quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Apenas dois lados defendendo o que acham correto

De volta ao batente depois de uns dias afastados. Agradecer aos leitores que continuaram visitando este espaço durante a ausência. A todos o meu obrigado e continuem aparecendo por aqui. Passado esse agradecimento, é hora de trabalhar. Muita coisa aconteceu esses dias e dois fatos de repercussão merecem destaque do blog.

O primeiro diz respeito à polêmica envolvendo a prefeita Fafá Rosado (DEM) e o jornalista Carlos Santos, que mantém o seu blog, muito bem acessado por sinal, além da Gerência de Comunicação da Prefeitura de Mossoró e o advogado Marcos Araújo.

Não irei entrar no mérito sobre erros de ninguém. Apenas para tecer um comentário sobre o que acho que houve direcionamento para desqualificar a Gerência de Comunicação no caso em si. Li o texto enviado pelo gerente Ivanaldo Fernandes e não vi que houve essa questão do "público" defender o "particular".

A defesa da Gerência de Comunicação diz respeito à prefeita Fafá Rosado, assim como as críticas feitas por Carlos Santos também se referem à prefeita.

É claro que a Gerência de Comunicação integra a Prefeitura de Mossoró. Mas para existir o funcionamento do todo, tem-se uma representação desse poder, que no caso é a prefeita. É Fafá Rosado quem responde pela Prefeitura, já que foi eleita para tal.

Portanto, se a Gerência da Comunicação envia um texto em defesa de Fafá Rosado, não foi em defesa da cidadã, e sim da prefeita. Algo normal e inerente a qualquer assessor de comunicação.

Saliente-se que a comunicação não está ali apenas para mandar releases à imprensa e facilitar o trabalho de repórteres, que buscam informações sistemáticas. A comunicação existe, também, para apresentar contraponto às críticas feitas a quem está no comando do órgão. Nesse caso, da Prefeitura.

Também não vi cerceamento à liberdade de expressão. Caso fosse, a Prefeitura teria pedido a retirada do blog http://www.blogdocarlossantos.com.br/ do "ar". Fato este que não ocorreu.

O que vejo, pois, são dois lados querendo defender o que pensam ser correto.

Leia depois sobre o caso "resposta Wilma de Faria a Rosalba".


Se houve excessos por parte de quem fez as críticas, realmente cabe à justiça a decisão.


Um comentário:

Rui Nascimento disse...

Quando a justiça manda prender um jornalista por ter feito críticas a um administrador público, você não entende que isto seja cerceamento à liberdade de expressão? Se tivesse solicitado a retirada do blog do ar, ela só confirmaria sua tentativa de cercear a voz do contraditório, mesmo assim acho que não falta quem tenha vontade de fazê-lo.
Outro detalhe: até onde eu ouço falar, as demandas contra Carlos Santos são das pessoas de Fátima Rosado, seu irmão Gustavo Rosado, de Francisco Carlos e de Leonardo Nogueira e não da prefeitura, através de sua comandante Fátima Rosado, seus secretários e do deputado, daí subentende-se que foge da alçada da Gerência de Comunicação do órgão público prefeitura, sair em defesa destes, ou então daqui a pouco a Assembléia Legislativa também deverá soltar nota defendendo o deputado, quando este tiver suas ações contra o jornalista julgadas, sentenciadas e, certamente, criticadas pela imprensa.
Por que, em vez da Gerência de Comunicação, não foi a própria Fátima Rosado, através de seus advogados, que emitiu nota à imprensa se defendendo?
Punir excessos é correto sim, mas quando um jornalista é punido com cadeia por emitir opiniões, isso pode ser tudo, menos democracia. Fico a imaginar se Lula tivesse acionado a justiça contra todos os que lhe achincalharam. Certamente faltariam presídios para tantos jornalistas!
Agora questiono: esta sua opinião é como jornalista?