sexta-feira, 8 de julho de 2011

Francisco Carlos busca a viabilidade política

Apesar de um provável favoritismo da vereadora Cláudia Regina (DEM) à sucessão da prefeita Fafá Rosado (DEM), esse fato não será primordial para a decisão final do grupo governista.

Até agora ninguém se manifestou sobre nomes, o que deixa margens para especulações diversas. Pegando carona nesse aspecto, o blog inicia uma série de análises sobre a situação do agrupamento político governista.

A primeira análise se volta para o secretário da Cidadania, professor Francisco Carlos (PV). Muitos dizem que ele não teria como ser o escolhido. Faltaria "sintonia" política com a cúpula municipal do DEM. Pode até ser verdade, mas é preciso entender que Francisco Carlos é de outro partido, e o DEM, por meio de seu presidente local, avisou que terá candidato natural à sucessão de Fafá Rosado.

Fala-se em viabilidade política como um dos itens que seria primordial para as definições. E é claro que o grupo não iria se aventurar com uma candidatura que não teria condições políticas, reais e concretas, de vitória.

E é aí que está o gancho que moveria o projeto do PV. O blog entende que, caso a definição for pró-Francisco Carlos, essa viabilidade viria naturalmente. É claro que é preciso que o pevista tenha "sombra política própria". Ou melhor: que se apresente como nome forte para enfrentar a oposição, que tem na deputada estadual Larissa Rosado (PSB) a indicação já acertada e definida.

Pesquisas serão feitas a partir de setembro, como afirmou o deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) em recente contato com o blog. Caso o nome de Francisco Carlos apareça em destaque, é natural que ele seja alçado à condição de candidato. Até isso acontecer, ele terá que fazer o que tem feito até agora: ir em busca de um lugar ao sol na política mossoroense.

Não se pode negar que Francisco Carlos apresenta potencial para consolidar um projeto político. Se não for agora, pode ser mais na frente. É só ver o exemplo da chapa proporcional: qual partido que praticamente fechou a chapa completa e ainda tem pessoal certo para apoio político na campanha eleitoral? Até agora, apenas o PV se mostrou com essa particularidade.

Daí se tira a conclusão de que ele teria chances de reunir lideranças em torno de seu nome em um projeto majoritário. Entende-se e compreende-se que Francisco Carlos se mostra articulado, mas falta o principal: ser do DEM. Ele não trocará de legenda e tem trabalhado, como os demais nomes governistas, para consolidar seu nome à chapa majoritária. Se conseguirá, isso ninguém sabe.

Pela única pesquisa feita até agora, o dirigente do PV mossoroense terá que se desdobrar para se apresentar como nome substancial, politicamente falando. Porque condições técnicas ele possui, e isso já foi mostrado e comprovado.

Nas entrevistas concedidas à imprensa mossoroense, Francisco Carlos tem afirmado que não abriu mão do projeto majoritário e que trabalha para atingir esse objetivo.

O tempo, contudo, dirá tudo. É como se diz: o tempo é o senhor de tudo e de todos!

Nenhum comentário: