terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Canalhas na imprensa. Quem?

Canalha: cínico, mentiroso, aproveitador, interesseiro... E por aí vai. Um leque de adjetivos que não caberia e nem valeria à pena detalhar todos. Isso tudo é o que é a imprensa de Mossoró. nas palavras do vereador Jório Nogueira (PR), corroboradas pelo também vereador Genivan Vale (PR), ninguém que trabalha na imprensa vale um tostão furado. Então, porque diabos eles dão tanta atenção a pessoas desprezíveis? Por que gastar saliva e tempo com gente que não presta?

Quem são os canalhas da imprensa? Eis a questão.

Não é de hoje que a Câmara de Mossoró – alguns vereadores, é verdade, tem péssimo relacionamento com a imprensa. Começou antes da eleição para presidente da Casa. É bem verdade que tudo teve início com um pronunciamento do vereador Francisco José da Silveira Júnior (PMN), que veio com a história de “imprensa smurf”, de imprensa subserviente ao Palácio da Resistência, isso e aquilo.

Trata-se da mesma imprensa que divulgou o vereador, ou os vereadores. Até pouco tempo atrás tudo caminhava tranquilamente, com relacionamento pacífico entre vereadores e imprensa, mas tudo mudou com a eleição da Mesa Diretora.

A meu ver, Silveira assumirá a presidência da Casa com uma péssima imagem. Deixou-se levar por um projeto pessoal que soou como uma busca incessante pelo poder. Passando por cima de tudo e de todos. Aliou-se a oposição por um capricho pessoal: quer ser candidato a vice-prefeito da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) em 2012. Até aí, tudo normal. Ele tem o direito de fazer o que quiser.

Tudo, desde que não macule a imagem de ninguém.

Todos ali foram eleitos para representar a população de Mossoró. E, a bem da verdade, não é isso que está acontecendo.

Falar em canalhas ou dizer que a imprensa “emprenha pelo ouvido”, como falou Genivan Vale, é querer ser uma autoridade que, definitivamente, não se é. Quando se passa dos limites, quem diz o que quer pode muito bem ouvir o que não quer.

Nesse sentido, se a imprensa chamar os vereadores de canalhas estaria equivocada? Apenas devolveria o insulto na mesma moeda. Já diz o adágio: quem disso usa, disso cuida.

Pelo que o blog saiba, não se tem notícia de jornalista envolvido em grupos para chegar ao poder a qualquer custo. Seria uma canalhice. Tampouco ciência de que existem jornalistas que contam com espaços no governo para falar bem ou mal. O que existe são jornalistas que prestam serviços, tanto na oposição quanto na situação.

Essa de achincalhar a imprensa não surte efeito. E se surte, seria melhor os caríssimos vereadores – caros porque eles realmente saem ao valor elevado no bolso do contribuinte, pois são pagos ás nossas custas – dar “nome aos bois”. Até para a sociedade tomar conhecimento de quem é ruim ou bom. Em todo canto há os bons e os maus. Até na Câmara Municipal.

Nenhum comentário: