terça-feira, 1 de abril de 2014

De definições e indefinições à eleição suplementar

O blog tem sido reticente com relação às eleições suplementares em Mossoró, agendada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para o dia 4 de maio, mas que ainda não foram referendadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na dúvida sobre a realização ou não do pleito, o melhor é seguir o calendário eleitoral em vigor. E é isso que os partidos estão fazendo, seguindo o cronograma em voga. Dos cinco pré-candidatos à Prefeitura de Mossoró, apenas um está com a chapa fechada: a deputada estadual Larissa Rosado (PSB), que terá como vice o presidente da Câmara Municipal em exercício, vereador Alex Moacir (PMDB).

Em processo de definição da chapa estão a prefeita afastada Cláudia Regina (DEM), o prefeito em exercício Francisco José Júnior (PSD), o geólogo Gutemberg Dias (PC do B) e o professor Josué Moreira (PSDC). As convenções de Larissa e Silveira ocorrerão no sábado. Como ela já tem o seu vice, o prefeito em exercício tem que correr. Mas nem tanto. Até porque o seu companheiro de chapa tende a ser do PT. Falou-se que seria o jornalista Crispiniano Neto, que ocupa o cargo de Assessor Especial da Prefeitura de Mossoró. Mas o blog tem a opinião de que a tarefa poderá recair sobre o vereador Luiz Carlos Mendonça.

É certo que o PT indicará o vice? Nem tanto. Até porque o PV entrou no páreo. E também porque a ala maior do PMDB, que apoia Larissa Rosado, está com o prefeito em exercício. E esta fatia maior é liderada pela ex-prefeita Fafá Rosado. Em tese, Fafá indicaria o vice. E por ela ter influência no PV, entende-se que a ex-prefeita teria como mudar algo já tido como posto.

Mas não é bem assim. O PT chegou primeiro. Mas e se o PV somar mais? É um probleminha que o prefeito em exercício terá que resolver.

A prefeita Cláudia Regina também enfrenta situação a resolver. E também com relação ao seu companheiro ou companheira de chapa. A ideia externada na segunda-feira passada envolveria a composição DEM/PR/PP. Mas o PR, presidido no RN pelo deputado federal João Maia, não topou a parada e avisou que se não houvesse mudança haveria intervenção no diretório local. E João Maia foi bem claro ao afirmar ao ex-vereador Renato Fernandes que o PR estaria no palanque do PSB. João Maia não quer perder a vaga na chapa de Henrique Eduardo Alves, que se lançou candidato ao Governo do Estado. Foi uma imposição. Algo que se viu em 2012 em Mossoró mesmo. E que não surtiu efeito.

Mas Cláudia tem solução no próprio DEM ou no PP. O vice poderá ser alguém bem próxima à ela. Do Democratas. Ou do PP, comandado no Rio Grande do Norte pelo deputado federal Betinho Rosado. A ex-vice-prefeita Ruth Ciarlini seria uma alternativa, mas tem o nome envolvo em situação inapropriada para um embate eleitoral fora de época. Patrícia leite poderia ser a saída? Sim, poderia. Mas nada definido. Até o domingo, quando o DEM realizará a convenção, tudo isso deve ser sanado.

E ainda tem o geólogo Gutemberg Dias e o professor Josué Moreira. Os dois podem formar uma chapa? PC do B e PSDC unidos? Sim, perfeitamente.

Nenhum comentário: