segunda-feira, 7 de julho de 2014

Mesmo sem filiação oficial, Francisco José pede registro

Apesar de não ter filiação no PMN nem no PROS, o ex-deputado estadual Francisco José (que assinou filiação no PROS no ano passado) deu entrada no pedido de sua candidatura no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) à Assembleia Legislativa. O advogado dele, Helton Evangelista, Francisco José dispõe de documentos que comprovam que ele é filiado ao partido presidido pelo presidente da AL, Ricardo Motta, no Rio Grande do Norte.

Para pedir registro de candidatura no TRE, candidatos devem apresentar todos os documentos. Entre eles a comprovação de filiação partidária. Ocorre que Francisco José, de acordo com o que já se divulgou, não tem registro no PROS. E esse fator geraria embates jurídicos. A assessoria jurídica de Francisco José se vale de autenticação de ficha de filiação assinada no ano passado. Se terá validade, não se sabe. O advogado Helton Evangelista disse que o mesmo caso aconteceu em 2012, quando Tassyo Mardonny disputou vaga à Câmara Municipal de Mossoró.

A situação é controversa. Mas o advogado Helton Evangelista afirmou, conforme material enviado pela assessoria de imprensa de Francisco José, que o candidato já teria a palavra de Ricardo Motta, que teria reconhecido o erro do PROS, em não validar a filiação dele ao partido.

Francisco José é pai do prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD), que apoia a candidatura do vice-governador Robinson Faria (PSD) ao Governo do Estado. Francisco José, que diz ser do PROS, está na coligação que apoia a candidatura do deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB) também ao Governo do Estado.

O filho apoia o pai, que está em coligação adversária do filho, que apoia Robinson. E este é o cenário que se vê na maioria das cidades potiguares: um emaranhado de situações políticas desconexas. Tudo decorrente da falta de opções de nomes ao Governo do Estado.

Nenhum comentário: