segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Rosalba, Fafá, Silveira, Cláudia, Larissa...

A bem da verdade, a eleição de domingo próximo se constitui em prévia do que virá em 2016. Algo que se viu em 2012. No caso de Mossoró, o cenário se repetiu em maio último, quando aconteceu eleição suplementar. O prefeito Francisco José Júnior (PSD) sabe perfeitamente que precisa apresentar boa performance agora para se projetar. Obviamente que se trata de aspecto meramente político, já que a parte administrativa ele terá tempo para apresentar ao eleitorado se foi boa opção ou não nas eleições suplementares.

No caminho de Silveira, contudo, estão duas ex-prefeitas e uma deputada estadual. Sem falar que existe uma quarta mulher ameaçando a continuidade dele na Prefeitura de Mossoró: não se descarte, totalmente, o retorno de Cláudia Regina (DEM) ao Executivo mossoroense.

É fato que a governadora Rosalba Ciarlini poderá ir ao embate eleitoral de 2016. Também é fato que ela queira se "vingar" do senador José Agripino Maia, presidente nacional do DEM. Assim como é fato que Rosalba precisará dar uma mergulhada tão logo acabe seu mandato no Governo do Estado. Bem como que ela precisará circular por todo o Rio Grande do Norte já para 2018. Assim sendo, 2016 seria uma espécie de "pedra no caminho" dela e disputar a Prefeitura não poderia ser tão bom assim.

Além de Rosalba, que já foi prefeita de Mossoró, a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) surge como nome mais viável à disputa eleitoral para 2016. Embora não esteja em seus planos pensar nisso agora, já que ela está em campanha à Câmara Federal, seria uma asneira sem tamanho não levar seu nome em consideração.

E é aí o problema do prefeito: ele já teve Fafá como parceira, mas as circunstâncias da atual campanha eleitoral os separou. Agora, pelas mesmas circunstâncias, ele poderá ter o aval de Rosalba Ciarlini. Mas, também por questões do momento, isso não tem como se projetar. Até porque ela seria parte interessada no processo eleitoral de 2012. Até porque tem Betinho Segundo (PP), que é candidato a deputado federal e poderá ter ser o nome de Rosalba à Prefeitura de Mossoró em 2016.

Silveira, por outro lado, tem tudo para se projetar. Enfrenta, contudo, problemas onde não deveria: a saúde. Mas, é bom que se diga, é algo que foge um pouco da alçada da Prefeitura. Se bem que existe ligação. O blog se refere à questão da maternidade. O tema afeta tanto a imagem do prefeito que ele teria orientado a Secretaria de Comunicação a veicular propaganda no rádio para reafirmar o seu compromisso com a área. Se está surtindo efeito, não se sabe.

O certo é que está tudo dependendo de como as urnas falarão no domingo. É perfeitamente aceitável que Robinson Faria vença em Mossoró. Afinal, o prefeito é do mesmo partido dele. E seria totalmente descabida a tese de que Silveira não teria como garantir isso. Tem. E como tem. Se ele vai conseguir, isso é outra história. Assim como é perfeitamente aceitável a outra tese, de que o candidato peemedebista Henrique Eduardo Alves vença também por estas bandas.

Nenhum comentário: