quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Por quatro votos a um, TRE deixa Larissa Rosado inelegível

E saiu o esperado: a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) está inelegível até ás eleições de 2020. A decisão, tomada agora a pouco pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), impossibilita dela pensar em disputar a Prefeitura de Mossoró em eleição suplementar, datada para 2 de fevereiro. E mais: a deputada também deixa de sonhar na renovação de seu mandato.

A manutenção da sentença do juiz José Herval Sampaio Júnior se voltou à prática considerada abusiva dos meios de comunicação pertencentes à família de Larissa Rosado. leia-se jornal, rádio e televisão.

Quem corroborou para a manutenção da sentença a mãe e o irmão de Larissa Rosado, a deputada federal Sandra Rosado e o vereador Laíre Rosado Neto. Os dois foram citados, ao longo da discussão, como principais fomentadores da infração à Legislação Eleitoral, no que diz respeito ao abuso dos meios de comunicação.

Com a manutenção da sentença, e como a decisão foi de colegiado, a deputada estadual Larissa Rosado foi pega pela Lei da Ficha Limpa. E, tal qual ocorreu com a prefeita afastada Cláudia Regina, não pode pensar em eleição. Cláudia ainda pode retornar à Prefeitura de Mossoró. Prejuízo maior ficou para Larissa.

E a sentença evidencia uma particularidade: em caso de nova eleição, quem vai à disputa? Quem Cláudia Regina apoiaria? Quem Larissa Rosado apoiaria? Como ficará a articulação dos partidos que saíram unidos em 2012 e agora estão separados?

Uma série de dúvidas que permeiam as decisões judiciais eleitorais em Mossoró. Certamente servirá, série de decisões, como base no sentido de se evitar que se cometa os mesmos erros. Já que a Justiça corroborou e reconheceu denúncias de parte a parte, certamente erros foram cometidos.


Nenhum comentário: