terça-feira, 6 de maio de 2014

Francisco Carlos é nome à presidência da Câmara

Passada a euforia da eleição do prefeito Francisco José Júnior (PSD), é hora de avaliar. E os números mostraram que a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), apesar das críticas e do desdém de muitos com relação á sua participação na campanha de Silveira, continua firme, com liderança consolidada. Tanto é que a votação obtida pelo prefeito eleito foi praticamente a mesma obtida por Cláudia Regina (DEM) em 2012 - quando a democrata foi apoiada pela ex-prefeita. Em suma: Fafá se credencia, ainda mais, para o pleito de outubro vindouro.

E, em meio à eleição suplementar e ao embate de outubro próximo, uma outra eleição: a da presidência à Câmara Municipal. Sim, porque o atual presidente, Alex Moacir (PMDB), está interinamente na função. E a interinidade acaba com a posse de Silveira, que deve ocorrer até o final deste mês. E será preciso a Câmara escolher quem vai comandar o Legislativo até dezembro, quando novamente definirá seu presidente ao próximo biênio.

E é aí que entra a parceria Silveira Júnior, Fafá e PV: o Partido Verde tem tudo para emplacar o novo presidente, seja o que cumprirá as funções até dezembro ou de 2015/2016. E o nome do vereador Francisco Carlos surge com força.

Evidentemente que alguns fatores serão levados em consideração, como a confiança, capacidade e sentimento de ação coletiva. Certamente que Fafá Rosado deverá ter participação nesse processo. Não da escolha, que caberá aos vereadores, mas de articulação com o prefeito Francisco José Júnior e com o PV, no sentido de que Francisco Carlos possa ascender à presidência da Casa. Atualmente ele é o primeiro secretário.

O blog não vai aqui apontar qualidades de Francisco Carlos. É algo que ele já externou quando foi secretário da Cidadania. Tampouco fidelidade, pois é algo já tornado público tanto em 2012 quanto agora. Com relação à ação coletiva, isso é algo que se insere nos dois predicados já citados.

Claro que o blog está aqui só fazendo um comentário. E sobre algo que pode se tornar realidade. Tudo depende, óbvio, de entendimento. E, nesse sentido, o prefeito Francisco José Júnior - apesar de compreender que cabe à Câmara Municipal discutir o tema - vai participar direta ou indiretamente do processo. Dos dois, diga-se de passagem (mandato tampão e o do próximo biênio).

Tudo se resolverá com entendimento. Com diálogo. Afinal, a bancada governista está com 15 vereadores e tem tudo para ficar no comando da Casa.

O que o blog quer dizer é que Francisco Carlos não pode ser descartado. O titular deste espaço tentou conversar com o parlamentar, no sentido de buscar dele alguma palavra relacionada ao seu interesse na presidência da Câmara Municipal, mas não conseguiu localizá-lo.

Nenhum comentário: