sexta-feira, 27 de maio de 2011

Setembro será o mês das definições

Setembro será o mês decisivo para quem pleiteia disputar algum cargo eletivo em 2012, especificamente à Prefeitura Municipal. É que setembro se constitui no limite de data aprazado pela Justiça Eleitoral com relação à filiação partidária. No caso dos que pleiteiam extraoficialmente o Executivo, será o mês das definições. Essa particularidade afetará apenas os nomes que despontam no grupo governista, dependendo da posição da prefeita Fafá Rosado (DEM), da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e do presidente municipal do Democratas, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado.

A leitura que se faz é que, levando-se em consideração a afirmação feita por Carlos Augusto de que o DEM terá candidato próprio, o nome que for preterido pode migrar para outra legenda. Uma das alternativas seria o PSD, que será comandado pelo presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Francisco José da Silveira Júnior. Silveira até já convidou um vereador democrata para a nova sigla.

Caso as especulações se concretizem, tomando como base a possibilidade levantada pelo deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM), de a vice-prefeita Ruth Ciarlini (DEM) ser alçada à condição de prefeita com a renúncia de Fafá Rosado, teria-se aqui um quadro que poderia confirmar o que já se discute nos bastidores.

A vereadora Cláudia Regina (DEM) ou o vereador Chico da Prefeitura (DEM), nomes do grupo governista para a sucessão eleitoral de 2012, poderiam partir para outra legenda. O convite já foi feito a Chico da Prefeitura. Cláudia, nesse caso, seria a dúvida: permaneceria no DEM ou procuraria outro partido para concretizar o projeto de chegar à Prefeitura de Mossoró? Pergunta que fica, até agora, sem resposta, mas que tende a ser esclarecida em setembro.

Recentemente, Chico da Prefeitura afirmou, quando da visita da governadora Rosalba Ciarlini a Mossoró, por ocasião do aniversário dos 25 anos do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), que tende a ficar no DEM. Afirmou ter recebido o convite para ir para o PSD. “Vou tentar consolidar a candidatura a prefeito pelo meu partido”, afirmou o vereador. Disse que sabia que estava liderando as sondagens de avaliação interna do DEM e que, por isso, buscaria a unidade em torno de seu nome. Rosalba chegou a ouvir as palavras do vereador, mas ficou em silêncio.

Outro detalhe que chama a atenção diz respeito à composição de um novo grupo na Câmara Municipal. Seis vereadores resolveram se unir para, talvez, ter poder maior de voz às definições políticas de 2012. É só mais uma especulação, até porque nenhum se pronunciou a respeito. Contudo, é bom observar que se o “G-3” culminou com a vitória de Silveira à presidência da Câmara Municipal, o “G-6” teria, em tese, maior poder de articulação dentro da própria Câmara. Essa união pode ser vista também como um aviso ao Palácio da Resistência e, até, ao Governo do Estado.

Nenhum comentário: