segunda-feira, 5 de novembro de 2012

‘Iremos analisar a possibilidade de entrarmos na disputa’


A presidência da Câmara Municipal de Mossoró para a nova legislatura começa a ser discutida internamente. O assunto vem ganhando espaço e passa a sair do campo das especulações. Dois novos vereadores aparecem em evidência: Alex Moacir (PMDB) e Francisco Carlos (PV), mas o atual presidente, Francisco José da Silveira Júnior (PSD), entrou no páreo e, apesar de dizer que sua meta é concluir o atual mandato, sinaliza que poderá entrar na disputa. Tanto que, disse Silveira, alguns parlamentares já haviam assegurado apoio ao seu projeto. “Estou muito feliz por ter sido reeleito. O povo da minha cidade reconheceu meu trabalho. Neste momento, estou pensando em concluir meu trabalho desta gestão”, disse. Silveira deve centralizar seu projeto de permanência na presidência da Casa nos projetos concretizados na sua gestão, como o “Tribuna Popular”. “Pelo trabalho que realizamos à frente do Legislativo, a maioria dos colegas deste mandato, me procuraram e incentivaram que eu continuasse, inclusive disseram que podiam contar com eles. Alguns dos eleitos pela primeira vez, também já externaram este desejo.” Nesta entrevista, o presidente da Câmara Municipal fala sobre o Orçamento Geral do Município (OGM) e dos desafios que o próximo presidente enfrentará em decorrência do aumento do número de vereadores, que passou de 13 para 21.

Reeleito para um novo mandato, o senhor tem interesse em continuar presidindo a Câmara Municipal?
SILVEIRA JÚNIOR – Em primeiro lugar quero aproveitar este espaço para agradecer aos meus eleitores por ter sido conduzido a mais um mandato na Câmara Municipal. Estou muito feliz por ter sido reeleito. O povo da minha cidade reconheceu meu trabalho. Neste momento, estou pensando em concluir meu trabalho desta gestão. O ano legislativo se encerrara no dia 12 de dezembro. Estamos convocando os aprovados no concurso e depois que este processo for encerrado é que iremos analisar a possibilidade de entrarmos na disputa.

JÁ é possível detectar conversas sobre o comando da Casa? O senhor está se movimentando nesse sentido?
COMO disse antes, estou arrumando, ou melhor, adequando a casa para receber os oito novos vereadores. Pelo trabalho que realizamos à frente do Legislativo, a maioria dos colegas deste mandato, me procuraram e incentivaram que eu continuasse, inclusive disseram que podiam contar com eles. Alguns dos eleitos pela primeira vez, também já externaram este desejo.

DIANTE do cenário com 21 vereadores, logicamente será preciso reordenar o orçamento. Quais os principais desafios do próximo presidente?
OS DESAFIOS serão muitos, a começar pelo orçamento. A Câmara vai gastar mais com a folha de servidores, com mais material de trabalho. Será gasto com 21 vereadores praticamente o mesmo orçamento que era destinado aos 13 atuais. Sem contar a parte política. Pacificar uma casa com oito vereadores a mais é ainda mais desafiador. Serão mais partidos, mais discussões, mais ideias. Agora, Já estão sendo feitas algumas mudanças. Exoneramos 51 cargos comissionados no mês de outubro e em 2013 haverá uma redução dos assessores parlamentares dos gabinetes.

PELA divulgação do salário dos servidores da Câmara Municipal, alguns apresentam ganhos elevados. É possível um reordenamento salarial dos servidores?
EM RELAÇÃO aos salários dos servidores efetivos, aqueles que são mais altos, são vantagens que os servidores adquiriram ao longo de muitos anos de trabalho na Câmara e, portanto, legalmente, não pode haver este reordenamento. Quanto aos novos, os recém-concursados, irão seguir o Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Câmara, que é um dos melhores planos que existem, valorizando o servidor.

A PARTIR de janeiro, o salário dos vereadores será bem maior do que é pago atualmente. Os recursos do duodécimo atenderão às despesas da Câmara Municipal?
O SALÁRIO dos vereadores, passará de 6 mil para 9 mil e 500 reais, a partir de Janeiro. Lembrando que este salário só poderá aumentar novamente daqui a quatro anos. Está sendo preciso cortar da nossa própria carne, pois reduzimos de sete para cinco assessores no nosso gabinete. Acredito que estas mudanças, e mais as exonerações que fizemos, equilibraremos o orçamento para o próximo ano.

A MUDANÇA da Câmara para o prédio onde funciona o Fórum Municipal Silveira Martins pode ser concretizada na próxima legislatura?
É UM desejo nosso e acredito que também de todos os mossoroenses. É inadmissível a segunda maior cidade do estado não ter sua sede própria. Acreditamos que isto é possível e torcemos que os compromissos assumidos entre o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, a Prefeitura de Mossoró e a Câmara Municipal sejam cumpridos.

CASO a mudança se concretize, haveria aumento em despesas?
HAVERIA sim, mas isto não seria um problema, pois iremos colocar uma emenda no orçamento para executar estas despesas.

O LEGISLATIVO está finalizando a discussão relacionada ao Orçamento 2013. Para o senhor, o valor proposto pelo Executivo atenderá às necessidades da nova administração?
O ORÇAMENTO é o momento mais importante do ano legislativo. Agora estamos estudando e iremos, até a próxima sexta-feira, apresentar as emendas de correção e de ajustes ao orçamento de 2013.

O SENHOR seguiu com a oposição, mas em recente entrevista à TCM, falou que não seria nenhum demérito começar o novo mandato na situação. Essa mudança não causaria desconforto político?
EXERCI meus três últimos mandatos na oposição, fazendo com muita ética e responsabilidade. Nas últimas eleições, fui eleito mais uma vez, mostrando que fizemos um bom trabalho. Votei na Deputada Larissa Rosado e trabalhei para a sua eleição, mas quem venceu foi a vereadora Cláudia Regina. Tenho um bom relacionamento, amizade e respeito por Cláudia. Portanto hoje já acabaram as eleições e a futura prefeita será de todos nós, independente de oposição ou situação. O importante é cumprir o compromisso que assumi de contribuir com o desenvolvimento da minha cidade.

Fonte: Jornal de Fato


Nenhum comentário: