quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Caos na Câmara de Mossoró


Há excessos e "excessos". É bom que se separe as coisas. A briga interminável que está sendo travada na Câmara Municipal de Mossoró tem um só culpado: o poder. É disso que todos estão atrás. De um lado, o atual presidente, Claudionor dos Santos (PDT) não quer passar o bastão para qualquer um. Do outro, se tem o vereador Francisco José da Silveira Júnior (PMN) tentando se viabilizar no comando da Casa. A conclusão que se tem é que o motivo que eles encontraram para esse impasse é o único que poderia ficar fora dessa discussão, que é o Orçamento Geral do Município (OGM).


Todo mundo já percebeu que a questão é o comando da Câmara Municipal. Essa história de emperrar a apreciação do projeto modificativo ao OGM, enviado pela prefeita Fafá Rosado (DEM), é só uma desculpa.


A falta de respeito entre os vereadores é tanta que na sessão de quarta-feira passada (8/12) se teve uma prova cabal disso: uma vaia feita iniciada por um parlamentar. Consta de um áudio/vídeo feito da sessão. Pelo timbre da voz, teria partido do vereador Lahyre Rosado neto (PSB). Seja de quem tiver sido, é pura falta de bom senso. Eles têm que entender que são autoridades e devem se comportar como tal. Deveriam dar exemplo à sociedade. E não é isso o que está ocorrendo. Claro que não são todos.


O que dizer da imagem acima? Trata-se do real momento da Câmara Municipal de Mossoró. Uma briga pelo poder. Pura e simplesmente assim. Foi dito na sessão da quarta-feira passada que o plenário seria soberano. Não é bem assim. É soberano em relação a votos, mas é preciso que haja o seguimento de uma ordem. Em todo o caos há uma ordem. E o blog vê que nem isso está acontecendo. Trata-se de um caos do caos.

FOTO: Cezar Alves

Nenhum comentário: