quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Cláudia Regina mantém otimismo e diz que acredita na Justiça

Certamente não é novidade para ninguém que os bastidores da política mossoroense estão fervendo. E as peças em evidência seguem se movimentando no xadrez do cenário posto. Nos dias de definição sobre o futuro de Mossoró - pelo menos é o que apontam as especulações - tem-se de tudo: prefeito em exercício pedindo relatórios depois de 60 dias de governo, ida dele a Brasília em momentos tidos como decisivos e, obviamente, o esperar do povo pelas definições.

Mas em meio às incertezas, entre as indefinições, vem uma certeza: Mossoró não continuará nesse impasse por muito tempo. E o tempo da ministra Laurita Vaz, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), está bem perto de chegar. Claro que fala-se aqui em algo pessoal, pois pessoas diferem uma das outras. E cada uma delas possui sua particularidade de pensar, de agir e de tomar decisões.

Assim sendo, não se tem motivos para tanta ansiedade. Claro que é algo que não se controla. Uns mais, outros menos, mas todos a enfrenta. Ou melhor, tenta. E, nesse sentido, existe certa euforia dos dois lados. Uns pelo retorno da prefeita afastada Cláudia Regina (DEM), outros pela permanência de Francisco José Silveira Júnior (PSD) na função interina. E alguns preferem que a situação se prolongue até dezembro para que a Câmara Municipal realize eleição indireta.

Mas vem uma questão: Silveira não vai ser mais presidente da Câmara Municipal. Nem poderá tentar a reeleição, já que o Regimento Interno foi alterado por ele quando se elegeu à presidência da Casa na legislatura passada. Se o Regimento for alterado, fica evidente a tática a ser utilizada. E, obviamente, não cairia bem para alguém que apregoa a ética e os bons costumes.

Mas e o que pensa a prefeita afastada Cláudia Regina sobre isso tudo?

O blog foi atrás de respostas e ligou para ela. Cláudia Regina manteve a confiança que tem externado em suas movimentações nos bairros da cidade. "Estamos aguardando", afirmou Cláudia, acrescentando: "confio na Justiça de Deus e dos homens." Ela não mostrou açodamento nos questionamentos feitos pelo blog e apenas disse que não era o momento de responder, e sim de aguardar. Deixando claro o que o blog evidenciou mais acima: cada pessoa tem seu tempo. E o tempo que Cláudia Regina deixou bem claro é o de aguardar o momento certo para externar momentos de angústias, aflição e outros.

Ocorre que tudo faz parte do que se chama de "ossos do ofício". Ou de "quem está na chuva é para se molhar". A política tem dessas coisas.

Caso retorne ao cargo, Cláudia Regina já deve saber com quem realmente deve contar, com quem deve seguir e, acima de tudo, com quem deve caminhar. E isso ela tem feito, mesmo fora da função pública conquistada em 7 de outubro de 2012. Afinal, já diz algum teórico que quando se detectar algum problema, o ideal é recomeçar.

Por isso que o blog utiliza essa ideia: Mossoró enfrenta uma série de problemas, apesar de alguns afirmarem que não se tem instabilidade. É preciso recomeçar. E sempre que questões como a que a cidade vivencia se apresentarem.

Nenhum comentário: