sábado, 4 de agosto de 2012

Genivan Vale cita ações conquistadas


O vereador Genivan Vale (PR), candidato à reeleição, sequencia a série de entrevistas aos postulantes à Câmara Municipal de Mossoró. Em seu primeiro mandato, o parlamentar fala, nessa conversa, sobre o que o levou á política, trabalho de vereador e cita temas considerados desafios para o próximo prefeito de Mossoró. acompanhe abaixo:

O que o levou a escolher a disputa proporcional?
Sempre gostei da política, por entender que é através da mesma que podemos encontrar as soluções pra termos uma sociedade mais justa. Na década de 80 fui um dos organizadores do primeiro encontro da juventude secundarista oestana e a partir deste momento sempre pensei em fazer política partidária, o que aconteceu por convite do empresário Marcelo Rosado e deputado federal João Maia. Como a vereança é o primeiro degrau aqui estamos.

Embora o papel do vereador seja legislar (elaborar leis e fiscalizar o Executivo), algumas ações podem ser defendidas ou concretizadas por meio do mandato parlamentar. Quais setores o senhor destacaria, nesse sentido?
Falando por mim, gostaria de citar como mais importante o papel de mexermos com a inércia que hoje se abate sobre a sociedade. Pensando nisso entrei em todos os temas polêmicos que muitos em Mossoró por medo ou conveniências políticas ou empresariais não querem se envolver. Não que, eu seja mais corajoso que os demais, mas sempre entendi que não poderia ser igual a muitos e, que mesmo sofrendo perseguições de parte da imprensa teria que descortinar temas que tanto atrasam o crescimento e o desenvolvimento de Mossoró. Por exemplo: é inconcebível que não tenhamos um aeroporto com voos regulares pra os grandes centros urbanos, como São Paulo. O pior é que, o nosso além de não ajudar, ainda estava prejudicando a importante indústria da construção civil. Compramos a briga e fomos até Brasília falar com o Ministério da Aeronáutica. Outro absurdo é a Caern. Não podemos aceitar que a segunda cidade do estado tenha seu crescimento travado por falta de água, pois a caixa não libera financiamento de casas e apartamentos caso a Caern não forneça um documento de capacidade de fornecimento de água. Também cito o caso do Nogueirão. É inadmissível que não tenhamos estádio compatível com nossa cidade. Outros graves problemas que não poderia deixar de citá-los são o Hospital Tarcisio Maia que não sofre um investimento de ampliação desde que foi fundado, e já se vão 26 anos. Além disso, já dobramos nossa população. Por fim citamos a violência desenfreada e ainda ficamos discutindo se vamos ou não armar nossa guarda municipal. È muito letargia.

A disputa para a Câmara Municipal é acirrada, já que a 'briga' começa entre os candidatos do próprio partido. Como se pode vislumbrar uma concorrência leal?
Quando tivermos prisão de candidatos e de eleitores, acredito que possamos vislumbrar um pouco mais de igualdade. Não existe corruptor se não houver o corrupto. O poder econômico ainda é muito decisivo.  Infelizmente.

Na sua opinião, qual o principal desafio do próximo prefeito ou prefeita de Mossoró?
Acredito que não seja um único desafio, mas alguns. Cito alguns que entendo serem urgentes: Transporte publico, trânsito, capacitação de Mao de obra, ampliação da oferta de empregos, melhora urgente do atendimento básico da saúde, bem como do atendimento de urgência que está um caos, oferta de escolas em tempo integral e enfrentamento da epidemia de drogas, em especial, o crack.

Nenhum comentário: