terça-feira, 14 de julho de 2020

Onde está a Fátima que defendia a classe trabalhadora?

A governadora Fátima Bezerra (PT) jogou por terra todo o seu histórico de sindicalista, de luta em prol dos servidores públicos, bem como externou para a sociedade potiguar que história de defesa dos direitos da classe trabalhadora, defendida por seu partido, é apenas conversa para boi dormir. Falácia pura. É o que externa a posição tomada hoje pelos deputados que fazem parte da base governista, ao defenderem a continuidade de discussão sobre a reforma da Previdência estadual, na Assembleia Legislativa, remotamente. 

Todo mundo sabe que a aprovação ou não de algum projeto nas Casas Legislativas segue, necessariamente, o interesse de quem está no comando do Executivo. No caso em questão, credite-se à governadora Fátima Bezerra a decisão dos deputados estaduais em defenderem a continuidade de um debate que não será acompanhado pela sociedade. Sim, porque os deputados estaduais vão aprovar, em dois turnos, a reforma da previdência e penalizar, assim, servidores ativos, inativos e pensionistas.

E tudo isso com a tutela de quem dizia ser contra a reforma da Previdência. 

Aquela história de defender interesse da classe trabalhadora, enfim, era apenas para se sobressair politicamente e ganhar os holofotes das urnas. E a ideia rendeu. tanto que o PT chegou ao comando o Estado. E quer tomar conta das Prefeituras de Natal e de Mossoró.

Com um discurso que difere totalmente da prática, dificilmente o partido da governadora Fátima Bezerra levará a melhor. Até porque uma mentira não tem como se sustentar tanto tempo.

Atrasado
É tão verdade que a governadora Fátima Bezerra não está nem aí para a classe trabalhadora que não quer pagar os meses que estão em atraso, deixados pela gestão Robinson Faria. Fátima Bezerra faz aquilo que criticava. O que é imperdoável, uma vez que externa, como já foi dito, o interesse apenas em um projeto pessoal em detrimento de algo coletivo.

Fátima Bezerra e os deputados estaduais que a apoiam nessa jornada contrária ao trabalhador esquecem que precisam, este ano ou na próxima eleição, do suporte popular para atingirem seus projetos políticos. E precisam do voto. Com essa sanha, essa voracidade enorme, em seguir o que condenavam, sinceramente, o blog não crê que a governadora tenha sobrevida, sustância e robustez política para outros projetos vindouros.

Nenhum comentário: