sábado, 21 de março de 2020

Um del pode fazer estrago se não for bem usado

Os gestores do mundo inteiro estão anunciando medidas para amenizar os efeitos do Coronavírus na população. Agem acertadamente, pois o que existe de mais precioso em toda e qualquer sociedade é a vida humana. A economia pode esperar para depois. Nada adianta ter economia funcionando se não exista quem compre ou venda. É a lógica. Em Mossoró o tema tem rendido críticas e até escárnio de alguns em torno das medidas tomadas pela prefeita Rosalba Ciarlini.

É sabido por todos que é preciso evitar aglomeração. Tudo para evitar a propagação do Cornavírus, que age sem dó nem piedade e sua propagação é acelerada.

Bastou a prefeita Rosalba Ciarlini dizer que o Cidade Junina poderia ser repensado ou até mesmo cancelado que "meio mundo" veio abaixo. Será que a prefeita foi irresponsável ao falar nesta perspectiva? A fala de Rosalba foi dita durante coletiva de imprensa há mais ou menos quatro dias.  

A imprensa virtual tem realizado um papel importante neste momento de impossibilidade social, provocado pela pandemia mundial. Mas alguns exageram nas posições políticas e evidenciam que não estão interessados na coletividade e deixam bem claro que quem ousar comentar algo, por mais viável que tal medida apareça, não terá vez.

Foi o que aconteceu com a prefeita de Mossoró. O portal Mossoró Hoje simplesmente deletou o que a prefeita falou sobre a perspectiva acerca do Mossoró Cidade Junina. O post em questão estava inserido em comentário de um deputado estadual com base em Mossoró. Alysson Bezerra, para ser mais claro e evidente.

A prefeita se dispõe a responder algumas pessoas que estavam comentando na página do instagram e simplesmente o portal deletou o esclarecimento de Rosalba, agente pública responsável, evidenciando que o ato foi  só para tentar tirar proveito político e gerar mais pânico sobre isso. Até que ponto esse “jornalismo” vai parar?  Uma afronta à correta prática da imprensa livre, uma agressão às pessoas que tem o direito de saber o contraditório que nesse caso é o que já foi dito anteriormente.

Uma clara tentativa de fazer politicagem e de criar pânico nas pessoas. A princípio. Tais iniciativas para gerar pânico como essa de deletar o esclarecimento de um agente público num momento de calamidade é correto, é lícito, é legal ? O que será que pensaria o CNJ ou qualquer associação de jornalistas ou até mesmo a justiça sobre isso?

Nenhum comentário: