sábado, 14 de novembro de 2020

Principal proposta de Allyson para se eleger é a mentira

 O candidato Allyson Bezerra (Solidariedade) escancarou de vez que sua principal proposta para se eleger prefeito de Mossoró é a mentira. E mente sem medo de ser castigado. Sem medo de ir para o inferno. Sim, porque ele é evangélico e deveria prezar pela verdade, acima de tudo. Mas parece que a postura do candidato mudou. Ou melhor: a verdadeira postura dele apareceu na campanha. Principalmente agora na reta final, e a partir do momento em que percebeu que o eleitor já tinha descoberto de que ele, enquanto candidato, não era nada mais do que uma "fake news".

Agora na manhã deste sábado Allyson mentiu sem medo de nada. Disse que a prefeita Rosalba Ciarlini iria retirar ambulantes do centro. Disse que a prefeita iria aumentar impostos para taxistas e mototaxistas. disse que a prefeita iria fechar templos religioso. E seguiu na mentira: distribuiu o jornal AgoraRN, que é produzido em Natal, em cuja edição, datada de hoje e amanhã, veicula pesquisa que o beneficia. Ele não disse que o jornal tem ligações políticas com quem financia sua campanha.

Não disse que o jornal foi feito ontem, em Natal, que deveria ser impresso, pois sua distribuição é gratuita. Não disse quem trouxe os exemplares para Mossoró e quem pagou a impressão extra. Tampouco quanto custou o serviço. E se foi impresso em Mossoró, não disse onde o serviço aconteceu e quem o fez. E ao praticar essa ação, ele descumpre a Legislação Eleitoral, pois se trata de material distribuído por sua campanha que foge totalmente dos parâmetros orientados pela Legislação Eleitoral.

Um religioso que deixa claro que está disposto a tudo para se eleger, sinceramente, não merece a credibilidade que pensa ter. Ao mentir, por exemplo, já acaba com todas as diretizes e aos adjetivos que possam ser atribuídos a quem quer seguir a Deus e aos mandamentos que Ele deixou para os homens, de maneira ampla.

Allyson quer desequilibrar a eleição da maneira mais inadequada, aos olhos da lei, justamente para se beneficiar. E nem se importa se usa da mentira, do falso moralismo. Não está nem aí se está infringindo a Legislação Eleitoral. E mostra, assim, quem ele é. E se eleito prefeito, certamente passará por cima de todas as instituições que fazem parte da sociedade. Porque está fazendo enquanto candidato.

Ele certamente deve saber que poderá responder pelo crime de Caixa 2, por exemplo. 

Nenhum comentário: