segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Política, crise, ciumeira e muita especulação em Mossoró

Das duas, duas: ou Cláudia Regina Freire de Azevedo retorna à Prefeitura de Mossoró na quinta-feira, 19, ou ela - ficando fora do cargo - não apoiaria, sob hipótese alguma, o prefeito em exercício Francisco José da Silveira Júnior (PSD) em eleição suplementar. Até a quinta-feira da semana passada tudo estava dentro do que pensava ser normal. Mas é claro que não estava. A prefeita foi afastada e Silveira teve que assumir. Na sexta-feira, a primeira leva de exoneração: cinco. Todos com ligação estreita e de confiança de Cláudia Regina.

Eis que nesta segunda-feira, mais uma leva de exoneração. De entrega de cargos, para ser mais exato. Pediram para sair Patrícia Leite (Desenvolvimento Social), Betinho Segundo (Agricultura) e Marlus Ciarlini (Trânsito). Nada confirmado pelo blog. Mas em caso positivo, vem uma perguntinha: o que estaria havendo?

O blog segue o que vem das ruas: Silveira não tem perfil compatível com a equipe montada por Cláudia Regina. E isso é o óbvio, pois são duas pessoas diferentes e com opiniões totalmente distintas. Cláudia preferiu atender o cidadão nas ruas, sob sombras de árvores e dizia que o Gabinete da Prefeita estaria onde o povo quisesse. Já Silveira fez diferente e instituiu o Gabinete Popular, que se constitui na visita do cidadão ao Palácio da Resistência.

Ideias semelhantes, porém diferentes. Enquanto um apregoa pela informalidade, o outro é extremamente criterioso, pois implica dizer que se o cidadão quiser discutir algum problema terá que ir, obrigatoriamente, à Prefeitura. Mas é algo que não tira o mérito. Nem de um ou de outro. O importante é discutir os problemas.

Ocorre que tal projeto não seria o X da questão. Silveira teria caído em "desgosto" pelas exoneração de pessoas bem próximas de Cláudia Regina, como Petras Vinícius, a quem Cláudia disse sentir amor de mãe. E, verdadeiramente, era só ver o tratamento dela para com ele para perceber a afinidade, amizade.

E não é somente isso. A agenda que Silveira tem cumprido e das conversas reservadas que tem mantido, de cunho político - diga-se de passagem - teria chegado aos ouvidos de Cláudia Regina. Embota ele tenha afirmado e reiterado que seria aliado dela e não estaria ocupando vaga de ninguém na Prefeitura de Mossoró, a leitura que se fez ou se faz não é bem essa.

Silveira, até que se prove o contrário, é o nome (dele mesmo) para disputar a Prefeitura de Mossoró. Seria possível pensar em alianças agora, ainda quando não se tem nenhuma definição acerca do retorno de Cláudia Regina ao cargo?

Pelo visto e de acordo com o que se discute internamente, Mossoró está em plena campanha eleitoral extra-oficialmente. Falta apenas o TSE bater o martelo. E se o martelo da Justiça Eleitoral apontar pelo retorno de Cláudia? Aí, quem estava batendo, certamente errou o prego e o martelo atingiu em cheio os dedos de quem tem pressa.

É preciso calma. Cautela. Já se diz que a pressa é inimiga da perfeição.

E, em caso de nova eleição, existem enes nomes que poderão ir à disputa eleitoral. Mas tudo tem seu momento, sua hora. E a hora agora é de aguardar o que vem de cima. Não do Céu, mas do Tribunal Superior Eleitoral.

Nenhum comentário: