quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Revista apreende 112 celulares e dois quilos de maconha na Penitenciária de Parnamirim


Cumprindo determinação da governadora Rosalba Ciarlini, a Secretaria de Justiça e Cidadania – SEJUC realizou na manhã desta quinta-feira (20) nova inspeção na Penitenciária Estadual de Paranamirim, localizada no bairro Pitimbu. A revista aconteceu no pavilhão 2, composto por 18 celas, e apreendeu 112 aparelhos de telefone celular, 102 chips, dois quilos de maconha prensada e acondicionada em trouxas, 100 gramas de crack, 14 facas - sete de produção industrial e sete artesanais , 14 maricas (cachimbos improvisados para fumar crack), 40 carregadores de celular e uma balança improvisada com uma régua de 30 centímetros, cordões e sacos plásticos que utiliza moedas para pesar as drogas.

“É a maior apreensão de celulares da história no sistema penitenciário do Estado”, avaliou o secretário da SEJUC, Thiago Cortez. O secretário explica que as revistas cumprem o que determina a Lei e esse trabalho vai continuar. Esta foi a terceira revista na atual administração. A primeira aconteceu na própria penitenciária de Parnamirim, no pavilhão 1, e resultou na apreensão de 12 celulares. A segunda foi realizada no Centro de Detenção Provisória de Candelária e apreendeu oito celulares.

O secretário Thiago Cortez destacou a atuação dos agentes penitenciários que, mesmo com as diárias operacionais em atraso desde o ano passado, estão se dedicando ao trabalho. Também registra a atuação do Grupo de Operações Especiais do sistema penitenciário e do Batalhão de Polícia de Choque no apoio incondicional aos agentes do Serviço de Inteligência do Sistema Penitenciário – INFOPEN, e, ainda, do comando da Polícia Militar.

“Esse trabalho combate a corrupção no sistema prisional”, ressaltou Thiago Cortez registrando que o Governo do Estado também está desenvolvendo esforços para instalar bloqueadores de celular nas proximidades dos presídios, monitorar os acessos com câmeras de vídeo, intensificar as revistas e recuperar aparelhos de raio X. “É preocupação do governo evitar que equipamentos e drogas entrem nos presídios. Estamos tomando as providências para combater a corrupção. É preciso combater o bandido travestido de agente público. O trabalho honesto deve se sobrepor à corrupção. Os agentes vão ter orgulho da profissão”, declarou Thiago Cortez.


Fonte: Assessoria

Nenhum comentário: