quinta-feira, 27 de março de 2014

Onde estão os 'companheiros leais' de Rosalba?

Ricardo Motta, ao discursar, falou em 'companheiros leais'. Onde estão???
O presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo Alves – que comanda o PMDB potiguar – aposta na memória curta do eleitor. Mas nem todos têm lapsos ou sofrem do mal de Alzheimer. Basta uma pesquisada no Google para comprovar o que o blog quer dizer. Em 9 de maio de 2012, quando se deu a inauguração do Hospital da Mulher de Mossoró, o palanque esteve cheio: o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta, ministro Garibaldi Filho, deputados estaduais... E Henrique. Além do José Agripino (DEM).

Todos, sem exceção, levantaram a bola de Rosalba. Discurso de quem queria algo. Daquele que enche o ego de qualquer pessoa. E do tipo: “governadora séria, honesta...”, “a governadora tem enfrentado o pão que o diabo amassou” ou ainda “Rosalba herdou o Estado quebrado” foram palavras ditas pelas autoridades presentes ao evento.

E o blog foi atrás de informações daquele ano. E encontrou uma que achou interessante: uma declaração feita por Henrique Eduardo Alves. Diz assim: “Henrique (...) parabenizou a governadora pela conquista e enalteceu a coragem e a ousadia de Rosalba Ciarlini, que em 60 dias entregou o Hospital Materno-Infantil ao Oeste e que atenderá também pacientes da região do Vale do Açu. ‘Isso é só o começo. Vamos cobrar do Ministério da Saúde. Mostrar que se a senhora governadora cumpriu a sua parte, ao lado da prefeita Fafá Rosado, e asseguro que o Governo Federal vai somar e chegar à saúde de Mossoró.”

E tem outro, desta vez de José Agripino: “Podem ter certeza de uma coisa: Rosalba vai ser a grande Governadora do Rio Grande do Norte”. E mais outro, de Ricardo Motta: “Governadora, vá em frente. A senhora tem companheiros leais para ajudar a defender os interesses do Rio Grande do Norte.”

Hoje, dois anos depois, a história é outra. A governadora não teve o apoio de Henrique e deixou de ser a esperança dita por José Agripino. Os “companheiros leais” apontados por Ricardo Motta sumiram. Não se fala mais na seriedade da governadora Rosalba Ciarlini (DEM), na sua honestidade ou na famosa “herança maldita”. Os que estavam naquele palanque em março de 2012 viraram as costas. O velho ditado “cuspiram no prato que comeram”.

Agora Henrique, Garibaldi, Ricardo Motta e até José Agripino enxergam perfeitamente bem. Devem ter feito alguma cirurgia oftalmológica. Livraram-se das cataratas que atrapalhavam a visão. Hoje possuem visão perfeita e enxergam além do alcance. Tipo Tandercat’s.

E a “espada justiceira” que eles usam é o chapão. Até a velha história de “herança maldita”, deixada pela ex-governadora Wilma de Faria (PSB), não existe mais. Afinal, Wilma faz parte do jogo imaginado por Henrique.

Afina, Henrique Alves quer porque quer ser governador do Rio Grande do Norte. Nem que para isso ele faça igual aos demais e deixe de ser o diferencial: esqueça suas palavras. E o blog vai mais além: se Henrique esqueceu o que disse, como confiar no que ele vai dizer em campanha?

Nenhum comentário: