sábado, 6 de agosto de 2022

Lawrence e Allyson deixam claro que não ligam para a fome do povo


O presidente da Câmara Municipal de Mossoró e que tenta ser deputado federal nas eleições deste ano, vereador Lawrence Amorim (Solidariedade), externou na prática o que contrário do que pretende dizer nas ruas: ele foi desempatou projeto que previa combater a fome em Mossoró e votou contra a medida. Com isso, o presidente que quer representar o RN em Brasila não consegue unir o que quer e o que o povo precisa. Principalmente os que não têm o que comer ou passam necessidade.

Talvez o ato de Lawrence tenha sido para atender outra necessidade alimentícia: a da Prefeitura de Mossoró. Tudo porque houve a publicação de extrato de ata de preço, visando a contratação da empresa Nave Comercio  e Serviços de Alimentos Ltda ao valor superior a R$ 1 milhão ao mês, totalizando R$ 12.943.692,00 por um período de 12 meses, com data de assinatura em 3 de agosto que passou.

Com isso, o prefeito Allyson Bezerra(Solidariedade), que quer eleger Lawrence Amorim para a Câmara Federal, deixa bem claro o tipo de fome que ele quer matar. Um buffet mensal superior a R$ 1 milhão daria para garantir comida na mesa para muitas famílias carentes que moram na periferia da segunda maior cidade do Rio Grande do Norte e aguardam serem vistas pelo poder público municipal.

O blog lamenta que quem quer representar, e já representa, o povo tenha visão pequena acerca do sofrimento dos outros. E lamenta também o fato de quem tripudia a dor alheia com publicações desse tipo de contratação. Sim, porque houvesse sensibilidade da parte de quem pode minimizar o choro de quem passa fome, esse edital de quase R$ 13 milhões não teria sequer sido publicado. Trata-se de uma verdadeira afronta e desconstrói o discurso de quem, um dia, afirmou que iria administrar para o povo. Mas qual? O dele?

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

Pesquisa em Mossoró Exatus/ Agora RN aponta Beto liderando para federal e Isolda estadual

A pesquisa do Instituto Exatus Consultoria perguntou aos eleitores do município de Mossoró, em quem eles pretendem votar para Deputado Estadual e Federal. De forma espontânea, ou seja, quando o eleitor pode citar qualquer candidato quando perguntado, o nome mais lembrado para assembleia legislativa foi o da deputada estadual Isolda Dantas (PT), que obteve 31 citações, o equivalente a 3,88% das intenções de votos. Em segundo lugar, aparece o nome do Soldado Jadson (SDD), com 24 menções, ou 3%; seguido por Tony Fernandes (SDD), com 2,38%; Larissa Rosado (PSDB), com 2,13% e Jorge do Rosário (Avante), com 2%.

O Exatus também quis saber dos eleitores mossoroenses em quem eles pretendem votar para ocupar uma das oito vagas para a Câmara dos Deputados, de forma espontânea. O nome mais citado para deputado federal foi o de Beto Rosado (PP), que obteve 42 menções, o equivalente a 5,25% das intenções de votos. Em seguida, vem o nome de Lawrence Amorim (SDD), com 4,13%; Larissa Rosado (PSDB), com 2,88%; Pablo Aires (PSB), com 1,63% e Major Brilhante (PP), com 1,38% das citações.

O Instituto Exatus Consultoria e Pesquisa, em parceria com o jornal AGORA RN, entrevistou 800 eleitores em todo o município de Mossoró, entre os dias 29 e 30 de julho. A pesquisa foi registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) sob o número de identificação RN-03560/2022. Para o tamanho amostral determinado, os resultados foram avaliados com uma margem de erro de 3,4% para mais ou para menos, ao nível de confiança de 95%.

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Surge nova liderança da direita em Mossoró

A campanha para Deputado Estadual em Mossoró conta com a presença de uma pré-candidata que vem ganhando espaço nas últimas semanas. Trata-se de Daniella Santos, que integra o Partido Liberal, sendo a única mulher que faz parte do pleito eleitoral pelo partido que é o mesmo do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Daniella busca um discurso conciliador, com diálogo, se propondo a discutir ideias para o Rio Grande do Norte, e sempre frisando a pouca representatividade das mulheres na Assembleia Legislativa.

Com uma proposta que atende ao público de direita, Daniella possui experiência política e administrativa. Ela já exerceu funções administrativas no governo de Wilma Maia.

Daniella Santos é Analista de Sistemas, além de ser escritora de três livros, onde em um deles desenvolveu um método de educação financeira. Atualmente, ela também é graduanda em psicologia pela Faculdade Católica do Rio Grande do Norte.

No pleito anterior, Daniella Santos foi a mais bem votada pelo PSL, partido então na época de Jair Bolsonaro. Sendo assim, ela já caminha com o movimento bolsonarista em Mossoró desde 2018, ao lado de organizadores de eventos de direita.

sexta-feira, 29 de julho de 2022

Prefeitura de Tibau se esquiva de responder sobre uso de verba pública

A Prefeitura de Tibau parece não ser afeita a dar explicações sobre o uso da verba pública. O blog enviou, na segunda-feira, questionamento acerca do uso de pouco mais de R$ 78 milhões que entraram nas contas do Executivo desde janeiro de 2021, quando a nova gestão assumiu. A equipe pediu um prazo para colher as informações das secretarias e ficou de enviar ao titular deste espaço.

Porém, nesta sexta-feira, 29/07, o blog recebeu como resposta apenas a informação de que o que este espaço estava querendo estava tudo no Portal da Transparência. “Todas as despesas estão registradas no portal da PMT”, foi o que se enviou.

Incrível como a Prefeitura de Tibau levou cinco dias para construir a frase. O blog vai, com certeza, entrar no Portal da Transparência para saber se, pelo menos, o Executivo se deu ao trabalho de construir algo mais edificante e condizente com a verba recebida do que uma simples frase.

terça-feira, 26 de julho de 2022

Gestão Lidiane Marques tem que explicar onde gastou R$ 26 mi

Valor recebido somente em julho foi superior a R$ 2 mi

Somente em royalties, o município praiano de Tibau recebeu, de janeiro de 2021 a 25/07 deste ano, exatos R$ 26.615.097,79. O blog pesquisou os números no site do Banco do Brasil, instituição financeira responsável por creditar a verba na conta da Prefeitura. Para que o leitor possa ter ideia, juntando todos os repasses feitos, a gestão a prefeita Lidiane Marques foi agraciada, em junho e julho, com pouco mais de R$ 10 milhões.

A pergunta que não quer calar não pode ser outra: em que e onde foram aplicados pouco mais de R$ 26 milhões de royalties? O blog resolveu colocar o assunto em pauta depois da construção do Centro de Velório, única obra (de pequeno, médio e grande porte) pela Prefeitura de Tibau.

Caso existam dívidas da gestão passada, que estão sendo pagas pela atual gestão, a tese de que Tibau vinha sendo bem administrada cai por terra e implica dizer que a vitória de Lidiane Marques terá sido por conta de um bom engodo. E também põe em xeque a gestão de Naldinho, tida como exemplar.

Caso a prefeita Lidiane Marques queira, o blog vai estar disponível para publicar os devidos esclarecimentos. A população tibauense merece saber como o dinheiro público vem sendo aplicado. A bem da verdade, toda gestor tem a obrigação de informar, sempre, a aplicação do dinheiro que recebe. Isso se chama transparência.

quarta-feira, 20 de julho de 2022

Quem o deputado Beto vai apoiar para o Senado?

Com quem o deputado federal Beto Rosado (PP) seguirá ao Senado? Ele afirmou, recentemente, que não apoiará nenhum candidato que esteja ao lado do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade). O parlamentar estava se referindo a Fábio Dantas, que visa o Governo do Estado. Porém, por tabela, a fala do deputado atinge o ex-ministro Rogério Marinho, que vai tentar a única vaga ao Senado do Rio Grande do Norte.

Quem acompanha a situação política de Mossoró sabe, perfeitamente, que não tem clima, em um mesmo palanque, para o prefeito Allyson Bezerra e o grupo político ao qual Beto Rosado pertence. São como água e óleo.

Uma alternativa que pode ser viável seria o grupo oposicionista liderado pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP) seguir com a postulação do deputado federal Rafael Motta (PSB) ao Senado. E, de quebra, seguir com a reeleição da governadora Fátima Bezerra (PT). Isso, claro, seria uma especulação que não levaria em conta a provável entrada do senador Styvenson Valentim (Podemos) na corrida ao Governo do Estado. Tudo pode acontecer.

Como a convenção do PP ocorre nesta quinta-feira (21/07), o deputado Beto, que preside o diretório estadual, obviamente vai expor quais nomes o partido vai apoiar nas eleições deste ano.

terça-feira, 19 de julho de 2022

Chapa Styvenson e Josué Moreira vem sendo cogitada

Uma alteração no quadro de nomes ao Governo do Estado pode ameaçar a liderança que a governadora Fatima Bezerra (PT) apresenta em todas as pesquisas realizadas neste período de pré-campanha. O senador Styvenson Valentim (Podemos) se constitui em nome que reuniria as condições necessárias para resolver dois problemas de ordem politica: um palanque para o presidente Bolsonaro no Rio Grande do Norte e, ao mesmo tempo, unificar a oposição, que tem se mostrado fraca, inoperante e improdutiva. O senador disse que vai decidir somente no prazo final para as convenções partidárias.

Caso haja a confirmação de Styvenson, uma chapa vem sendo cogitada. O professor Josué Moreira, presidente do diretório do PL de Mossoró, surge como provável indicação para compor com o senador do Podemos.

Tudo, obviamente, no campo especulativo. Sabe-se que Josué tem o projeto inicial de disputar uma vaga na Câmara Federal.  Ao blog, o professor disse que aguardaria o desenrolar dos fatos para se pronunciar. O senador foi contactado, mas não respondeu ao que o blog questionou.

De certeza, evidente, existe o fato de que se Styvenson vier a optar pela candidatura ao Governo do Estado, entende-se que a governadora Fátima Bezerra passa a ter um pouco de trabalho. Justamente por estar com baixa rejeição, apresentar posicionamento politico tido como independente e, além disso, agradaria boa parcela do eleitor que não coaduna com algumas praticas do governo do PT.

segunda-feira, 18 de julho de 2022

Serra do Mel realizará o Fequaju - Festival de Quadrilhas Juninas - de 20 a 23 de julho

Por meio das Secretarias de Turismo, Educação e Cultura, a Prefeitura de Serra do Mel realizará de 20 a 23 de julho, mais uma edição do Festival de Quadrilha Juninas (Fequaju), que acontece na Praça Cortez Pereira. 

Esse ano, a prefeitura preparou uma vasta programação para atender as quadrilhas juninas que contará com as categorias Escolar, Tradicional e a Tradicional Estadual, tendo a participação das quadrilhas juninas das cidades de Areia Branca, Mossoró, Baraúna, Assu e Portalegre.


“Diante o sucesso da última edição do Fequaju, que foi em julho de 2019, e não tivemos mais devido a pandemia do Coronavírus, observamos a necessidade de trazer novas atrações, principalmente na parte cultural abrindo espaço para a participação de mais quadrilhas juninas”, disse a secretária de Educação e Cultura, Milane Azevedo.


O Fequaju 2022 também terá diversas atrações musicais, tanto locais, como Daniel Matuto Estilizado, Zé Amado Forrozeiro, Ailson Forrozeiro, Gil Moral, entre outros. E também João Neto Pegadão, André Ouvi, Bonde do Brasil, Forró dos Plays, Cavaleiros do Forró, Erivan Morais e Colo de Menina.

sexta-feira, 15 de julho de 2022

Ceamo, uma escola que se mantém fiel aos seus preceitos há 29 anos

A pandemia veio, em 2020, para ameaçar escolas e demais instituições que trabalham com educação, saúde e outras áreas, na esfera privada. Os que resistiram seguem, ainda hoje, sofrendo os efeitos daquele período, marcado, obviamente, por restrições. E chegou-se a cogitar, inclusive, fechamento de escolas na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte. Claro que houve prejuízo para todos, mas os que souberam conduzir os aspectos econômicos, administrativos e pedagógicos continuam de pé.

E porque o blog está escrevendo sobre isso? Simples: a gente tem, sempre, que agradecer a quem contribui, de alguma maneira, para o nosso crescimento. Nosso no sentido coletivo, familiar. Dito isto, o Centro Educacional Aproniano Martins de Oliveira (CEAMO) ocupa lugar especial no coração do titular deste espaço.

O primeiro motivo tem um apelo bem emocional: meus dois filhos estudaram lá, de pequenininhos ao Ensino Médio. Saíram encaminhados para o Ensino Superior. Lá aprenderam o que se espera da Educação Básica. O Ceamo tem a particularidade, ainda, de ser uma grande família, coordenada por uma diretora que sabe o que quer, como quer e onde chegar. Não é à toa que é uma das escolas que se sobressaem em Mossoró.

O segundo motivo é profissional. Lá o titular deste espaço trabalhou durante três anos e aprendeu, evidente, tão ou mais que ensinou. Afinal, já se diz que é na conversa que se aprende algo. E as disciplinas trabalhadas permitiam essa abertura, além dos famosos e bons debates. Tudo direcionados e baseados em teóricos contemplados no material didático.

Este ano o Ceamo vai chegar aos 29 anos e tem muito a contribuir com o crescimento e fortalecimento da educação em Mossoró. Para quem gosta de uma escola com características de uma grande família, para quem gosta de que seus filhos e filhas sejam direcionados para o que se espera, em termos de alunos, é uma boa dica.

Claro que existem outras escolas em Mossoró que podem cair na gosto de pais e mães. Aqui o blog só citou uma dentre muitas que estão no mercado. 

Ao Ceamo e à sua diretora, professora Fabíola Vale, o agradecimento do blog!

Tibau e a mulher do centro de velório

A voz que vem das ruas sinaliza muita coisa e diz como o gestor ou gestora pode estar, se bem ou mal na fita. Dias passados o titular deste espaço esteve na vizinha praia de Tibau. Entre um olhar e outro para o vai e vem das ondas, eis que uma conversa chama a atenção: dois populares conversavam e um tasca essa: “a mulher do centro de velório não está fazendo nada.” E essa afirmação chamou, claro, a atenção do blog. Aquilo não saiu da cabeça e o jeito foi procurar saber quem danado era aquela mulher que estava provocando tanta discussão entre populares.

Nos últimos oito anos realmente Tibau deu um salto. Muita coisa mudou. Houve incremento em todas as áreas. Mas, com base na conversa dos dois populares, se o visitante mais atento prestar bem atenção vai percebeu que nesses 19 meses, a prefeita Lidiane Marques não deixou, ainda, nenhuma marca para chamar de sua. A não ser, claro, a construção de um Centro de Velório. Daí ela ser chamada de “a mulher do centro de velório”, justamente por ter deixado, nesse tempo, essa característica administrativa na cidade praiana.

O blog não quis entrar no mérito da conversa dos populares. Mas frisa que não foi uma ou duas vezes em que ouviu tal afirmação. Nem de duas ou três pessoas. A cidade está, como se diz, tomada por essa expressão.

Diante disso, o blog foi dar uma olhada no instagram da Prefeitura de Tibau para saber se existia algo a mais sendo feito ou construído pela gestão Lidiane Marques. E nada foi encontrado. Lá apenas constam limpeza pública, pintura de meio-fio, serviços básicos. Nada que possa justificar a enxurrada de dinheiro que a Prefeitura Municipal está recebendo. Nada que possa fazer com que as pessoas deixem de chamar a prefeita de “mulher do centro de velório.”

O blog crê que exista oposição em Tibau. Leia-se vereadores. É papel do vereador fiscalizar a devida aplicação da verba pública. Se está entrando dinheiro que não se vê onde está sendo aplicado, a prefeita deve, sim, explicar os motivos de estar fazendo caixa, se é para alguma obra de grande porte. Afinal, trata-se de verba pública, dinheiro que pertence ao povo. E é ao povo que ela deve explicação.

quinta-feira, 14 de julho de 2022

O valor do voto consciente

O título desta postagem poderia ser uma pergunta. E a resposta, obviamente, seria única: claro que não poderíamos pensar em valor monetário. O blog resolveu seguir a instigação da leitora Daniella Santos, que fez a provacação para que este espaço apresentasse algun escrito sobre o voto consciente, algo tão distante em ano de eleição e em um cenário onde as vicissitudes se tornam necessárias.

Sem entrar no mérito de nomes, partido ou quaisquer outra forma de ideologia política, é preciso que saibamos identificar o que está claro para todos: é, realmente, preciso que o eleitor faça um baita exame de consciência e sinta a necessidade, ou não, de continuar com uma realidade abalável e sem respeito algum.

O voto consciente é de lado a lado. Portanto, existe a consciência de que tanto um quanto o outro apresentam particularidades que podem ser desconstruídas facilmente por seus opositores. Claro que outros nomes estão em análise, também, pelo cidadão.

Mas a leitora Daniella Santos não quis, ao ver do blog, este tipo de análise quando direcionou para quis algo mais detalhado sobre o voto consciente. Que é algo que o blog vai discorrer agora: quando a eleição se torna o ápice da democracia, realmente existirá a possibilidade de algo maior. No caso do Brasil ainda se tem muito a aprender e a conviver.

Primeiro porque quando se pensa em democracia uma palavra se destaca: educação. E, infelizmente, é uma área que vem perdendo espaço para ideologias diversas. Até para aquela que diz não ser uma (ideologia). E, cada vez mais, a educação vai pro beleléu e deixa uma lacuna grande na afirmação de que vivemos, realmente, uma sociedade democrática. 

E, com esse detalhe, a impossibilidade do voto consciente se apresenta de maneira bem clara e evidente. Como é que um cidadão, diante da falta de incentivo à educação, terá a consciência de que a mudança social só depende dele? Como é que um cidadão que tem seus direitos à discussão tolhidos vai ter condição de questionar ou não aceitar alguma imposição?

Então, a proposta da leitora Daniella Santos é bem mais complexa do que se pode imaginar.

Claro que muita coisa mudou. Evidente que as regras educacionais seguem as transformações do tempo. Mas educação e cidadania caminham lado a lado.

Sendo bem direto à provocação da leitora do blog, o voto consciente está perto, embora se mostre muito distante para muitos. Agora é torcer para que o eleitor use a consciência que tem, para um lado ou para outro, e escolha aquele candidato que menos for nocivo à vida em sociedade.


Vacinação antirrábica terá 10 locais em Mossoró

Nesta sexta-feira (15), o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), disponibilizará 10 pontos para a vacinação antirrábica no município. Os locais escolhidos, em sua grande parte, são Unidades Básicas de Saúde (UBSs).A campanha nacional teve início em 4 de julho e se estenderá até 2 de setembro.

O horário de vacinação ocorre das 8h às 13h. Os animais domésticos poderão ser imunizados contra a doença nas UBSs Cid Salém, no bairro Abolição IV; Ildone Cavalcante, no Barrocas; Lahyre Rosado, no Sumaré; Maria Neide, no Dom Jaime Câmara; Francisco Pereira Azevedo, no Liberdade I; Maria Soares, no Alto de São Manoel; Chico Porto, no Aeroporto; Francisco Nazareno, no bairro Dix-sept Rosado; e José Leão, no Alto da Conceição. O 10º ponto escolhido é a Praça Américo Simonetti, no bairro Abolição V.


“A gente vai fazer em dez pontos, que chamamos de volante, distribuídos pela cidade. Eles não serão pontos fixos. Teremos pontos variados. Outros bairros serão contemplados ao longo da campanha. Toda semana vamos escolher novos pontos para a imunização dos animais domésticos até o Dia D, onde fazemos a estratégia mais ampla nas unidades de saúde durante todo o dia”, disse o coordenador do CCZ, João Paulo.


Ele também destacou que a Secretaria de Saúde do município vem estudando outras estratégias para o complemento desta vacinação e que pede à população a colaboração levando seu animal de estimação para se vacinar contra a raiva.


“Pedimos à população que leve seu animal para vacinar nesses pontos disponibilizados nesta semana. A campanha é muito importante para manter a saúde, tanto da população geral como dos animais para prevenir contra a raiva, uma doença muito perigosa”, disse.


A campanha contra a raiva entrou na segunda semana. Nesta semana as equipes de vacinadores estiveram nas comunidades de Fazenda São João e Passagem de Pedra. Na primeira semana a vacinação na zona rural se concentrou na Agrovila Maísa e comunidade Pau Branco. Até esta sexta-feira a expectativa é que os vacinadores visitem as localidades de Riachinho, Rancho da Caça, Serra Mossoró, Sítio Rincão, Sítio Carmo e Assentamento Melancias.


A vacinação contra a raiva também está sendo realizada na sede do Centro de Controle de Zoonoses, localizada à rua Moisés da Costa Lopes, nº 83, bairro Nova Betânia. A imunização ocorre de segunda a quinta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 16h. Às sextas-feiras a vacinação acontece das 7h às 13h.


De acordo com o CCZ, a estimativa é imunizar 80% dos 38.118 animais domiciliares na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte. A campanha de vacinação antirrábica se estenderá até o dia 2 de setembro. O Dia D de vacinação ocorrerá em 20 de agosto.


O vírus da raiva é um dos mais letais da natureza e provoca no ser humano e nos animais encefalite aguda e progressiva, que pode levar à morte.


BAIRROS E LOCAIS DE VACINAÇÃO NESTA SEXTA-FEIRA

- Abolição V (Praça Américo Simonetti)

- Abolição IV (Cid Salem)

- Barrocas (UBS Ildone Cavalcante)

- Sumaré (UBS Lahyre Rosado)

- Dom Jaime (UBS Maria Neide)

- Liberdade I (UBS Francisco Pereira Azevedo)

- Alto de São Manoel (UBS Maria Soares)

- Aeroporto (UBS Chico Porto)

- Dix-sept Rosado (UBS Francisco Nazareno)

- Alto da Conceição (UBS José Leão)


Fonte: Secom

 

 

Tibau assina Termo de Adesão do Programa Cidade Empreendedora

Nesta terça-feira, 13, o município de Tibau assinou o termo de adesão ao programa Cidade Empreendedora que é realizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte (Sebrae-RN).

A assinatura acontece após o município passar pela etapa do diagnóstico e do plano de ação e firma oficialmente o compromisso com o programa e inicia a fase de execução das ações previstas que ocorrerá em até 18 meses, para o desenvolvimento do município. 


Para a prefeita Lidiane Marques (PSDB), o programa contribuirá efetivamente para a melhoria do ambiente de negócios da cidades, principalmente para fomentar o empreendedorismo, a geração de emprego e renda.


“Por meio de vários eixos de atuação o programa dará a Administração Municipal um diagnóstico para estimular o empreendedorismo, assim como também o que precisa ser melhorado e a forma que deve ser feito, a partir de um plano de ação, que possamos alcançar os maiores níveis de incentivo ao empreendedorismo”, observou a prefeita. 

Congresso de Odontologia será realizado em agosto

Faltam pouco menos de 30 dias para acontecer o Celebrar - Congresso Brasileiro de Odontologia, que acontecerá no hotel Thermas, nos dias 11,12 e 13 de agosto.

Alguns dos mais renomados Especialistas do Brasil apresentarão todas as inovações em diversas áreas da Odontologia, abrilhantando o evento que já é uma referência.

Além da parte científica, haverá também uma feira comercial com a participação de grandes marcas proporcionando negócios e networking diferenciado.

Será a primeira vez na história que Mossoró sediará um evento de tal magnitude, o que representa uma excelente oportunidade para a classe odontológica da região além de prestigiar o evento, enriquecer a sua carreira profissional no mais elevado nível de conhecimentos e compartilhamento entre ciência, negócios e lazer.

Maiores informações através do @congressocelebrar ou watsapp 84-9986654496

quarta-feira, 13 de julho de 2022

Mossoró vai acabar se tornando obra de ficção


Uma personagem administra Mossoró. E, talvez por isso, a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte esteja perdida em algum lugar do passado. Em vez de se visualizar avanço no tempo, a cidade regride décadas. A começar pelo comportamento administrativo que se percebe aqui, ali e acolá. A gestão que tomou conta de Mossoró a partir de janeiro de 2021 segue impondo regra do chapéu de couro como algo que lembrasse a força e a coragem do povo nordestino. Mas agora, diferentemente do que se viveu na década de 1920, quando da invasão de Lampião, a sede não é mais por vingança ou expulsão, e sim de sobrevivência e de garantia de direitos.

Quando o blog afirma que uma personagem administra a cidade é porque assim se caracteriza o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade). Faça chuva ou sol, tenha ou não o que dizer, lá está ele de aparício, de foto em foto, enfatizando que é um “Prefeito Raiz.” O que, na verdade não procede. O pinho fechado, sinalizando força, por exemplo, não passa de uma pose para os flashes se amostrarem no meio de quem assiste tal cena. Passado o momento, o chapéu é tirado, o punho fechado se desfaz e a cidade volta ao que nunca foi.

Quem está orientando esse marketing blefa. O símbolo de bravura só existe na ideia. Na prática, a coisa é outra. Porque bravura tem ligação direta com honestidade. Sim, porque quem é bravo é honesto consigo mesmo. E, com todo respeito a quem criou a personagem que se vê quase diariamente nas ruas e nas fotos, Mossoró não sente essa ligação de uma coisa com outra.

Hoje mesmo (leia aqui), por exemplo, saiu uma foto em que o prefeito estava na vizinha cidade de Grossos, para onde foi sabe-se lá fazer o que, porque ali não lhe cabia. A imagem mostrava ele, ao lado do presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Lawrence Amorim (Solidariedade), em meio a figuras da política grossense. Todos ali para declarar apoio ao projeto político de Lawrence, que quer ser deputado federal.

E, com isso, voltamos à personagem: o que o prefeito de Mossoró estava fazendo em Grossos em pleno horário de expediente? Não seria correto estar na sua cidade, tentando resolver os problemas que se acumulam nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s), em vez de se preocupar em estar em fotos, cerrar o punho e mostrar uma aparente força política?

A grandeza de um político se traduz pela sua capacidade de resolver problemas. O que não seria o caso de Mossoró. A cidade se apequena a cada detalhe, a cada flash, a cada dor sofrida por quem está na periferia. Por sinal, os bairros periféricos clamam por socorro. As pessoas não suportam mais a ausência do poder público. Mas, para quem orienta o mandatário, melhor estar com o chapéu de couro em fotos e em outras cidades do que olhar para o sofrimento de sua gente.

 

Presidente Jair Bolsonaro recebe convite para vir a Mossoró receber título de cidadão mossoroense


O presidente do Partido Liberal em Mossoró e pré-candidato a deputado federal, professor Josué Moreira, e o vice-presidente Roberto Carlos Rodrigues, foram recebidos nesta terça-feira (12) pela assessoria de comunicação do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, foi entregue o convite para o presidente vir a Mossoró ainda neste ano receber o título de cidadão mossoroense.

"Por questões eleitorais o presidente não pode vir antes das eleições, mas ele já se comprometeu em estar aqui após o pleito. Será a primeira visita pós-eleição", destacou Josué Moreira.

Bolsonaro recebeu o convite para vir a Mossoró e ser homenageado com o título de cidadão mossoroense pelos serviços prestado do governo federal ao município, como exemplo os R$ 18,3 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Além disso, Mossoró recebeu R$ 50,5 milhões de recursos de investimentos em diversas áreas como a saúde, habitação e mobilidade urbana, além de educação e assistência social.

Em Brasília, Josué também se encontrou com os ex-ministros General Braga Neto, Gilson Machado, Tereza Cristina, além dos deputados Eduardo Bolsonaro e Hélio Negão.

terça-feira, 12 de julho de 2022

Quem mandou pegar na rodilha sem saber o peso do pote?

Os que estão tentando fazer a defesa do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) e do presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Lawrence Amorim (Solidariedade), recebem no rosto os pingos de saliva atirados há alguns anos, quando a mesma turma deitava e rolava nas críticas contra uma gestão municipal e partiu, em alguns casos extremos, para o lado pessoal. O script não muda. Ou seja: a mídia que insiste em se dizer isenta não inventou a roda e, por mais que tente passar a ideia do discurso de ética e tente ampliar a tese de que o prefeito e Lawrence estão sendo acuados, acusados, atingidos e afetados por quem quer que a coisa certa seja feita. Leia-se a população.

Nem venham dizer que quem sofre é o prefeito ou o presidente da Câmara. Quem sente as mazelas da falta de planejamento, de gestão e de um plano de governo não são os dois. É o cidadão comum que mora na periferia e que necessita, por exemplo, de saúde, educação e a garantia de bons serviços. Foi com esse discurso que Allyson saiu-se vitorioso em 2020. E agora quem é o perseguido, humilhado e acuado é ele? Quem mandou pegar, no popular, na rodilha sem ter a consciência do peso do pote?

Quando se critica, por exemplo, a tentativa falha de encobrir resquícios de erros no aditivo à suposta conclusão das obras do Memorial da Resistencia, por exemplo, na visão de quem sai em defesa do prefeito, é porque não tem o que fazer. Ora, desde quando sair em defesa da moralidade é desrrespeitoso? Dizer isso é o mesmo que desdenhar do estudo de muitos. Em nome de 30 moedas tudo vale? E onde está a empatia? A temperança? A humildade? A polidez? As virtudes deixam de existir quando o bolso fala mais alto? Esse é o tipo de visão política que se tem, quando não se consegue concretizar uma política de governo eficiente, um plano de governo que, realmente, contemple a sociedade.

A defesa que se vê, do indefensável, causa náusea até a quem sabe que o que se faz beira aos limites da insanidade que vem do bolso. É errado defender um governo? Não, não é. Mas é equivocado pensar que os que têm ideia diferente não possam expressá-las. Mossoró vive o que existe de pior nos tempos atuais: tenta-se, a todo custo, encobrir os erros, as falhas e omissões para, em nome de alguma coisa, dizer que o errado passou a ser certo. Assim, de uma hora para outra.

Quinhentos mil reais é muito dinheiro para quem vai a uma UPA e não tem direito ao básico. Mas acaba sendo pouco aos olhos de quem não consegue enxergar um palmo depois do próprio nariz e pensa que a vida está ali, naquele emaranhado de odores fétidos que causam enjoos aos estômagos mais apurados, politicamente falando. Sim, porque a leitura que se apresenta, em tudo o que foi dito, é que existe mais que um angu em torno do aditivo: pode existir a culinária junina toda envolvendo o episódio de se colocar mais dinheiro para uma obra já concluída. Tia Anastácia, cozinheira de mão cheia e que fazia as guloseimas no fictício Sítio do Pica Pau Amarelo, perde e feio.

Pode-se defender um governo sem tentar desqualificar quem pensa diferente ou quem apresenta falhas nesse mesmo governo. Pode-se viver dignamente, eticamente e coerentemente sem perder a leitura, os estudos e os títulos acadêmicos. Pode-se defender político sem, contudo, passar a imagem de que palavras estudadas servem apenas para encobrir ruindades e diabretes administrativas que causam problemas à ordem social. Isso no sentido de não se ter alguma garantia a nenhum tipo de direito.

Tudo pode no país de Mossoró. Até o certo ser errado e o errado, pasme, ser o certo. Nessa inversão de valores, de transformação e de inércia, o cidadão que está lá na ponta é quem sofre. E se tiver algo errado, que a culpa recaia sobre quem o cometeu. Assim como as penalidades previstas pela lei.

Fábio Dantas não terá apoio do PP nem do deputado federal Beto

O PP estadual e o deputado federal Beto não nutrem interesse em formalizar aliança com a candidatura do ex-vice-governador Fábio Dantas ao Governo do Estado. A informação foi veiculada pelo jornalista Bruno Barreto em seu blog.

A decisão do deputado federal, caso seja concretizada, não será novidade alguma. Em Mossoró o projeto de Fábio Dantas tem o apoio do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade), que tem sido um péssimo reconhecedor de quem ajuda Mossoró.

E é bem provável que a decisão de não apoiar Fábio Dantas ganhe outros contornos: é certo que a ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP) também está entre as lideranças que querem, obviamente distância do palanque governista local.


segunda-feira, 11 de julho de 2022

Filha de paciente vê descaso e desrespeito em atendimento na UPA


O asfalto chega, assim como o calçamento. Na mídia oficial, tudo fruto do trabalho do prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade). E, como ele costuma dizer: o dinheiro do povo voltando para o povo. Ele esquece de comentar, contudo, de onde vem o dinheiro. Mas se trata de algo que o mossoroense começa a se questionar. E isso vem a partir da dor de muitos, principalmente dos que precisa do atendimento nas UPA’s e encontram o serviço pela metade ou inexistente.

O blog não vai ser leviano e afirmar que recai sobre os servidores a culpa. Pelo contrário. A situação seria bem pior sem eles. O cidadão que se vire para ter o mínimo de dignidade no atendimento (isso com relação ao que realmente tem direito, e não apenas no que se volta ao serviço humanizado, sendo que este Mossoró tem e faz tempo).

A estrutura das Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s), de maneira geral, deixa a desejar. Om prefeito tem dito que a sua gestão seria a da mudança. E realmente mudou: para pior. Quem chega, por exemplo, na UPA do Alto de São Manoel tem que ir preparado para comprar álcool, papel higiênico e levar algum lençol de casa. Sim, porque não tem nada para cobrir o móvel para que o paciente possa ficar em observação.

O blog recebeu, no sábado que passou, comentário de uma professora que acompanhou a mãe, uma senhora de 72 anos, na UPA do São Manoel. Caso a filha não tivesse comprado álcool e papel higiênico, a senhora teria ficado sem a devida higienização. E olhe que a recomendação se volta para que todos, pacientes e profissionais, sigam as orientações sanitárias, pois a pandemia não chegou ao fim.

Para piorar o quadro, em determinadas camas, onde a ação do tempo se faz presente, coloca-se caixa de papelão para levantar a parte onde a cabeça do paciente precisa ficar em destaque. Como se ali não existisse gestão ou que fosse algo sem comando. Claro que a direção, por si, não pode fazer nada. Depende de decisões que saem da Secretaria Municipal de Saúde e do gabinete do prefeito. “Sinto descaso e desrespeito”, disse a professora ao ver a mãe sendo colocada em um espaço que deveria ser positivo para a sua recuperação.

Diga-se de passagem que Mossoró tem saúde plena. Ou seja: recebe verba para desenvolver as próprias ações. Mas, diante de tal cenário, fica o questionamento da fala do prefeito, inserida no começo desta postagem: o dinheiro realmente volta para o povo? Se volta, como explicar o caos nas UPA’s?

sábado, 9 de julho de 2022

Empresa que fez relatório sobre Teatro estava com CNPJ inapto em visita


A vistoria realizada no Teatro Municipal Dix-huit Rosado pela empresa PHP Consultoria e Construções LTDA pode ser considerada sem validade. Isso porque, de acordo com uma consulta feita junto ao Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) acerca da situação cadastral, a PHP Consultoria estava inapta a realizar qualquer procedimento. A consulta foi feita pelo blog as 22h10 de 8/07. A inaptidão da empresa foi decretada em 17 de janeiro deste ano em virtude de omissão de declarações.

A visita técnica foi realizada em 12 de fevereiro. Ou seja, menos de um mês depois da inaptidão anunciada. Em situação normal, a regularização de alguma empresa não se processa com rapidez em virtude da burocracia vigente quando se trata de aspectos administrativos e envolvendo instituições públicas, no caso a Receita Federal.

O relatório enfatiza o óbvio: quase 20 anos depois o Teatro Municipal precisa de reforma interna e externa. Algo que se tinha planejado pela Prefeitura de Mossoró, quando da aquisição do financiamento FINISA, ainda na gestão passada. O Teatro foi construído em 2003, fruto de parceria envolvendo a PMM e a empresa Petróleo Brasileiro S/A (Petrobras).

O documento apresenta erros gramaticais, sem comprometer, contudo, o seu objetivo: focalizar na necessidade de reforma do Teatro. Não se sabe quanto a Prefeitura de Mossoró pagou para que esse relatório fosse feito.

Contudo, como se trata de verba publica, seria interessante a Câmara Municipal investigar a situação: a Prefeitura contratou uma empresa que estava inabilitada para realizar um relatório para apenas obter uma informação que deveria constar do projeto elaborado pela Secretaria Municipal de Infraestrutra, na gestão passada, para que a reforma pudesse ser efetivada com os recursos do Finisa.

Caso não haja fiscalização, a Câmara Municipal de Mossoró pode ser conivente com um problema de ordem moral e ética, uma vez que não faz sentido uma empresa inabilitada ser contratada para apresentar um relatório óbvio que, certamente, deveria existir.