quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Cláudia vai ao BH e fala em riscos da abertura da UPA

A proximidade da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem feito acirrar alguns ânimos. Especificamente os que envolvem o prefeito em exercício Francisco José Silveira Júnior (PSD) e a prefeita afastada Cláudia Regina (DEM). É que o retorno ou não de Cláudia ao cargo poderá ser decidido na próxima semana, quando o TSE retorna seus trabalhos e com a possibilidade da ministra Laurita Vaz emitir sua decisão acerca de liminares que aguardam a leitura dela.

Assim sendo, nesse aguardar, Cláudia e Silveira protagonizam sinais evidentes de que não são mais aliados. A começar quando da visita que ela fez ao bairro Santo Antônio, dias passados. No dia seguinte, o prefeito em exercício convocou a imprensa para alardear crise financeira na saúde e mostrou números superiores a R$ 16 milhões. Algo que, indubitavelmente, não teriam sido construídos em 11 meses. Envolve o setor da saúde pública de maneira geral.

Na quarta-feira passada Cláudia Regina esteve no bairro Belo Horizonte. Conversou com populares e concedeu entrevistas. No bairro, onde existe uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e que deverá ser posta em funcionamento até o final de fevereiro próximo pelo prefeito em exercício – segundo afirmações dele – a prefeita afastada apresentou uma declaração que contraria a pressa exposta por Silveira.

“Eu não seria irresponsável de abrir a UPA do BH sem ter as condições necessárias... A parte elétrica e o saneamento básico não estão prontos pra que se coloque em funcionamento”, afirmou Cláudia, acrescentando: “estávamos em negociação e fazendo estudos para abrirmos, sim, após tudo estar perfeitamente em condições de receber os pacientes.” E ela foi mais além: “abrir agora é colocar em risco a saúde dos moradores da região, pois o esgoto hospitalar ficaria a céu aberto.”

Cláudia ouviu de moradores reclamações sobre a segurança e afirmou que voltará ao cargo e que a primeira medida que tomará no bairro Belo Horizonte será a efetivação de uma Base Integrada Cidadã (BIC).
E, para completar o acirramento político entre Cláudia e Silveira, o prefeito em exercício esteve hoje pela manhã no bairro Belo Horizonte. Estava na companhia do pessoal da saúde para fazer uma espécie de check list  no prédio e garantiu que a UPA será aberta em fevereiro.


Como se vê, Silveira está na cola de Cláudia Regina e acompanha todos os passos que ela dá. Se ela for, por exemplo, no bairro Dom Jaime Câmara certamente o prefeito em exercício terá agenda, por exemplo, na Favela do Tranquilim, onde a Prefeitura de Mossoró fará toda a urbanização da área.

Nenhum comentário: