terça-feira, 21 de julho de 2009

Wilma não consegue evitar divisão

Aconteceu o que a governadora Wilma de Faria não queria: a divisão no grupo governista, que era interna, acabou se tornando pública. A entrevista do deputado estadual Gustavo Carvalho foi o estopim. Ele afirmou que o PSB - presidido por Wilma - já tinha um candidato definido ao Governo, e que esse nome seria o vice-governador Iberê Ferreira de Sousa.

PR, PMN e até o PMDB se revoltaram. Este último ainda não é alinhado politicamente ao PSB, mas seu presidente sonha em concretizar aliança que uniria Wilma e o senador Garibaldi Filho.

O PT permanece mudo. Calado estava, calado ficou.

Percebe-se que, com isso, o Partido dos Trabalhadores prefere ver o "circo pegar fogo". O partido do presidente Lula não tem interesse em indicar nomes ao Governo e sua meta é viabilizar espaços na chapa majoritária, mas para o cargo de senador.