domingo, 7 de junho de 2020

Areia Branca e Grossos não usam verba do Fundo Municipal de Saúde

É incrível como a falta de planejamento e mau uso da verba pública acabam enterrando quaisquer perspectivas de desenvolvimento em toda e qualquer cidade. Ainda mais em um momento como o de agora, que pressupõe que administradores municipais saibam, realmente, o que estão fazendo e façam jus ao que se espera deles. A situação provocada pelo novo Coronavírus, que impõe restrição a todos, sem distinção, é uma prova de que se houvesse o básico, no que diz respeito a uma gestão comprometida com o seu povo, alguns municípios não estariam como estão.

Diante de tantos problemas na área da saúde, com falta de equipamentos públicos e até medicamentos, passando pela escassez de profissionais para atender a quem precisa, surge uma pergunta quando se olha a tabela que apresenta valores que estariam em caixa das Prefeituras e que diz respeito ao Fundo Municipal de Saúde.

Vamos ser sinceros: se analisarmos, por exemplo, o caos que está em Areia Branca e no avanço desenfreado da Covid-19 em Grossos, vem uma pergunta: porque não se usou a verba que está parada no enfrentamento da doença? Em Areia Branca, para que se tenha ideia, quase R$ 8 milhões estão parados, em conta específica, esperando alguma boa vontade da prefeita Iraneide Rebouças para realizar alguma ação. Para o blog ser mais exato, são R$ 7.373.765,52. Em Grossos são R$ 508.840,01 que mudariam alguma realidade.

Como a prefeita Iraneide Rebouças, de Areia Branca, e de Grossos, José Maurício Filho, deixam entender que não estão nem aí para os problemas que assolam o cidadão, o caos avança sem dó nem piedade.

E ainda vão dizer que estão sendo perseguidos, que alguém está aproveitando o momento para tirar dividendos políticos. E de cá, o blog avisa: o seu titular não é candidato a nada em Areia Branca e tampouco em Grossos. Se existe alguma perseguição, esta ocorre e está sendo direcionada à população destas cidades, que realmente deveriam estar em outro patamar e em todas as áreas, sendo a saúde a principal delas.

Pessoas estão sendo contaminadas e até morrendo sem que haja ação mais concreta para impedir o avanço da Covid-19. Existem recursos e falta apenas o básico para os prefeitos: planejamento.

Quando um gestor não planeja nada, ocorre o que se vê nestas duas cidades. Desde março que a coisa ficou mais complicada e mesmo com recursos disponíveis não se tomou a devida precaução para minimizar os efeitos que o vírus causaria na sociedade.

Nenhum comentário: