terça-feira, 7 de julho de 2020

Genilson denuncia falta de planejamento na prefeitura de Mossoró


A falta de planejamento por parte da prefeitura de Mossoró tem gerado enormes prejuízos para o setor de comércio e educação na cidade. A denúncia é do vereador Genilson Alves (PROS), que usou parte do grande expediente da sessão da terça-feira, 07, para fazer questionamentos sobre esse tema e cobrar mais zelo, por parte do executivo, com o erário (dinheiro público).

Em relação ao comércio, a questão diz respeito aos pontos existentes ao longo da Av. João da Escóssia, no bairro Nova Betânia. “Vários comerciantes migraram para este logradouro e a prefeitura, através da secretaria de trânsito, resolveu proibir o estacionamento de veículos, o que pode representar o fechamento de vários pontos comerciais”, lamentou o vereador.

Mesmo existindo ruas paralelas, o vereador entende que fica o prejuízo pois obrigaria os proprietários e clientes a desembarcarem distantes das lojas e o trecho oferece insegurança com risco eminente de assalto. O vereador manifestou seu desejo no sentido da prefeitura rever essa decisão o mais rápido possível, recebendo apoio de vários colegas das bancadas de oposição e da própria situação.

Genilson seguiu com sua fala enumerando outros pontos que também sofrem com a falta de planejamento. “Nós estamos vivendo um longo período sem aulas nas creches e escolas e a prefeitura deveria destinar recursos para a recuperação da estrutura utilizada e até o momento nada foi feito, e por isso cobro da prefeitura mais zelo com o dinheiro público”, disse.

O vereador citou que nesse momento o município tem aditivado em R$ 2 mi o contrato com a empresa Polo, e não entende os motivos para isso, só com essa empresa, enquanto deixa de fazer outros serviços, como já citados. Se continuar assim, reforçou, a atual prefeita vai deixar para o seu sucessor uma dívida de meio milhão de reais, acrescentando as dívidas com a Previ Mossoró e o empréstimo do Financiamento à Infraestrutura e Saneamento (FINISA), na Caixa Econômica Federal.

Entende o vereador que tudo isso termina em prejuízo para a própria população que será a responsável por pagar a conta através dos impostos. “O povo paga a conta sem ter emprego ou saúde, pois cito aqui esse hospital de campanha para o combate ao Covid-19 que não foi construído, e sim montado, e não consegue sequer atender cinco pessoas de forma simultânea”, denuncia Genilson. 

Segundo ele, a prefeitura só é eficiente no momento da arrecadação, porém falha na execução dos serviços. Essa dívida, prever o vereador, vai terminar comprometendo o pagamento de salários dos servidores. O vereador encerrou seu pronunciamento afirmando que nesse formato de gestão, além dos problemas na saúde, os comerciantes da Av. João da Escóssia irão falir. 

Nenhum comentário: