quarta-feira, 15 de julho de 2020

Francisco Carlos propõe debate sobre arrendamento de terminal salineiro


Estando há mais de dez anos sem receber nenhum investimento por parte do poder público, o terminal salineiro de Areia Branca que dispõe em sua estrutura o Porto Ilha, deverá passar pelo processo de arrendamento, passando assim para o domínio da iniciativa privada. Esta foi a saída encontrada para manter o seu potencial e capacidade de continuar servindo a indústria salineira da chamada região da Costa Branca, no litoral do Rio Grande do Norte. Na avaliação dos defensores do arrendamento, o terminal anda esquecido.

Essa questão foi levantada na sessão ordinária da quarta-feira, 15, no plenário da Câmara Municipal de Mossoró pelo vereador professor Francisco Carlos (PP). Seu objetivo é de ampliar a discussão e possibilitar às pessoas contrárias ou favoráveis ao arrendamento a oportunidade de se manifestarem. Ele adiantou que o processo já caminhou com algumas providências.

Ao todo, são onze ativos de infraestrutura de transportes que foram qualificados para arrendamento, em junho deste ano, dentro do Programa de Concessões do Governo Federal, dentre eles, o Terminal Salineiro de Areia Branca (Porto-Ilha), com previsão para ser finalizado no segundo semestre de 2021. O processo envolverá o montante de R$ 150 mi para um período de 25 anos de arrendamento à iniciativa privada.

Já iniciado no dia 13 de julho se prolongando até 26 de agosto, como parte do processo, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) vem promovendo consultas e audiência pública virtual, como exige a lei de licitações.

“Essa discussão acontece de forma remota e aqui quero destacar as contribuições do professor Sérgio Luiz Pedrosa da Uern e da advogada Giovanna Wanderley, essa tem usado instrumentos das mídias sociais, chamando atenção para a discussão desse tema”, comentou o professor que reforçou a necessidade de todos contribuírem com o debate.

A empresa arrendante terá que realizar melhorias no Terminal Salineiro, a exemplo da dragagem e a revitalização do maquinário que hoje está operando parcialmente.  De acordo com a doutora Giovanna Wanderley, é possível, inclusive, que nenhum interessado se habilite, justamente devido aos custos que deverão ser assumidos pelo arrendante.

O vereador fez questão de reforçar os motivos pelos quais acontece agora essa discussão para arrendamento que foi justamente o fato de o poder público não realizar nenhum investimento no terminal salineiros nos últimos dez anos. E isso gera, por exemplo, preocupação no pequeno produtor que quer saber o que vai acontecer, temendo inclusive pelo encarecimento das taxas de utilização dos serviços no terminal.

O vereador Francisco Carlos registrou, ainda, a participação do Deputado Beto Rosado em defesa da atividade salineiro do nosso estado, seguidos da prefeita Rosalba Ciarlini e de vários vereadores da Casa Legislativa.

 As minutas jurídicas e os documentos técnicos sobre essa audiência pública estarão disponíveis no seguinte endereço eletrônico da ANTAQ, sendo que as contribuições poderão ser dirigidas até às 23h59 do dia 26/08/2020, exclusivamente por meio e na forma do formulário eletrônico disponível no site http://portal.antaq.gov.br.

 O vereador finalizou propondo ainda que a Câmara Municipal que tem sido a voz dos mossoroenses, possa discutir a possibilidade de realização, por meio remoto, de uma reunião ou audiência pública no sentido de ampliar essa discussão.

Nenhum comentário: