sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Davim, esquecendo que foi infiel, expulsa 'infiéis'

O presidente estadual do PV, senador Paulo Davim, numa canetada só, destituiu diretórios e afastou filiados, alegando “infidelidade” partidária. Na lista, o deputado federal Paulo Wagner e o Diretório do PV de Mossoró.

Davim acusa os verdes de infiéis, porque eles não aceitaram acompanhar a sua orientação eleitoral. Agora, Davim precisa explicar melhor o que ele considera infidelidade partidária. 

Veja só:
O seu partido, o PV, lançou apenas um candidato à Câmara Federal neste ano, no caso o deputado Paulo Wagner, mas ele, Davim, não apoiou essa candidatura, preferindo pedir votos para o candidato Walter Alves, do PMDB.

O apoio a Walter teve justificativa simples e não foi sob a ética da fidelidade partidária. Foi uma decisão exclusivamente pessoal.

Davim decidiu por Walter porque ele é filho de Garibaldi Alves Filho (PMDB), titular do mandato no Senado, que Davim ocupa como primeiro suplente, já que Gari se licenciou do cargo para ser ministro da Previdência.

Portanto, corta essa de fidelidade partidária.

A única coisa que não existe nessa barafunda verde é fidelidade partidária.

A verdade é que Davim está expulsando do PV os filiados que não quiseram apoiar a candidatura a governador de Robinson Faria (PSD), em detrimento do seu candidato Henrique Alves.

Nada mais, nada menos.

VEJA A LISTA DOS EXPULSOS DO PV

Paulo Wagner Leite Dantas (deputado federal)
Francisco Carlos Carvalho de Melo (presidente da Câmara Municipal de Mossoró)
Clemilton Olímpio da Silva;
João Gentil de Sousa Neto (presidente do PV de Mossoró)
Jerisson Felipe de França (Rebecka de França)
Edivam Martins Teixeira (ex-vereador de Natal)


Fonte: Blog do César Santos

Nenhum comentário: