas nunca saberemos de onde a ameaça virá. Pode estar mais perto do que imaginamos.

Nenhum comentário: