terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Juntos e separados ao mesmo tempo

A debandada de auxiliares da prefeita Cláudia Regina (DEM) da Prefeitura de Mossoró neste período transitório e no qual o governo municipal segue com o exercício de Francisco José da Silveira Júnior (PSD) evidencia algo muito particular: alguém está orientando para que secretários e subsecretários peçam para sair. O objetivo também parece ser muito particular: evidenciar que o Democratas não coaduna com a ideia de que Silveira terá apoio em uma provável eleição suplementar em Mossoró. Na manhã desta terça-feira, mais dois nomes pediram o boné: Edward Smith e Fátima Marques. Já chega a 12 o número de baixa. Algo que remete à tese de que a saída de todos os "claudistas" seria o melhor caminho.

Em caso de nova eleição, vem a dúvida: quem ficaria com quem? Quem apoiaria quem? E mais outra: quem seria o nome do DEM? O blog queimou neurônios para encontrar uma resposta e, por incrível que pareça, só veio um nome à cachola: Kátia Pinto. Kátia é filiada ao DEM, é de confiança da governadora Rosalba Ciarlini, tem boa movimentação. Contudo, pesa o fato dela estar longe: é secretária estadual de Infraestrutura. Seria um problema? Aparentemente, sim, mas nada que uma boa dose de circulação pelas bases não resolva.

E pelo PMDB? O blog também só encontrou um nome: o vereador Alex Moacir. Ele é bem avaliado pela população desde o tempo em que era secretário. Foi o vereador mais votado e continua em evidência. Sem dúvida, uma possibilidade a ser analisada.

Mas aí vem outra questão: como ficaria a especulação de que PSB e PMDB estariam se alinhando em Mossoró? E o blog foi atrás de respostas. E a obteve do deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM). Segundo o deputado, ele e a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) não possuem a menor condição de estarem no mesmo palanque em que estiver a deputada federal Sandra Rosado (PSB) e a deputada estadual Larissa Rosado (PSB). Daí, já se teria um baita problema a se resolver,

E mais: em o processo que segue no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) envolvendo a inelegibilidade de Larissa Rosado ser sustado por meio de pedidos de vistas, como ficaria a situação dela? O blog entende que Larissa Rosado não poderia sair candidata em eleição suplementar. 

Até porque o que estaria em voga é a decisão do juiz José Herval Sampaio Júnior, que suspendeu os direitos políticos dela por oito anos. Entende-se que, caso o TRE adie a decisão, Larissa Rosado estará fora do páreo  por não ter como registrar sua candidatura.

Como se vê, o tabuleiro político de Mossoró, em caso de nova eleição, será preenchido com muita surpresa.

E alie-se a tudo isso o fato de se ter provável mudança no comando do PSD local. Dias passados o presidente estadual da legenda, o vice-governador Robinson Faria, teria oferecido o diretório ao vereador Jório Nogueira. Sabe-se que o PSD mossoroense é presidido pelo prefeito em exercício Francisco José da Silveira Júnior. Mais um problema.

Mas Silveira tem se movimentado. E bem. Tanto que fez questão de prestigiar ato simbólico de aniversário de um ano da administração do prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT). Mas vem mais uma pergunta: por quais motivos o prefeito de Mossoró se deslocaria a Natal para falar em parceria? Evidente, óbvio e claro que Silveira foi atrás de suporte, de apoio do PDT para uma provável candidatura sua. Isso em caso do TSE negar o retorno de Cláudia Regina à Prefeitura de Mossoró.

Como se vê, tudo caminha para a  mais profunda confusão política. E a gente apenas observando a tudo.

Nenhum comentário: