terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Grupos continuam se articulando

E, por mais que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tenha cancelado as eleições suplementares que seriam realizadas em Mossoró no dia 2 de fevereiro próximo, os grupos políticos da cidade continuam se articulando. E não é pouco. O PT, que havia optado por candidatura própria, mudou de opinião. Em reunião realizada na noite da segunda-feira última os petistas decidiram participar e apoiar a administração do prefeito em exercício Francisco José da Silveira Júnior (PSD).

Tal mudança implica dizer que, em havendo nova eleição, PSD e PT marcharão unidos. Talvez com os petistas indicando o candidato a vice de Silveira, que certamente tentará se manter na Prefeitura de Mossoró.

A decisão segue os script: o PT não tem condições de pensar em voo alto em Mossoró. Perdeu a chance de sair do chão em 2012, quando estava em alta com o nome do ex-reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), professor Josivan Barbosa de Menezes. Agora, com ele inelegível, o PT voltou ao que era. Aliás, já havia regredido ainda em 2012, quando aceitou compor chapa com o PSB.

E o PSB também se movimenta. Fala-se que a deputada estadual Larissa Rosado poderia disputar o Executivo por meio de liminar. Algo complicado. Assim procedendo, a prefeita afastada Cláudia Regina (DEM) também teria o mesmo direito. Se Larissa for, Cláudia também vai. Como o blog não crê nessa possibilidade, os pessebistas estariam centrados em dois nomes: a deputada federal Sandra Rosado e no vereador Lairinho Rosado. Mas algo pode acontecer e o partido de Sandra poderá, de repente, apoiar uma terceira pessoa. Até mesmo Silveira. Tudo é uma incógnita.

O PMDB, por mais que se diga que a vereadora Izabel Montenegro seria o nome à disputa ou que o médico Cure Medeiros seria alçado à condição de candidato, o blog não crê em tais hipóteses. O nome mais viável continua sendo o vereador Alex Moacir. Izabel não teria como abarcar partidos em torno de um projeto executivo. Até porque ela não teria tempo para se dedicar à uma campanha, já que é presidente do Baraúnas. Contudo, ela é quem comanda o PMDB local. Mas isso não lhe credenciaria á disputa majoritária.

Fala-se que poderia haver entendimento entre PSB e PMDB. É possível, mas bem complicado. Existem choques de interesses políticos e partidários. E até pessoais envolvendo as duas legendas. Mas é algo que não pode ser descartado. Caso acontecesse, o PMDB perderia a chance de chegar à Prefeitura.

Mas ainda tem o DEM, que certamente apresentará candidato em caso de nova eleição. O Democratas comporta bons nomes, entre eles a engenheira Kátia Pinto e a assistente social Patrícia Leite. Tem ainda o ex-vereador Chico da Prefeitura. Este último, crê o blog, até teria interesse, mas faltaria o básico: apoio de todos.

Afinal, estamos falando em eleição suplementar. E por mais que se queira menosprezar a prefeita afastada Cláudia Regina, é ela quem terá papel importante. Até maior do que a governadora Rosalba Ciarlini. 

Também não se pode menosprezar a figura da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), que já adiantou que não apoiará o PSB em possível aliança do seu partido com a deputada federal Sandra Rosado.

Como se vê, tudo caminha para a mais profunda indecisão. A partir, obviamente, da posição que terá a ministra Laurita Vaz, que apreciará recurso da prefeita afastada Cláudia Regina, que pleiteou o retorno dela ao cargo até o julgamento final dos processos judiciais eleitorais.

E até se ter esse julgamento, crê o blog, o tempo passará. Até porque o TSE vai centrar seus esforços nas eleições de 2014. De cara, e se retornar ao cargo, Cláudia Regina ganharia algum tempo. Mas não terá nenhuma garantia de que permanecerá prefeita de Mossoró. Isso só o TSE dirá. Tudo depende dos argumentos apresentados por seus advogados e do entendimento que a Corte Superior Eleitoral terá.

Nenhum comentário: