quarta-feira, 12 de março de 2014

Mandato do prefeito de Grossos está por uma "peinha'

O mandato do prefeito de Grossos, José Maurício Filho (PMDB), está por uma "peinha". É que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou recurso de Embargo de Declaração, no qual os advogados do prefeitos pleitearam o arquivamento do processo movido pela coligação "Grossos cada vez melhor", que defendeu a candidatura do ex-vereador Marcos Alexandre em 2012.

O processo movido contra José Maurício, que é irmão do ex-prefeito João Dehon da Silva, se refere ao fato refere ao fato de ter havido mudança de candidato no último momento do dia 6 de outubro de 2012. João Dehon era o candidato, mas acabou caindo em virtude da Lei da Ficha Limpa. José Maurício foi escolhido para ser o nome. Acabou eleito.

Ocorre que a assessoria jurídica de Marcos Alexandre questiona o fato de não ter havido ampla divulgação da substituição. José Maurício também estava impedido de participar de movimentações políticas por causa de processo eleitoral movido contra ele bem antes.

Apesar dos argumentos dos advogados do prefeito de Grossos terem sido rejeitados, não se tem garantia de que José Maurício será cassado.


Em caso de cassação do mandato do prefeito, quem assume a Prefeitura de Grossos é o segundo colocado nas eleições municipais de 2012. No caso o ex-vereador Marcos Alexandre.

Nenhum comentário: