terça-feira, 7 de outubro de 2014

Eleição em Mossoró evidencia articulação de Silveira

É hora do blog se debruçar sobre os números da campanha eleitoral passada em Mossoró. É hora ver quem ganhou e quem perdeu. De tentar evidenciar alguma projeção política para alguém. E houve. As urnas mostraram claramente que a "união dividida" em prol do candidato Henrique Eduardo Alves (PMDB) -  que foi ao segundo turno ao Governo do Estado com o seu adversário mais direto, Robinson faria (PSD) - beneficiou única e exclusivamente Robinson. Isso no plano estadual. No municipal, quem lucrou foi o prefeito Francisco José Silveira Júnior (PSD), que se projetou como liderança em ascensão, fincando pé entre as duas alas da família Rosado.

Foram exatos 52.886 votos direcionados a Robinson Faria em Mossoró. Henrique ficou com 29.494. Uma diferença considerável. E alguma coisa aconteceu para que tal quadro se consumasse. E é preciso, com isso, direcionar para outras questões até que ponto Henrique teria como unificar as suas bases em Mossoró? Será possível Fafá Rosado, por exemplo, migrar para Robinson Faria?

E a resposta não poderia ser outra: perfeitamente. Assim como Sandra Rosado e Larissa Rosado. As três não obtiveram sucesso nas urnas e a mais prejudicada, diga-se de passagem, foi Fafá. É que ela tinha prometido apoios e estrutura. Como em Caraúbas, onde o prefeito Ademar Ferreira estava com Walter Alves e foi "orientado" pela cúpula estadual do PMDB a apoiar Fafá. Mas as urnas caraubenses mostraram que Walter não perdeu apoio algum e foi o mais votado por lá. E aconteceu isso com outros candidatos.

Voltando ao prefeito Silveira Júnior, ele não só conseguiu dar maioria pró-Robinson Faria em Mossoró como fez valer a máxima que apregoou durante a campanha: que Mossoró seria palco da liberdade política do Rio Grande do Norte. E foi justamente a votação dos eleitores mossoroenses que levou Robinson ao segundo turno. Daí o blog afirmar que Silveira foi, sem dúvida, o grande vitorioso do primeiro turno desta campanha.

Coordenador da campanha de Robinson Faria em Mossoró e região, Silveira Júnior soube trabalhar. E o blog não faz aqui nenhuma espécie de "babação". Apenas reconhecendo que o prefeito mostrou que é articulado. Algo que a coordenação de Henrique em Mossoró não externou. Daí ter levado a pior por estas bandas.

Se o prefeito conseguirá manter a dianteira apresentada no primeiro turno agora no segundo, isso não se sabe. O certo é que o período de conversas, de reaproximação política entre ele e outras lideranças, está aberto. Não será nenhuma surpresa se a ex-prefeita Fafá Rosado, Sandra ou Larissa Rosado migrarem para Robinson Faria. Motivos elas têm de sobra.

Fafá Rosado, diferentemente do que se disse por aí, não perdeu. Evidentemente que quem entra em uma campanha eleitoral pensa em vitória. Mas não é sempre que se vence. Ela estava em busca de um mandato, que não veio. Mas a campanha a recolocou em evidência no cenário local e, de certo modo, a projetou para 2016. Se ela será candidata à Prefeitura de Mossoró, isso é uma incerteza. Até porque fatores políticos ao futuro pleito ainda vão se evidenciar. O mesmo ocorre com Larissa. Embora ela tenha vindo de duas derrotas consecutivas (uma eleição em 2012 e outra em maio deste ano) e sofreu a terceira negativa das urnas agora, seu nome circulou pela cidade. E foi a mais votada à Assembleia Legislativa. Não deixa de ser um indicador. 

Diante disso tudo, resta saber se a articulação do prefeito Francisco José Júnior vai continuar, se ele vai buscar o que se chama de "fato novo". Sim, porque se Fafá, Sandra ou Larissa chegar na campanha de Robinson, isso externaria que a coordenação da campanha de Henrique Alves errou feio em Mossoró. E, não se duvide, tudo pode acontecer.

Nenhum comentário: